24 de dezembro de 2017

WISHLIST: Natal 2017!!

Olá gente lindaaaa!
Eu sei que as postagens aqui no blog estão pouco frequentes, mas peço a paciência de vocês. Falta poucos meses para eu terminar e defender minha dissertação. Aí voltarei com tudo para o blog, ok?!
Ainda assim, quis dividir com vocês algo que, para uma pessoa consumista como eu, nunca para de crescer: minha lista de desejos! A lista de hoje está recheada de itens que eu gostaria de ganhar no Natal deste ano (amanhã!). Seria o meu sonho? Seria!

Livros:

   
   

21 de dezembro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #107

Olá gente lindaaa!!
Hoje vim falar a última resenha de dorama do ano. o/ Tenha várias postagens pra fazer, muitos doramas sobre os quais falar, mas... Fica pro ano que vem, né?!
A indicação de dorama de hoje é mais um daqueles que comecei a assistir sem esperar muito, na verdade, sem esperar nada. Quando vi que "Because Thisis My First Life" (Porque esta é a minha primeira vida) tinha estreado, não senti a mínima vontade de aissistir, não tive curiosidade nem para ler a sinopse. No entanto, após ver uma cena do primeiro episódio em uma das 74758966 páginas sobre doramas que eu curto no Facebook, resolvi assistir e me apaixonei. Há tempos não assistia um dorama com uma temática adulta e com temas tão atuais.

Sinopse: O que um homem falido após adquirir sua casa e uma mulher atada financeiramente podem fazer? Nam Sae Hee (Lee Min Ki) é um homem solteiro no início dos seus 30 anos que conseguiu comprar sua casa própria. Mas seu financiamento custa toda sua renda e não sobra muito para fazer mais nada. Yoon Ji Ho (Jung So Min) é uma mulher solteira no início dos seus 30 anos que mal ganha para sobreviver e desistiu de marcar encontros por causa de sua situação financeira.
Por meio de circunstâncias inesperadas, Ji Ho se torna inquilina na casa de Sae Hee e eles se tornam companheiros de casa. Eles podem se ajudar a lidar com seus problemas financeiros?

ELENCO PRINCIPAL:

- Lee Min-Ki como Mam Se-Hee (um homem metódico, cheio de manias e cujo universo gira em torno de sua gatinha e da dívida que tem por ter comprado um apartamento);
- Jung So-Min como Yoon Ji-Ho (roteirista assistente que saiu do interior para estudar e tentar realizar seu sonho de ser escritora em Seul);
- Esom como Woo Soo-Ji (uma das melhores amigas de Ji-Ho; sempre sonhou em seu dona do próprio negócio, alguém independente, mas acabou entrando no mundo corporativo, como funcionária de um grande grupo e tendo de se sujeitar a todo tipo de piadas machistas e assédio);
- Park Byung-Eun como Ma Sang-Goo (CEO da empresa de aplicativos em que Se-Hee trabalha, e também seu melhor amigo);
- Kim Ga-Eun como Yang Ho-Rang (uma das melhores amigas de Ji-Ho; namora com Won-Seok há sete anos e seu maior sonho sempre foi se casar e ter filhos, mas isso parece estar longe de acontecer);
- Kim Min-Suk como Sim Won-Seok (engenheiro que sonha e ganhar dinheiro criando seus próprios aplicativos; namorado de Ga-Eun, com quem está junto há sete anos e sente que não é capaz de deixá-la feliz).

Minha opinião: Amei!
Bem, como eu comentei no começo deste post, "Because this is my first life" nem estava na minha extensa lista de doramas para assistir, mas se mostrou uma grata surpresa.

Ji-Ho é uma mulher de trinta anos que deixou sua cidade Natal em busca do sonho de ser escritora de dramas. Se formou em uma universidade e começou a escrever roteiros de dramas... como escritora assistente. Uma escritora assistente nunca leva o crédito, não tem credibilidade, não tem voz, não escreve o que quer, recebe ordens, ganha pouco e por aí vai.
Não bastasse a realidade tão diferente de seu sonho ao sair da casa dos pais, ela recebe a notícia de que o irmão com quem divide um apartamento será pai em breve.

11 de dezembro de 2017

RESENHA: Tartarugas até lá Embaixo

Editora: Intrínseca
Autor(a): John Green
Número de páginas: 256

Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo.
A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).
Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Olá gente lindaaaa!
Confiram o que nossa resenhista Ana Paula achou do livro "Tartarugas até lá embaixo", do autor John Green. Pra fechar o ano com chave de ouro!

A história contada em “Tartarugas Até Lá Embaixo”, novo livro do autor John Green, representa, para mim, um ensinamento sobre aceitar nossas fraquezas e medos como parte intrínseca de nós mesmos. 
A personagem principal, Aza Holmes, tem TOC, um transtorno de ansiedade que a faz se preocupar 24 horas por dia sobre ser infectada com alguma bactéria ao menor toque de outra pessoa. Apesar de ter acompanhamento psiquiátrico há algum tempo, a jovem não vê melhoras, uma vez que o transtorno a impede de viver sua simples rotina. Isso é o que percebe sua mega preocupada mãe e sua melhor amiga, Daisy
"[...] eu estava começando a entender que a vida é uma história que contam sobre nós, não uma história que escolhemos contar." (página 9).
"Eu queria dizer mais, só que os pensamentos, inoportunos, indesejados, não paravam de invadir minha mente." (página 15-16).
Aza e a amiga possuem um lema “Parta corações, mas não quebre promessas”. Esta frase representa a amizade das duas e destaca algo que sempre é valorizado e está presente nos livros de Green: a lealdade entre amigos.

7 de dezembro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #106

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar sobre um dorama que eu estava ansiosa para assistir antes mesmo de ir ao ar (como comentei aqui), "While You Were Sleeping" (Enquanto você dormia), protagonizado pelo ator Lee Jong Suk (Pinocchio, W: Two Worlds) e Suzy, membro do girl group Miss-A (Dream High, Gu Family Book).
"While you were sleeping" foi exibido entre 27 de setembro e 16 de novembro pelo canal sul-coreano SBS.

