26 de julho de 2017

DIVULGANDO: DarkSide Books lança "A longa viagem a um pequeno planeta hostil", de Becky Chambers!

Olá gente lindaaaaa!
Eu só estou passando pra dizer que eu não aguento mais esses lançamentos da DarkSide Books. Sério, eu não consigo acompanhar! É tanto livro incrível e eu quero todos! É livro demais pra pouco EU, gente!
Não bastassem tantos outros títulos laçados esse anos que já estão na minha wishlist (AQUI), agora minha listinha acabou de crescer: essa semana a editora divulgou capa e sinopse de "A longa viagem a um pequeno planeta hostil", de Becky Chambers, que será lançado em agosto.


Você nem imagina os mistérios que existem do outro lado do Universo. Se tiver coragem de desbravá-los, é melhor se preparar. Esta não será uma jornada rápida e os perigos podem surgir a cada momento, de onde menos se espera.
A boa notícia é que você não estará sozinho. Milhares de leitores em todo o mundo já embarcaram nas páginas desta que é A LONGA VIAGEM A UM PEQUENO PLANETA HOSTIL.

A longa viagem a um pequeno planeta hostil
Autor(a): Becky Chambers
352 páginas (capa dura)

Sinopse: Um dos motivos do sucesso de A LONGA VIAGEM A UM PEQUENO PLANETA HOSTIL é a abordagem da história. Elementos essenciais em qualquer narrativa sci-fi estão muito bem representados, como a precisão científica e suas possíveis implicações políticas. O gatilho principal é a construção de um túnel espacial que permitirá ao pequeno planeta do título participar de uma aliança galáctica.
Mas o que realmente torna único esse romance on the road futurístico e muito divertido são seus personagens. Instigantes, complexos, tridimensionais. A autora optou por contar a história de gente como a gente — ainda que nem todos sejam terráqueos, ou mesmo humanos.
A tripulação da nave espacial Andarilha é composta por indivíduos de planetas, espécies e gêneros diferentes, incluindo uma piloto reptiliana, uma estagiária nascida nas colônias de Marte e um médico de gênero fluido, que transita entre o masculino e o feminino ao longo da vida.
Temas como amizade, racismo, poliamor, força feminina e novos conceitos de família fazem parte do universo do livro, assim como cada vez mais fazem parte do nosso mundo.
Becky Chambers segue os passos da pioneira Ursula K. Le Guin (A Mão Esquerda da Escuridão e Despossuídos), e inclusive presta homenagem à inventora do ansible, um dispositivo de comunicação interplanetária, em sua obra. A visão feminina e acurada de autoras como Becky e Ursula permite desconstruir velhos clichês e quem sai ganhando são os amantes da literatura sci-fi — de todos os gêneros e espécies.

24 de julho de 2017

Primeiras Impressões: "Hoje eu sou Alice", de Alice Jamieson

Olá gente lindaaaa!!
Hoje venho dividir com você minhas primeiras impressões sobre o livro "Hoje eu sou Alice", que conta a dura história de Alice, uma mulher que, aos 24 anos, foi diagnosticada com transtorno de personalidade múltipla e nos conta, em primeira pessoa, o que causou esse transtorno. Ela não mede palavras e não usa metáforas, conta as coisas como elas realmente são, sem medo de chocar o leitor ou causar qualquer desconforto.

"Naquele dia ela era Alice, mas já havia sido Billy, Samuel, Shirley..."

Sinopse: Em 'Hoje eu sou Alice' a autora relata a jornada de uma vítima de transtorno de múltipla personalidade, que precisou lutar contra a anorexia, o álcool e contra nove personalidades alternativas que emergiram após ficarem adormecidas diante de uma infância cruel. Sem controle, Alice entregou-se a elas - e sua vida passou a ser um caleidoscópio de acontecimentos e revelações. Este é o relato sobre uma doença e sobre a história de uma mulher que decidiu lutar contra a realidade e a imaginação.

Até o momento eu li apenas 150 páginas, metade do livro. Ontem, domingo (23/07), eu pretendi ler a metade restante e trazer uma resenha completa pra vocês hoje, mas... "Hoje eu sou Alice" não é um livro para ser devorado. Apesar da linguagem simples e clara, as situações relatadas causam desconforto (para dizer o mínimo) do começo ao fim.
Sabe quando lemos "senti a bile subindo" ou algo parecido com isso em alguns livros? Bem, sempre achei essa frase tão clichê quanto "soltei o ar, sem perceber que o estava prendendo". No entanto, com "Hoje eu sou Alice", senti na pele: eu realmente senti a bile subir - várias vezes - e precisei interromper a leitura.

20 de julho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #90

Olá gente lindaaaa!
Hoje é dia de.... indicação de dorama, claro! o/
A indicação da vez é "My Secret Romance" (Meu romance secreto), uma boa opção pra quem quer assistir algo leve e engraçadinho (e, de quebra, com um oppa lindíssimo!).
"My Secret Romance" é a primeira história romântica da rede OCN, que é famoso por dramas de ação e suspense (como Tunnel, do qual falei semana passada). Os 13 episódios do dorama foram exibidos de 17 de abril a 30 e maio deste ano. 

Sinopse: Cha Jin Wook (Sung Hoon) é um chaebol de segunda geração. A família dele é dona de uma grande empresa de nutrição. Jin Wook era um cara brincalhão que só pensava em festas. Para ele, o amor era algo de curto prazo. Até que um dia, ele conhece uma garota bonita em um resort em Jeju e passam a noite juntos. Jin Wook se apaixona perdidamente por ela, mas é abandonado mesmo assim. Depois disso, ele nunca mais é o mesmo. Lee Yoo Mi (Song Ji Eun) nunca teve um namorado na vida. Ela era o símbolo da inocência até cair no charme encantador de Cha Jin Wook três anos antes em um resort em Jeju. Pelo menos, Jin Wook pensava que ela também havia se apaixonado por ele. Mas, depois de passarem a noite juntos, Yoo Mi desaparece, deixando Cha Jin Wook sozinho. 
Três anos depois, Cha Jin Wook já não é mais o mesmo. Agora ele é um empresário com um coração de pedra, focado apenas no trabalho de sua empresa. O chaebol amante das festas morreu no resort há três anos e agora só resta um CEO sério. A cafeteria da empresa contrata uma nutricionista nova, que não é ninguém mais do que a Lee Yoo Mi, a garota cuja traição terminou com o espírito de festas do Cha Jin Wook. Quando os dois se encontram, eles fingem não se conhecerem, mas alguns segredos são difíceis de esconder. 
Os amantes de uma noite conseguirão esclarecer os mal-entendidos e finalmente descobrir se o que tinham era verdadeiro, ou o romance que tiveram foi tão fraco que seria melhor manter escondido? 
ELENCO PRINCIPAL:

- Sung Hoon como Cha Jin-Wook (um chaebol de segunda geração super mulherengo e irresponsável; porém ele muda completamente ao conhecer, se apaixonar e ser abandonado por uma desconhecida após um caso de uma noite);
- Song Ji-Eun como Lee Yoo-Mi (filha de uma atriz pornô que sempre sofreu bullying por conta da profissão da mãe e passou a se vestir de forma bastante conservadora para evitar falatório; após um caso de uma noite - sua primeira e única vez - ela tenta seguir em frente, sem imaginar que poderia reencontrar o homem);
- Kim Jae-Young como Jung Hyun-Tae (melhor amigo de Yoo-Mi, por quem nutre um amor unilateral; ele é um escritor famoso e dono de um bar / livraria);
- Jeong Da-Sol como Joo Hye-Ri (famosa âncora d eum programa de TV; uma garota bonita e nada modesta que é apaixonada por Jin-Wook há mais de 10 anos, sem que ele demonstre qualquer reciprocidade);
- Kim Jong-Goo como Cha Dae-Bok (pai de Jin-Wook; ele é louco para ver o filho casado, de preferência com a linda e doce Hye-Ri; é mais louco ainda para ter um neto);
- Nam Gi-Ae como Jo Mi-Hee (mãe de Yoo-Mi; foi atriz pornô no passado e faz questão de lembrar a todos sempre que tem a oportunidade, afinal ela morre de orgulho de seu trabalho, ainda que a filha sinta vergonha e sempre tenha sofrido por conta disso).

Minha opinião: Gostei!!
Bem, começo essa resenha dizendo que minhas expectativas em relação a "My Secret Romance" estavam nas alturas quando comecei a assistir, por isso dou um conselho... vai com calma.
O marketing em relação ao lançamento desse dorama foi tão, mas tão, mas tão trabalhado, que eu ficava surtando só com os teasers, por isso comecei a assistir assim que o primeiro episódio foi ao ar.
Lee Yoo-Mi, em um primeiro momento, aparenta ser uma jovem bastante antiquada. Apesar da idade, ela é extremamente conservadora em seu modo de se vestir, prefere livros de romance a festas (me identifiquei sim ou claro?). Mas, com o passar dos episódios os motivos desse jeito "certinho" dela vão ficando mais claros.
Sua mãe, uma ex-atriz pornô (isso mesmo, atriz pornô!), sempre foi motivo para que Yoo-Mi sofresse bullying no colégio e fosse motivo de chacota. Além disso, sempre houve a expectativa de que ela fosse uma garota fácil por conta da profissão nada convencional ou conservadora da mãe.