Sinopse: Uma jovem que tem premonições em seus sonhos conhece duas pessoas que adquirem a mesma habilidade repentinamente.
Nam Hong Joo (Suzy) mora com sua mãe, Yoon Moon Sun (Hwang Young Hee), uma viúva que administra um pequeno restaurante. Jung Jae Chan (Lee Jong Suk), um promotor novato, e seu irmão mais novo, Seung Won (Shin Jae Ha), se mudam para o outro lado da rua. Desde pequena, Hong Joo tem a habilidade de prever eventos ruins antes que aconteçam, mas geralmente é incapaz de fazer algo com relação a isso.
Certo dia, Jae Chan tem uma premonição em um sonho estranho sobre um acidente envolvendo Jong Joo e Lee Yoo Beom (Lee Sang Yeob), um advogado impiedoso que era professor de Jae Chan. Jae Chan resolve interferir no decorrer dos eventos e acaba salvando as vidas de Hong Joo e Han Woo Tak ( Jung Hae In), um jovem policial. Quando Jae Chan, Hong Joo e Woo Tak começam a sonhar uns com os outros, eles percebem que suas vidas estão, de certa forma, conectadas agora.
Mas será que os três conseguirão descobrir o motivo pelo qual eles foram conectados e impedir que as pessoas próximas a eles se machuquem?

ELENCO PRINCIPAL:

- Lee Jong-suk como Jung Jae-chan (jovem promotor que acaba de passar em um concurso para trabalhar no ministério público; ele passa a ter sonhos "premonitivos" (essa palavra existe?) com sua vizinha Nam Hong-joo);
- Bae Suzy como Nam Hong-joo (uma famosa repórter afastada do trabalho; ela sonha com o futuro de pessoas desconhecidas desde que se entende por gente e previu a morte do próprio pai);
- Lee Sang-yeob como Lee Yoo-bum (advogado corrupto; ele costumava ser tutor de Jae-chan, mas nunca foi um bom exemplo, apesar de seus colegas de trabalho acharem que ele é honesto);
- Jung Hae-in como Han Woo-tak (jovem policial; após ser salvo de um atropelamento, ele passa a sonhar com o futudo de Jae-chan, o homem que o salvou).


Minha opinião: Amei!
Já começo essa resenha dizendo que apesar da minha ansiedade em relação ao dorama e minha altas expectativas, comecei a assistir meio com o pé atrás, pois a atuação da Suzy (Nathália hater que o diga! haha) não é das mais elogiadas. No entanto, "While you were sleeping" foi sensacional do começo ao fim. Gente, que roteiro incrível! Os dois primeiros episódios foram os melhores dois episódios (ou quatro, dependendo de onde você assistir) que já vi na vida.
Nam Hong Joo tem um talento peculiar e, posso dizer, um tanto desagradável, ela sonha com o futuro das pessoas, seja ele bom ou ruim. Ela não precisa conhecer a pessoa, simplesmente vê em seus sonhos algo que mais cedo ou mais tarde acontecerá na vida das pessoas. Anos atrás ela previu a morte do próprio pai, mas assim como acontece em relação ao todos os outros sonhos, ela não pode fazer nada para evitar, para mudar o que viu no sonho.
Jung Jae Chan, ao contrário do típico protagonista, é um jovem promotor desajeitado e sentimental que acaba de passar em um concurso público para trabalhar no Ministério Público. No entanto, por ser desajeitado e jovem, ele não tem lá muita credibilidade e vive levando broncas de seus superiores por ser lento com os processos. Sem dúvida esse foi o personagem mais engraçado do ator! O tipo de mocinho que foge um pouco do tradicional (CEO, cara rido, inteligente, sempre bom em tudo, etc), acho que podemos dizer que ele é um típico anti-herói. Um anti-herói que adora uma bela selfie! haha
Jae Chan acaba de se mudar para a vizinhança de Hong Joo e não teve a melhor das recepções. No entanto, sua relação com a vizinha começa a mudar quando Jae Chan consegue evitar uma tragédia envolvendo Hong Joo e o então namorado Lee Yoo-bum. Mas o "X" da questão é que Jae Chan consegue evitar uma tragédia, pois as coisas estava acontecendo EXATAMENTE como em seu sonho. Isso nunca havia acontecido antes,pois isso Jae Chan fica um pouco assustado (e cético) ao saber que Hong Joo tem esse tipo de sonho o tempo todo.

4 de dezembro de 2017

RESENHA: Sejamos todos feministas

Editora: Companhia das Letras
Autor(a): Chimamanda Ngozi Adichie
Número de páginas: 64

Sinopse: O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres?
Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. ‘Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!’.” Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e – em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são “antiafricanas” e que odeiam homens e maquiagem – começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.
Neste ensaio preciso e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para mostrar que muito ainda precisa ser feito até que alcancemos a igualdade de gênero. Segundo ela, tal igualdade diz respeito a todos, homens e mulheres, pois será libertadora para todos: meninas poderão assumir sua identidade, ignorando a expectativa alheia, mas também os meninos poderão crescer livres, sem ter que se enquadrar em estereótipos de masculinidade.
Olá gente lindaaa!
Hoje vim falar sobre mais um livro super curtinho da maravilhosa Chimamanda Adichie, "Sejamos todos feministas".
Esse livro é, na verdade,  é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações (http://tedxtalks.ted.com/video/We-should-all-be-feminists-Chim).

A autora, em uma fala direta e pessoal, começa seu discurso tentando mostrar o quanto a palavra "feminismo" é sempre acompanhada de uma série de esteriótipos e uma carga negativa. Isso de deve, entre outras coisas, ao fato de reproduzirmos discursos equivocados (e machistas) sobre o feminismo, sem ao menos tentarmos nos informar e entender sobre.
"Tenho a impressão de que a palavra 'feminista', como a própria ideia de feminismo, também é limitada por estereótipos." (página 8)
"Estou tentando desaprender várias lições que internalizei durante a minha formação, mas às vezes ainda me sinto vulnerável quando deparo com expectativas de gênero." (páginas 39-40) 

16 de novembro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #105

Olá gente lindaaaa!
Não, hoje eu não vim falar sobre doramas, mas vim falar sobre um lakorn maravilhoso que assisti recentemente, "Kleun Cheewit", também conhecido como Waves of Life (Ondas da Vida).
Bem, aos desavisados, lakorn é o termo dado às séries dramáticas tailandesas. Pois é, não me bastava ser viciada nos coreba* tudo, né?! Agora atá a Tailândia entrou na jogada. haha Eu já havia assistido outros dois lakorns, "Full House Thai" e "Kiss me", mas só por serem adaptações / versões de dois doramas coreanos que eu adoro, respectivamente "Full House" "Playfull Kiss", mas desta vez eu confesso que fiquei surpresa - e apaixonada - pela produção tailandesa e pela pegada meio "Secret Love", dorama coreano sobre o qual eu já falei aqui no blog.
O lakorn foi exibido de 23 de janeiro a 13 de março de 2017, pela emissora Channel 3.

*termo carinhoso que uso para me referir aos coreanos. ^^

Curiosidade: Kleun Cheewit é um remake de um lakorn chamado Kleun Sanaeha, baseado em um romance de 1982.

Sinopse: Jee, é uma atriz e modelo. Ela teve uma infância ruim, com sua mãe sempre ausente. Seu padrasto quer que Jee seja sua amante, assim um dia ele a droga, para que possa violá-la. Ela consegue escapar, mas acidentalmente atropela Tiw, noiva de Sathit.
Sathit é um advogado com um futuro brilhante. Ele estava falando com a noiva quando o acidente ocorreu. Ele acredita que Jee foi quem matou sua noiva, e tenta conseguir justiça para sua amada.
Jee trabalha e conhece Chaiyan a tempos, Chaiyan é casado com a irmã de criação de Sathit, Piak. Ela tem ciúmes não saudável pelo marido, e pensa que ele a traí com Jee e com isso faz a vida de Jee a mais difícil possível. 
Jee tem como amigos próximos seu empresário Suki e a professora Dao. Ao longo ela conhece Jate, que é filho da dona da escola onde Dao trabalha e irmão de Jane, uma advogada novata que irá trabalhar para Sathit, e ela é estranhamente parecida com a falecida noiva de Sathit. 
Com o decorrer, a vida de Sathit e Jee vão se entrelaçando mais do que esperado e com isso novos sentimentos vão aparecendo, será que finalmente Jee irá acreditar que o amor pode acontecer para ela? E será que Sathit pode finalmente entender Jee?

ELENCO PRINCIPAL:

- Prin Suparat como Khun Sathit (advogado justo e competente; está prestes a se casar com uma jovem professorinha, mas ela morre atropelada e ele está decidido a descobrir o que realmente aconteceu e vingar a morte da amada);
- Urassaya Sperbund como Jeerawat (atriz famosa e invejada; filha de uma ex-prostituta que esconde o verdadeiro passado de todos e hoje é uma madame e esposa de um homem perigoso; apesar de não ser amada pela mãe, Jee seria capaz de dar a vida por ela);
- Louis Scott como Chaiyan (diretor de TV e amigo de Jeerawat; convive com a esposa extremamente ciumenta);
- Jarinporn Joonkiat como Piyakul ou Piak (esposa de Chaiyan; tem um ciúme doentio pelo marido e não pode ver Jerawat nem pintada de ouro, pois ela tem certeza que a atriz é amante de seu marido);
Nuttanicha Dungwattanawanich como Dao (melhor amiga de Jee; trabalha como professora em uma escola infantil e é apaixonada por Jett, filho da diretora);
- Masu Junyangdikul como Jett (acaba se tornando amigo de Jee e se apaixona por ela, sem imaginar que a melhor amiga de Jee, Dao, é apaixonada por ele há tempos).

Minha opinião: Amei!
Amei tanto que mal percebi que cada episódio tem nada menos que DUAS horas. Isso mesmo! Confesso que quando me interessei por esse lakorn (de tanto ver postagens sobre ele em um dos grupos sobre doramas dos quais sou membro no Facebook), fiquei um pouco hesitante por conta dos episódios serem longos demais. Mas, no final das contas nem percebi o tempo passar enquanto assitia e acabei devorando em dois ou três dias. 
Vocês sabem que pra mim "desgraça pouca é bobagem", né?! Adoro um bom drama, uma boa trama cheia de desgraceira e muitas reviravoltas. Então "Kleun Cheewit" foi um prato cheio.
Sathit, um jovem e competente advogado, está noivo e prestes a se casar. No entanto, em uma noite sua noiva é atropelada e acaba não resistindo. Um homem se entregou à polícia e diz ser o condutor do veículo, mas por estar ao telefone com a noiva no momento do acidente, Sathit está certo de ter ouvido a voz de uma mulher, não a de um homem. Assim, está decidido a descobrir o que realmente aconteceu e punir o verdadeiro culpado, vingando a morte da amada.
Jeerawat, ou simplesmente Jee, é uma famosa e invejada atriz. Apesar de ser uma moça inocente, tem o nome frequentemente envolvido em escândalos e sua fama é de ser provocante e seduzir os diretores e roteirista para conseguir tantos trabalhos (intriga da oposição!). Apesar da origem simples e sofrida, seu passado é um segredo, já que a imagem e a história da qual a mídia tem conhecimento foi uma invenção de sua mãe, na tentativa de esconder o próprio passado como prostituta.

12 de novembro de 2017

SORTEIO: Natal com Literatura Nacional!!

Olá gente lindaaaa!

Natal está chegando (já!) e como sempre, nada melhor que comemorar com muitos livros novos. Pensando nisso, algumas autoras nacionais e vários blogs literários se juntaram pra fazer a alegria dos leitores. Que tal concorrer a dois kits super recheados de livros de autores nacionais e vários marcadores? Presentão, né?!

Confiram abaixo as autoras e os blogs participantes, o livros que compõem os dois kits e como participar desse mega sorteio:

9 de novembro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #104

Olá gente lindaaaa!
Hoje eu vim falar sobre mais um dorama coreano que vocês precisam assistir, "Man-hole: Feel So Good". Uma coisa eu posso garantir: tem ação e reviravolta do começo ao fim, então vocês não terão um único minuto de tédio acompanhando a jornada de Bong Pil, nosso estranho viajante do tempo.