18 de julho de 2017

RESENHA: Boneco de Pano

Editora: Arqueiro
Autor(a): Daniel Cole
Número de páginas: 336

Sinopse: VOCÊ ESTÁ NA LISTA DE UM ASSASSINO. E ELA DIZ QUANDO VOCÊ VAI MORRER.
O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.
Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.
Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.

Olá gente lindaaa!
Hoje vim falar sobre um livro que já me cativou desde a sinopse (mesmo envolvendo toda essa bizarrice): "Boneco de Pano". Confesso que embora eu tenha gostado bastante da premissa em si, o desenrolar e o ritmo da história me decepcionaram um pouco um pouco. "Boneco de Pano" é o primeiro volume da série Detetive William Fowkes e livro de estréia do autor. Confiram a resenha abaixo:

William Oliver Layton-Fowkes, conhecido como Wolf é um polêmico detetive da polícia metropolitana que acaba de ser reintegrado à equipe, após meses de tratamento psicológico em uma clínica psiquiátrica. Há quatro anos, ao final de um longo julgamento em que o criminoso foi inocentado, Wolf perdeu o controle e agrediu o réu inocentado em pleno tribunal. É exatamente como o livro se inicial, no último dia do tal julgamento.
Agora, finalmente de volta à ativa, muito embora sua vida profissional, pessoa e mesmo emocional não sejam mais as mesmas, ele está feliz por estar de volta. No entanto, ele recebe um telefonema em plena madrugada, Emily Baxter, sua colega de trabalho e amiga de longa data precisa de sua ajuda para resolver um estranho caso de assassinato: um cadáver foi encontrado, suspenso por vários fios de náilon em um apartamento em frente ao prédio onde Wolf mora. Além do estranhíssimo fato de o cadáver estar apontando o dedo para o apartamento de Wolf, o mais estranho é o fato de o cadáver ser composto por partes de corpos diferentes, costuradas como um bizarro boneco.

13 de julho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #89

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar de um dorama policial que comecei a assistir assim que estreou e fiquei surtando a cada episódio. Estou falando de "Tunnel" (Túnel), que mescla viagem no tempo, investigação policial, assassinatos em série e tudo mais que vai te prender do começo ao fim. Não assistia algo do gênero desde "Love me if you dare" e posso dizer que é tiro atrás de tiro. Uma boa opção para maratona. Sério.
"Tunnel" foi ao ar entre 25 de março e 21 de maio de 2017, pelo canal sul-coreano de televisão OCN.

Sinopse: Quando um investigador persegue um criminoso em um túnel, ele acaba indo parar trinta anos no futuro, em um mundo onde nada lhe é familiar, exceto um assassino. 
No ano de 1986, Park Kwang Ho (Choi Jin Hyuk) é um apaixonado e antiquado investigador. Ele faz qualquer coisa para capturar criminosos, até mesmo amizade com cúmplices. Ele faz de tudo para que a lei seja aplicada, ele pensa com seus punhos e não tem tempo para ser politicamente correto. Em uma noite de perseguição, o investigador está na cola de um criminoso e entra em um túnel, porém, ao final da perseguição, o criminoso some e ele se vê no ano de 2017, onde os assassinatos começaram novamente. 

ELENCO PRINCIPAL:

- Choi Jin Hyuk como Park Kwang Ho (investigador de polícia dos anos 1980; ele está trabalhando em um caso de assassinato em série - em uma época em que isso ainda nem era conhecido -, mas ao tentar capturar um suspeito, é transportado para o ano de 2017);
- Lee Yoo Young como Shin Jae Yi (misteriosa psiquiátrica que trabalha como professora universitária em 2017; ela é especialista em mulheres assassinas. Passa a ajudar a polícia na investigação de alguns crimes de assassinato, tentando identificar o modus operandi e traçar a personalidade de assassinos);
- Yoon Hyun Min como Kim Sun Jae (tenente de polícia - em 2017 -, que não se perdoa por ter deixado um assassino em série escapar. Seu maior objetivo é colocar esse assassino atrás das grades, pois ele acredita se tratar do assassino de sua mãe);
- Jo Hee Bong como Jun Sung Sik (Chefe de polícia que na década de 1980 foi um novato que auxiliava o invertigador  Park Kwang Ho);
- Kim Min Sang como Mok Jin Woo (médico legista que trabalha para a polícia).