Sinopse: Bong-Pil (Kim Jaejoong) que está se preparando a três anos para uma importante prova afim de se tornar servidor público, seus estudos não vão nada bem e seu ânimo parece ter se esvaído. A causa de tudo isso é que Soo-Jin (Uee) sua melhor amiga desde a infância vai se casar, e ele a ama em segredo desde pequeno, por 28 anos cultivando esse amor agora ele se vê a ponto de perdê-la sem nunca ter se confessado.  Porém algo inusitado ocorre e Bong-Pil cai num bueiro (manhole) que o faz voltar no tempo com o intuito e oportunidade de  evitar esse casamento e ter a mulher que ama consigo.
ELENCO PRINCIPAL:

- Kim Jae Joon como Bong Pil (desempregado há três anos, Bong Pil se prepara para o exame de serviço civil e desejar ser um policial; é apaixonado pela amiga Soo Jin há 28 anos, ou seja, desde a infância, mas nunca teve coragem para se declarar e agora tem de lidar com o fato de que em poucas semanas ela estará casada com outro homem);
- Uee como Kang Soo Jin (o amor verdadeiro de Pil há 28 anos; está noiva de um farmacêutico e seu casamento é em apenas uma semana; por causa de Pil - que é a pessoa mais atrapalhada de todos os tempos - ela passou por altos e baixos, mas ela sabe que por trás das palavras não ditas e do jeito distorcido que ele tem de expressar as coisas, que ele é apaixonado por ela);
- Jung Hye Seong como Jin Sook (amiga de colégio de Pil e Soo Jin; por seu jeito descontraído e personalidade  agradável, ela é vista como amiga, nunca como namorada, embora seja apaixonada por Pil);
- Baro como Jo Seok Tae (amigo da turma, no passado foi apaixonado por Soo Jin, mas agora é apaixonado por Jin Sook; após fracassar no vestibular, agora ele está estudando para o exame de serviço civil - há seis anos!. Apesar de serem "amigos", Seok Tae tem um comportamento competitivo em relação a Pil, desejando se sobressair, mesmo que isso signifique que o amigo fracasse).

Minha opinião: Amei!
Já sabem que amo histórias sobre viagem no tempo, né?! Pois bem, Man-Hole é mais uma história com essa temática, mas nada de viajar séculos para o passado e se ver diante de reis, guerreiros ou qualquer coisa do tipo, nosso protagonista viaja ao passado da própria vida, tendo a chance de mudar algo do passado, mas.... cada pequena mudança torna seu presente cada vez pior e mais complicado.
Tudo começa uma semana antes do casamento de Soo Jin, por quem Pil é apaixonado há 28 anos. Embora ele seja apaixonado por ela desde a infância (e embora ela saiba disso, pois é impossível não notar), Pil nunca teve coragem de se declarar, nunca conseguiu colocar seus sentimentos em palavras. Agora, quando Soo Jin está prestes a se casar, Pil não consegue aceitar, está inconsolável e arma a maior confusão na festa de noivado.
Na noite do noivado, inconsolável com a situação, sem ao menos ter recebido um convite de casamento (não que ele queira que esse casamento aconteça), ele para perto de um bueiro (manhole) para chorar as mágoas e... acaba viajando no tempo. De um minuto para outro ele está de volta ao ensino médio.

20 de outubro de 2017

UNBOXING!! | Flor de Maio - Cadernos Artesanais

Olá gente lindaaa!!!
Há alguns dias postei um vídeo no canal do blog no Youtube, mostrando dois cadernos LINDOS que recebi da Flor de Maio - Cadernos Artesanais, mas como é um pouco difícil ver os detalhes (que são lindos e impecáveis!), resolvi fazer este post com algumas fotos.

19 de outubro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #103

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar sobre o dorama mais tenso que eu já assisti, o sensacional "Save me".
Save Me é baseado no popular webtoon Out of the World (Sesang Bakeuro) escrito por Jo Geum San. O dorama foi ao ar de 5 de agosto a 24 de setembro pela emissora sul-coreana OCN.

Sinopse: Han Sang Hwan (Ok Taec Yeon) é um lindo e charmoso filho de um político. Por conta do sucesso de seu pai, ele encara muita pressão para se tornar algo na vida, e mesmo assim, tem falhado. Depois de encontrar uma mulher em um traumático incidente, Han Sang Hwan percebe o quão fraco ele é, e jura mudar diante das circunstâncias. 
Im Sang Mi (Seo Ye Ji) é a mulher com quem Han San Hwan se encontrou. Graciosa e muito quieta, ela se muda de Seul para Muji após a transferência de seu pai. Falidos, seu pai decide depender de um culto religioso. Tentando ajudá-lo, Im Sang Mi segue o pai até a organização secreta e acaba envolvida em planos sinistros. 
Três anos após o encontro, Han Sang Hwan encontra Im Sang Mi mais uma vez. Im Sang Mi ainda está presa no culto que é controlado por Baek Jung Ki (Jo Sung Ha de K2). 
Desta vez, Han Sang Hwan decide não ser fraco. Quando Im Sang Mi pede ajuda, ele não hesita. O filho do político chama seus amigos, Seok Don Chul (Woo Do Hwan de Sweet Stranger and Me), um rebelde desempregado que vive aos tapas com Han Sang Hwan, Woo Jung Hoon (David Lee de Let's Fight Ghost) e Choi Man Hee (Ha Hwe Jung). Os quatro decidem salvar Im Sang Mi, mas o culto não gosta quando alguém decide partir ou quando outras pessoas tentam interferir. 
Agora é uma batalha de sobrevivência. Enquanto eles sofrem nas mãos do culto, os jovens logo descobrem que o caminho para a bondade pode ser perigoso. 

ELENCO PRINCIPAL:

- Ok Taecyeon como Han Sang Hwan (Filho do amado governado, Sang Hwan, tem que suportar a pressão que recebe diariamente. Até porque o rapaz não pode dar um deslize senão irá manchar a reputação do seu pai);
- Seo Ye Ji como Im Sang Mi (é uma estudante normal de Seul que se muda para a pequena cidade de Muji; apesar de quieta e introvertida, nnão pensa duas vezes antes de enfrentar quem quer que seja para defender o irmão gêmeo, que tem uma deficiência fisica e sofre bullying);
- Woo Do-Hwan como Seok Dong-Cheol (um dos quatro amigos e o mais pobre deles; órfão de mãe e filho de um pai alcoólatra, tem como única família sua avó);
- Jo Sung Ha como como Baek Jung Ki (líder espiritual de uma estranha igreja que é, na verdade, uma ceita religiosa);
- Jo Jae Yoon como Jo Wan Tae (um dos diáconos/discípulos da igreja; homem ganancioso e sem nenhum escrúpulo);
- Park Ji-Young como Kang Eun-Sil (dicípula e 'braço direito' do pastor; ela acredita cegamente que o pastor é um enviado do Deus do Novo Mundo);
- Jung Hae-Kyun como Im Joo-Ho (pai de Sang Mi; após vários acontecimentos trágicos na família, ele encontra conforto e esperança na religião, mas isso sai de seu controle);)
- Yoon Yoo-Sun como Kim Bo-Eun (mãe de Sang Mi, que acaba "enlouquecendo" ao ver sua família ser destruída).