Minha opinião: Amei!!
Bem, quem acompanha o blog e as indicações de dorama que tem por aqui, já deve ter percebido que histórias de suspense, investigação e etc não são as mais frequentes, mas assim que "Tunnel" estreou e eu comecei a ver com frequência algumas postagens sobre ele em grupos no Facebook, eu logo fiquei curiosa. Só me arrependo de ter começado a assistir antes de o dorama estar completo, pois foi uma angústia sem fim ficar aguardando os episódios semanais.
O ano é 1986 e vários assassinatos semelhantes tem acontecido. As vítimas, sempre mulheres, são encontradas amordaçadas, com mãos e pés amarrados e sinal de enforcamento. Várias são as semelhanças entre as vítimas, dentre elas o fato de serem jovem, usarem saias. Além, é claro, do fato de serem estranguladas com uma meia-calça.
É importante observar que esse dorama (assim como tantos outros) é baseado em um caso real ocorrido na década de 1980, em que o assassino nunca foi encontrado.

12 de julho de 2017

DIVULGANDO: Não me esqueças, de Babi A. Sette!

PARA TUDOOOOO QUE NOSSA RAINHA CHEGOU COM MAIS UM ROMANCE DE ÉPOCA!

Ah, olá gente lindaa! Tudo bem com vocês? Eu estou ótima e transbordando de alegria por divulgar mais um romance da minha autora nacional favorita, Babi A. Sette. Foram liberadas a capa e a sinopse de "Não me esqueças", terceiro volume da série "Flores da Temporada"

Em um cenário de contos de fadas, Babi A. Sette convida o leitor a mergulhar em um mundo novo, repleto do encantamento que somente um amor de almas gêmeas pode realizar

Não me esqueças (Flores da Temporada #3)
350 páginas | R$ 39,90
Pré-venda: Livraria Cultura

Sinopse: Aos vinte e um anos, Lizzie deveria estar empenhada em fisgar um noivo e finalmente se casar. Entretanto, após uma decepção amorosa, o coração da jovem só palpita por sua grande paixão — os estudos sobre o povo e a cultura celtas. Esse interesse faz com que ela troque os concorridos salões de baile de Londres pelas estradas desertas e sinuosas das Highlands escocesas.
Ali, ela conhecerá Gareth, o enigmático líder do clã que vive no local mais remoto e bucólico da Escócia. Envolto em uma aura de mistério, ele luta para manter suas tradições, seus segredos e, principalmente, seu povo em segurança.
Enquanto o austero Gareth tem a vida toda sob controle e resiste a mudanças, Lizzie está muito entusiasmada com suas explorações e descobertas. Porém a vida de ambos é alterada de maneira inexorável quando uma fatalidade transforma a tão sonhada aventura de Lizzie em pesadelo.
Vindos de mundos tão diferentes, mas unidos por uma atração irresistível, Lizzie e Gareth vivem uma paixão proibida e desafiadora, sem saber que finalmente poderão encontrar aquilo que só ousavam buscar em sonhos.

9 de julho de 2017

Na Minha Caixa de Correio!! #156

Olá gente lindaaaa!
Já faz um bom tempo que não recebo nada, mas na última semana chegaram alguns livros (que eu estou LOUCA para ler!). Confiram!

COMPRINHAS:

- Hoje eu sou Alice - Alice Jamieson (Editora Larousse)
336 páginas (amarelas).
Eu estou LOUCA para ler esse livro. Desde que ao dorama coreano "Kill me, Heal me", cujo personagem principal sofre de transtorno de múltipla personalidade (e tem nada mais, nada menos que 7 personalidades diferentes!), fiquei procurando por casos reais. Foi assim que encontrei esse livro, que conta a história real de uma mulher que, após sofrer um grande trauma na infância, desenvolveu transtorno de múltipla personalidade, tendo de lidar, conviver e sobreviver a 9 personalidades distintas. Será minha próxima leitura.

7 de julho de 2017

WISHLIST: Aniversário 2017!

Olá gente lindaaaa!!
Meu aniversário é na próxima segunda-feira, 10 de julho, e para não perder o hábito fiz um listinha com os "itens mais desejados do momento" (por mim, claro). Começo listando os livros que venho cobiçando:

[clique na capa para conferir a sinopse de cada livro]
   
   
   

Hey, esses livros também fazem parte da sua wishlist ou você deseja me presentear com algum deles? Então aproveitem para checar se há algum cupom de desconto no site Cupom Válido. Há cupons de desconto de diferentes lojas (de diversos segmentos), o que pode ajudar muito nas suas compras. Lá vocês podem encontrar, por exemplo, cupons de desconto da Americanas, Amazon, Fnac, Livraria Cultura, Livraria da Folha, Livraria da Travessa, etc.