Minha opinião: Amei!

Confesso que "Save me" foi uma contradição para mim: comecei a assistir meio com "o pé atrás", porque vários comentários na internet diziam que era assustador, um terror psicológico e tal, as após poucos (uns 4) episódios, eu dei uma desanimada porque não acontecia "nada". Mas a partir do 5º episódio, fui totalmente fisgada e foi uma agonia esperar a liberação dos episódios semanais.
Bem, se tem uma coisa que vocês precisam saber sobre "Save me" é que mesmo quando aparentemente nada está acontecendo, esse "nada" vai importar para a história e o clima em torno desse "nada" vai sempre te deixar tenso, desconfortável e sem saber o que virá a seguir. Até a paleta de cores usada na fotografia do dorama te deixa tenso e incomodado. Sempre parecendo que algo terrível está prestes a acontecer. E de fato sempre há algo obscuro...
A história começa com a chegada da família Im, composta pelo pai Im Joo Ho, a mãe Kim Bo Eun, e filhos gêmeos Im Sang Mi e Im Sang Jin, mudando-se para Muji, uma cidade interiorana fictícia. Com a promessa de uma casa, um emprego e uma vida confortável em Muji, o chefe da família vende tudo o que tem em Seul e vai com a família e toda sua mudança para a tal cidade de Muji. No entanto, ao chegar na cidade todos se dão conta de que foram enganados: não há casa alguma, emprego algum. É quando as coisas começam a dar errado para a família Im. Infelizmente é só o começo, pois tudo desanda mais e mais com o passar dos episódios.

16 de outubro de 2017

RESENHA: Não me esqueças

Editora: Verus
Autor(a): Babi A. Sette
Número de páginas: 350

Sinopse: Em um cenário de contos de fadas, Babi A. Sette convida o leitor a mergulhar em um mundo novo, repleto do encantamento que somente um amor de almas gêmeas pode realizar
Aos vinte e um anos, Lizzie deveria estar empenhada em fisgar um noivo e finalmente se casar. Entretanto, após uma decepção amorosa, o coração da jovem só palpita por sua grande paixão — os estudos sobre o povo e a cultura celtas. Esse interesse faz com que ela troque os concorridos salões de baile de Londres pelas estradas desertas e sinuosas das Highlands escocesas. 
Ali, ela conhecerá Gareth, o enigmático líder do clã que vive no local mais remoto e bucólico da Escócia. Envolto em uma aura de mistério, ele luta para manter suas tradições, seus segredos e, principalmente, seu povo em segurança.
Enquanto o austero Gareth tem a vida toda sob controle e resiste a mudanças, Lizzie está muito entusiasmada com suas explorações e descobertas. Porém a vida de ambos é alterada de maneira inexorável quando uma fatalidade transforma a tão sonhada aventura de Lizzie em pesadelo.
Vindos de mundos tão diferentes, mas unidos por uma atração irresistível, Lizzie e Gareth vivem uma paixão proibida e desafiadora, sem saber que finalmente poderão encontrar aquilo que só ousavam buscar em sonhos.
Olá gente lindaaa!
Sim, eu finalmente trago a resenha completa de "Não me esqueças", da autora Babi A. Sette. Nem vou dizer que eu adorei, pois posso soar repetitiva. Vocês sabem que sou apaixonada pela escrita e pelas histórias da Babi, então vamos direto à resenha.

Ah, confiram minhas Primeiras Impressões sobre o livro e a resenha que vis dos outros livros da autora: Entre o amor e o silêncio, A promessa da rosa, O despertar do lírio e Senhorita Aurora.

"Não me esqueças" se passa vinte anos após o último livro da série Flores da Temporada, e abre uma nova série de época da autora, mas temos o prazer de reencontrar personagens dos livros anteriores, já que a protagonista é filha de Arthur e Kathelyn, de "A promessa da rosa".
Tudo começa com Lizzie e seus frequentes sonhos com um lobo. Desde muito nova ela vive tendo estranhos sonhos com um lobo em uma floresta e, há um tempo, um homem também aparece em seus sonhos. mas esses sonhos nunca terminam bem, fazendo-a acordar assustada, angustiada e com a sensação de que tudo parece real demais.
"- Não vá! - ela gritou para o vale. - Não! - repetiu, derrotada e exausta.
A bruma se adensava, tornando-se espessa e sufocante, grossa como fumaça de caldeiras. Quente como respirar fogo.
Lizzie cobriu o rosto com as mãos e sacudiu a cabeça, os olhos queimavam lágrimas de frustração.
- Por que você nunca me espera? - protestou contra a paisagem oculta pela névoa." (página 8)

12 de outubro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #102

Olá gente lindaaaa!!!
Hoje vim falar sobre um dorama que deu o que falar, "The Bride of the Water God", também conhecida como "The Bride of Habaek" (A noiva do deus da água). Além de ter batido o record de dorama com menor audiência dos últimos tempos, também gerou uma série de reclamações em relação à falta de química entre os protagonistas.
“The Bride of the Water God” é uma série sul-coreana baseada em uma manhwa (de mesmo nome) que foi ao ar de 3 de julho a 22 de agosto de 2017.

Sinopse: O que você faria se tivesse que dar continuidade a uma estranha tradição familiar?
Yoon So Ah (Shin Se Kyung) é uma neuropsiquiatra pragmática, que luta para manter seu próprio consultório. Sua família recebeu a missão de servir Ha Baek (Nam Joo Hyuk), um deus da água encarnado, já há várias gerações. E agora, é a vez de So Ah dar continuidade ao legado da família. Ha Baek se apaixona por So Ah, mas precisará competir pelo coração da moça com Hoo Ye (Im Joo Hwan), o presidente de uma companhia de resorts que disputa um pedaço de terra com So Ah, mas acaba se apaixonando por ela.
Moo Ra (Krystal Jung) é uma deusa do Reino da Água que vive na Terra há centenas de anos. Moo Ra é atriz e ama Ha Baek, e não ficou nada satisfeita com a ideia de perdê-lo para So Ah. Enquanto isso, Bi Ryum (Gong Myung) é um deus do vento que sempre teve um amor não correspondido por Moo Ra, mesmo sabendo dos sentimentos dela por Ha Baek.
Pode um relacionamento entre uma mulher humana e um deus ter algum futuro?
ELENCO PRINCIPAL:

- Nam Joo Hyuk como Habaek (o deus da Água que está destinado a ser o Rei do Reino da Água e Imperador do reino dos Deuses; ao vir para a Terra cumprir uma missão, ele perde seus poderes e "se torna" um humano normal);
- Shin Se Kyung como So Ah (uma neuropsiquiatra que tem seu próprio consultório mas está passando por dificuldades e tem uma montanha de dívidas; seu sonho é ir embora para Vanuatu (um país na Oceania);
- Gong Myung como Bi Ryum (um deus do vento que é apaixonado por Moo Ra apesar de saber que ela ama Habaek; foi colega de faculdade de So Ah, embora ela não soubesse sua real identidade);
- Krystal como Moo Ra (uma deusa da água que vive entre os humanos há cem anos; por sua beleza, se torna uma atriz famosa; tem uma amor unilateral por Habaek);
- Lim Ju Hwan como Hoo Ye (um semi-deus que vive como um ser humano normal; é o CEO de um resort e principal rival dos deuses. Acaba se apaixonando por So Ah).


Minha opinião: Adorei!
Comecemos pelo começo: esse dorama é baseado em um manhwa (mangá coreano) que tem muitos fãs espalhados pelo mundo, mas eu não tive contato com a história original, de modo que minha opinião pode (com certeza!) divergir bastante da opinião de pessoas que conferiram as duas versões (original e adaptação) e fizeram suas comparações.
Habaek é o deus do Reino da Água e vive o Reino Divino, mas é enviado á Terra com a missão de as pedras dos deuses que estão guardadas com deuses guardiões. Sim, eu sei.... pura viagem!
Habaek está destinado a ser o imperador do Reino Divido, por isso após o cumprimento da missão ele deve voltar e assumir o trono. Parece bem simples, mas...
Ao chegar na Terra, especificamente em Seoul, além de perder as coordenadas que o levaria diretamente até os deuses guardiões, ele também perde a insígnia que o Sumo Sacerdote de deu, que serviria para chamar o criado dos deuses: um humano descendente de alguém que jurou sua lealdade (e de todos os seus descendentes) aos deuses. Por conta disso, sua estadia acaba se prolongando, já que encontrar esses deuses guardiões será como encontrar uma agulha no palheiro.
Habeak é arrogante e narcisista e não tem qualquer interesse nos humanos ou no mundo humano, mas tem de lidar com o fato de ter perdido seus poderes ao chegar à Terra, de modo que agora tem todas as limitações de um ser humano normal. A questão é: ele é um deus e está em um lugar em que nunca esteve, onde as pessoas agem de determinada maneira e onde ele não é referenciado e adorado... ai, ai...

5 de outubro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #101

Olá gente lindaaaa!!
Hoje vim falar sobre minha última maratona doramática (Uhull!): "Oh My Ghostess", que comecei a assistir pra tentar superar a bad pós leitura de "Hoje eu sou Alice" (RESENHA AQUI), mas acabei devorando em DOIS dias. Sério, ainda estou me perguntando o motivo de não ter assistido antes.
Sinopse: Esta é a melhor maneira de chegar ao pós-vida? Na Bong Sun (Park Bo Young) é uma mulher extremamente acanhada e tímida que trabalha como assistente de chef no Restaurante Sun. Ela nutre uma paixão secreta pelo grande chef Kang Sun Woo (Jo Jung Suk), mas não tem coragem para fazer nada a respeito. Mas Bong Sun tem a habilidade de ver fantasmas, em parte graças à sua vó, que era uma xamã. Shin Soon Ae (Kim Seul Gi) é uma jovem mulher que morreu sem nunca ter experimentado um romance em sua curta vida. Ela está determinada a seduzir o máximo de homens possível e a perder sua virgindade, para que possa chegar feliz ao pós-vida. Quando Soon Ae conhece Bong Sun, ela encontra o instrumento perfeito para cumprir sua missão. Sun Woo está se recuperando de um coração partido, mas logo começa a prestar mais atenção em uma Bong Sun mais ousada e confiante. Será que tanto Soon Ae quanto Bong Sun conseguirão o que querem no fim?

ELENCO PRINCIPAL:

- Park Bo Yeong como Na Bong Sun (uma mulher tímida e insegura; ela nunca foi muito boa em habilidades sociais, nem muito saudável; sendo neta de uma xamã, passou a vida vendo fantasmas que a mantêm acordada a noite toda. Lavando louça na cozinha de um famoso restaurante, ela está sempre à beira de ser demitida. Sua ambição de vida é se tornar uma chef e seu ídolo é o chef Kang Seon Woo, seu patrão);
Jo Jung Suk como Kang Sun Woo (famoso chef de cozinha, conhecido não apenas pelo seu talento a cozinha, mas por sua beleza e charme - e sucesso entre as mulheres; se comporta como se não houvesse nada que ele não pudesse fazer. A sua crença de que ele é o melhor chefe de cozinha é fundamentado de fato e cozinhar é sua profissão de dia inteiro);
Kim Seul Gi como Shin Soon Ae (uma fantasma virgem que não tem memória alguma de sua vida, só sabe que só poderá ir embora em paz quando resolver seu maior rancor: sua virgindade; ela é impaciente, fica facilmente entediada e, mais do que qualquer coisa,  é fascinada por homens. A fim de resolver sua pendência, ela possui corpos de mulheres e tenta seduzir os homens para chegar "às vias de fato").

Minha opinião: Amei!
Eu já havia ouvido falar desse dorama há algum tempo, mas confesso que nunca me interesse muito, não. Mas, recentemente, duas amigas começaram a assistir e ficavam surtando a cada episódio e... é claro que eu fiquei curiosa. Ainda mais eu, né?! O resultado foi que eu maratonei em dois dias e amei do começo ao fim, com algumas ressalvas, conforme vocês verão ao longo desta resenha.
A história começa com Soon Ae, uma fantasma virgem e entendiada. Ela morreu há três anos e desde então está vagando, sem memória alguma de sua vida e causa de sua morte, mas com um único (e mais grave dentre os fantasmas) rancor a ser resolvido: sua virgindade.
Ela vive possuindo o corpo de mulheres atraentes e curvilíneas, na esperança de seduzir um homem e levá-lo para cama. Ela acredita que assim ela poderá ascender em paz. No entanto, fugir e uma xamã, ela acaba "se escondendo" no corpo de Bong Sun, uma tímida e reclusa ajudante de cozinha. E, por serem totalmente compatíveis, Soon Ae acaba ficando presa no corpo de Bong Sun. E, para surpresa e alegria dessa fantasma assanhada, "sua hospedeira" trabalha como ajudante na cozinha de um chef famoso e bonitão e, ao lado de QUATRO outros homens. Ou seja, sua chance de resolver seu rancor pode ser resolvido.

2 de outubro de 2017

RESENHA: It: a coisa

Editora: Suma de Letras
Autor(a): Stephen King
Número de páginas: 1102

Sinopse: Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e... do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa. Em “It: a coisa”, clássico de Stephen King, os amigos irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites.
Olá gente lindaaaa!
Não, vocês não leram errado: esta é mesmo uma resenha de "It: a coisa". Mas, como era de se esperar, não foi escrita por mim, que sou a mais medrosa das medrosas quando se trata de histórias de terror. Confiram o que nossa resenhista Ana Paula achou do livro que deu origem ao filme homônimo, que estreou recentemente nos cinemas.
***
Tudo começou com um barquinho de papel descendo pelas correntezas da rua em um dia chuvoso no Maine. George está orgulhoso do brinquedo feito pelo seu irmão mais velho, Bill, mas inesperadamente seu barco é levado pela água é cai em um bueiro. Ao abaixar para resgatá-lo, George dá de cara com um palhaço que está lá embaixo! Conversando com o palhaço, descobrimos que ele se chama Pennywise! Mas, ao contrário do que George esperava, ele não é seu amigo, e puxa o menino pelo braço para dentro do bueiro! George é a primeira vítima da história que conhecemos.

28 de setembro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #100

Olá gente lindaaaa!
A indicação de dorama da semana é "Oh My Geum Bi", também conhecido como "My Fair Lady"que comecei a assistir em novembro de 2016, mas só tive psicológico para ver aos pouquinhos, por isso demorei para terminar. O dorama foi exibido de 16 de novembro de 2016 a 5 de janeiro de 2017.

Sinopse: Oh Ji Ho (Chuno, Couple or Trouble), Park Jin Hee (Giant, Kimchi Family) e Heo Jung Eun (Hyde, Jekyll and I) estrelam em um melodrama que mostra como o sofrimento algumas vezes é o melhor jeito de restaurar a nossa fé na vida. Mo Geum Bi (Heo Jung Eun) tem oito anos. Ela é doce, amável e persistente. Infelizmente, mesmo sendo tão jovem, Geum Bi é diagnosticada com a Doença de Niemann-Pick. Uma mutação genética referida como o "Alzheimer infantil" devido a deterioração mental e física que ela causa. Um dia, Geum Bi aparece na porta de Mo Hwi Chul (Oh Ji Ho), o pai que viveu longe dela, já que a mãe (Oh Yoon Ah) já havia se separado dele e o considerava o pior dos lixos. Inicialmente, Hwi Chul fica irritado com a aparição dela e tenta afastá-la, mas Geum Bi é forte demais para deixá-lo importuná-la. Entretanto, enquanto perde lentamente sua saúde e sua memória, Geum Bi precisa de alguém para cuidar dela - alguém melhor que Hwi Chul, um vigarista e perdedor que não tem objetivos na vida. Assim que ele começa a valorizar a filha, Mo Hwi Chul finalmente aprende sobre a vida. Ele aprende sobre a beleza ao seu redor, o valor do tempo e a preciosidade de cada respiração de alguém que não desiste e não deixa a doença sujar sua visão sobre o mundo. Juntos, eles riem, amam e vivem, mostrando à doença quem é que manda. Simultaneamente, como se a humanidade deles estivesse destinada a trazer mais alguém em suas vidas, eles cruzam o caminho de Go Gang Hee (Park Jin Hee), uma arborista pessimista que passa a maior parte do tempo sozinha ou procurando artefatos culturais roubados, e que se envolve na vida da dupla. Será que as três almas, cada uma com seus problemas e alegrias, conseguirão encontrar um motivo para abrirem seus corações? Ou a felicidade não é possível quando a vida não nos dá tempo para aproveitá-la? 

ELENCO PRINCIPAL: 

- Oh Ji Ho como Mo Hwi Chul (vigarista que ganha a vida dando golpes em pessoas ricas; sua vida muda quando uma garota de oito anos aparece dizendo ser sua filha e o "salva" de ser preso);
- Park Jin Hee como Go Gang Hee (mulher rica e solitária que carrega uma grande culpa nos ombros desde a morte da irmã caçula, 15 anos atrás. Ao conhecer Geum Bi ela logo se encanta e volta a sorrir);
- Heo Jung Eun como Mo Geum Bi (garota de 8 anos que não conhece os pais e é criada por uma tia, até ser abandonada por ter uma rara doença; ela tem apenas um nome e endereço daquele que a tia lhe disse ser seu pai biológico);
- Oh Yoon Ah como Jang Joo Young (mãe biológica de Geum Bi);
- Lee Ji Hoon como Cha Chi Soo (ex- amigo de Hwi Chul; quer se vingar, mas sua vida e sua percepção do mundo começa a mudar ao conhecer Geum Bi).

Minha opinião: Amei e chorei como se não houvesse amanhã!
Bem, não posso dizer que fiquei surpresa com o quanto esse dorama me fez chorar, já que logo na sinopse somos informados que a história gira em torno de uma garotinha de 8 anos que tem uma doença rara e incurável, né?! Mas posso dizer que chorei mais com o fato de Geum Bi ser tão madura, tão conformada em relação a seu destino e, mais que isso, pelas lições que ela ensina ao longo dos episódios.
Mo Geum Bi é uma garotinha de 8 anos, extremamente esperta e independente. Ela tem o hábito de recitar todas as estações de metro assim que abre os olhos pela manhã, isso para verificar se ainda se lembra de tudo ou se sua memória já começou a ficar nebulosa. 
O motivo dessa preocupação é que Geum Bi foi diagnosticada com a Doença de Niemann-Pick, uma mutação genética referida como o "Alzheimer infantil". É só uma questão de tempo para que seu corpo e sua mente definhem. Por isso, Geum Bi não fica surpresa ao ser abandonada pela tia que a criou até agora e, munida apenas de um pedaço papel contendo o endereço e número de telefone daquele que supostamente seria seu pai biológico, ela vai ao encontro desse homem desconhecido.

24 de setembro de 2017

UNBOXING!! - Le Cute Pepelaria Criativa!

Olá gente lindaaaa!!!
Recetemente eu fiz uma postagem aqui no blog falando sobre a parceria com a Le Cute Papelaria Criativa, uma papelaria especializada em planners, agendas, diários, etc. Pois bem, recebi uma caixinha da Le Cute e gravei um vídeo abrindo a caixa junto com vocês. Confiram!

23 de setembro de 2017

10 doramas disponíveis na Netflix! (parte 2)

Olá gente lindaaa!
Bem, não sei se vocês perceberam, mas os doramas estão tomando conta da Netflix nos últimos tempos (vamos dominar geral!). Há mais de um ano atrás eu fiz um post indicando 10 doramas disponíveis na Netflix. Pois bem, chegou a hora de renovar essa listinha. Conheçam mais 10 doramas, dos quais alguns eu já assisti e outros estão na minha lista infinita.

1) Stranger

Sinopse: Quando um promotor frio se depara com uma onda de assassinatos, ele se vê obrigado a se juntar a uma policial fervorosa para capturar um psicopata e acabar com a corrupção no próprio ambiente de trabalho dele. Hwang Shi Mok (Cho Seung Woo) é promotor. Por oito anos, ele foi o único promotor honesto em um sistema legal insanamente corrupto. Além de sua integridade inabalável, ele também possui outra qualidade única. Durante a infância dele, o promotor fez uma cirurgia no cérebro, e um dos efeitos colaterais da cirurgia foi ele perder a habilidade de sentir emoção. Ele é frio, solitário e racional demais. As únicas pessoas com quem interage são com os colegas dele, Seo Dong Jae (Lee Joon Hyuk de Bluebird’s House e City Hunter) e a promotora estagiária Yeong Eun Soo (Shin Hye Sun de She Was Pretty e Oh My Ghostess). 

Gênero: Drama, Detetive, Investigação Criminal, Lei, Suspense | Episódios: 16 | Ano: 2017


2) My Only Love Song (mini drama)

Sinopse: Song Su Jeong (Gong Seung Yeon) é uma atriz famosa que acredita que o dinheiro pode mover montanhas e conseguir qualquer coisa. Subitamente, fugindo do set de filmagens de um drama histórico, ela atravessa um portal que a leva de volta no tempo para a era Joseon, onde se encontra com On Dal (Lee Jong Hyun). On Dal é obcecado com conseguir dinheiro e demonstra fazer de tudo para consegui-lo mas, na realidade, é uma pessoa generosa para com os pobres e os mais fracos. Como se desenrolará o encontro de On Dal e Su Jeong, em uma época tão diferente da história coreana?
Eu assisti "My Only Love Song" recentemente e já tem resenha dele aqui no blog (CONFIRAM AQUI!).

Gênero: Drama, Comédia, Histórico, Romance | Episódios: 20 (média de 15 minutos cada) | Ano: 2017

21 de setembro de 2017

Na Telinha ou na Telona... #99

Olá gente lindaaaa!!!
Hoje eu vim falar sobre o dorama coreano "Beautiful Mind" (Mente linda), do qual falei brevemente no vídeo Tag dos 50% - Doramas. Há tempos eu estava curiosa em relação a esse dorama, tanto por adorar o ator Jang Hyuk (Fated to Love You) quanto pela premissa interessantíssima. E, felizmente, o dorama não me decepcionou.

Sinopse: Quão perigoso é um genial neurocirurgião incapaz de sentir qualquer coisa pelos seus pacientes? Lee Young Oh (Jang Hyuk) é o melhor no que faz, porém, por causa de um acidente no seu lobo frontal, ele não sente simpatia pelos seus pacientes e possui uma personalidade instável. Mas, quando uma série de pacientes morrem de formas estranhas no hospital, investigadores da polícia voltam suas atenções para Young Oh. Será que uma policial novata (Park So Dam) poderá ajudar Young Oh a abrir seu coração e aprender a amar novamente? "Beautiful Mind" é uma série dramática sul-coreana de 2016, dirigida por Mo Wan Il. A série é levemente baseada no clássico romance de Mary Shelley, "Frankenstein".

ELENCO PRINCIPAL:

- Jang Hyuk como Lee Yeong Oh (um médico brilhante com mãos hábeis, lógica inigualável e firmeza destemida. No entanto, ele não tem a capacidade de simpatizar, nem mesmo com seus pacientes);
- Park So Dam como Gye Jin  Seong (uma jovem policial que age estritamente de acordo com as regras e regulamentos; inicialmente ela vê Lee Yeong Oh como alguém perigoso, mas acaba descobrindo que ele é bastante lamentável, de modo que não consegue se afastar dele);
- Yoon Hyun Min como Hyun Suk Joo (um cardiologista experiente e com mãos ágeis; é famoso entre colegas e pacientes e aquele com quem todos querem trabalhar, mas que precisa escolher entre ser um bom médico ou uma boa pessoa);
- Park Se Young como Kim Min Ji (médica no departamento de neurologia do hospital Hyunsung, se formou e uma universidade do interior, por isso é passada para trás por seus colegas de trabalho, de modo que sempre trabalha muito e é pouco reconhecida; é namorada de Lee Yeong Oh).

Minha opinião: Amei!!
Por onde começar a falar de "Beautiful Mind"? Sinceramente, não sei.
Eu costumo gostar bastante de doramas médicos, mas acho que "Beautiful Mind" se encaixa mais no gênero mistério. Já já eu explico o motivo.
Antes de mais nada devo informar que o papel do protagonista foi oferecido aos atores Kim Soo Hyun (My Love from Another Star, Producer, Dream High), Yoo Ah In (Chicago Typewriter), Lee Jong Suk (Pinocchio, W - Two Worlds) e Choi Jin Hyuk (Emergency Couple, The Heirs, Tunnel) porém todos recusaram. E, querem saber? QUE BOM QUE RECUSARAM, porque Jang Hyuk arrasou muito no papel!
Desde o primeiro episódio desse dorama eu fui fisgada completamente, não por ter sido cativada pelo charme do protagonista, ou simpatizado com ele, mas pelo fato de, por vários episódios, eu não saber em quem confiar.
Imaginem um neurocirurgião brilhantes, mas que nãos ente qualquer empatia por ninguém, nem mesmo por seus pacientes. Ele aceita ou recusa pacientes de acordo com as probabilidades de sucesso ou fracasso, pouco se importando com o desespero ou sofrimento alheio, já que ele não pode sentir, simpatizar ou entender.