6 de julho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #88

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar sobre "She Was Pretty" (Ela era Linda), um dorama coreano que eu maratonei em maio. Sim, os últimos meses foram recheados de maratonas de doramas, né?! Tanto que ainda tenho 5464578595 postagens sobre doramas agendados para as próximas semanas.
"She was Pretty" foi exibido pelo canal de tv sul-coreano MBC.

Sinopse: É possível super romantizar uma preciosa recordação da infância? Ji Sung Joon (Park Seo Joon) era um garoto tímido e gordinho que era constantemente caçoado pelas outras crianças por causa de sua forma redonda. Quando ele se transfere para uma nova escola no quinto ano e conhece Kim Hye Jin (Hwang Jung Eum), a garota mais linda e popular da escola, sua vida dá uma reviravolta. A doce Hye Jin torna-se sua única amiga e protetora — e eles se tornam o primeiro amor um do outro. Mas então tudo muda quando a família de Sung Joon emigra para os Estados Unidos e a empresa do pai de Hye Jin vai à falência, mudando o estilo de vida luxuoso que tinham antes. Mas isso não é tudo! A beleza de Hye Jin vinha de sua semelhança com a mãe. Mas assim que Hye Jin atinge a puberdade, ela adquire o problema de pele genético de seu pai, que deixa cicatrizes avermelhadas na pele do rosto, fazendo-a parecer um guaxinim. Quinze anos depois, Sung Joon é uma nova pessoa — homem atraente e diretor de arte bem-sucedido — que é transferido do escritório Nova York da revista de moda “The Most” para Seul para trabalhar como editor-chefe adjunto. Ele tenta encontrar sua amiga de infância, Hye Jin, novamente. Mas envergonhada de sua atual aparência pouco atraente, Hye Jin pede a sua melhor amiga, a estonteante Min Ha Ri (Go Jun Hee), que se passe por ela. Mas quando Hye Jin, de repente, é transferida para o departamento de revista em seu novo emprego para trabalhar como estagiária sob a chefia de Sung Joon, por quanto tempo ela conseguirá manter sua verdadeira identidade em segredo? 

ELENCO PRINCIPAL:

- Hwang Jung-eum como Kim Hye-jin (estagiária em um revista de moda; reencontra um amigo de infância e primeiro amor após 15 anos, mas decide manter sua identidade em segredo por sentir vergonha de sua atual aparência);
- Park Seo-joon como Ji Sung-joon (editor de uma famosa revista de moda que veio transferido de Nova Iorque; ele voltou a Coréia com a esperança de reencontrar seu primeiro amor, Hye-jin);
- Go Joon-hee como Min Ha-ri (melhor amiga de Hye-jin; as duas são inseparáveis, por isso ela aceita se passar pela amiga e encontrar com Sung-joon, mas acaba se apaixonando);
- Choi Siwon como Kim Shin-hyuk (repórter na revista The Most; ele é o mais brincalhão e irritante de toda a equipe e logo encontra sua diversão em perturbar Hye-jin, mas no fundo é uma boa pessoa e acaba se tornando um grande amigo dela - e se apaixonando por ela).

Minha opinião: adorei!
Bem, esse dorama já não é tão novo, é de 2015, mas nas últimas semanas eu assisti dois episódio em que a atriz Hwang Jung-eum foi protagonista (Kill me, Heal me, Secret Love), e no primeiro os protagonistas de "She was Pretty" interpretam dois irmãos. O que estou querendo dizer é que uma coisa sempre acaba levando a outra. Dorameiro que é dorameiro sempre acaba querendo assistir tudo o que certo ator ou atriz fez.
Na infância, Kim Hye-jin era uma garota linda, inteligente e super justiceira. Assim, quando um novo aluno chega à escola e passa a sofrer bullying por ser gordinho, ela logo toma as dores do garoto, o defende e acaba se tornando sua melhor amiga e protetora. Além disso, Hye-jin e Ji Sung-joon acabam sendo o primeiro amor um do outro.
Porém, quando Ji Sung-joon se muda para os Estados Unidos e a família de Hye-jin vai à falência, eles acabam perdendo contato.
Quinze anos se passam, Sung-joon está de volta à Coréia da Sul e deseja reecontrar Hye-jin. No entanto, muitas coisas mudaram: enquanto Sung-joon se tornou um homem lindo e bem sucedido, Hye-jin perdeu a beleza que tinha na infância, já que a partir de sua adolescência ela acabou adquirindo características do pai, que incluem manchar vermelhas no rosto. Além disso, ela está desempregada e acredita não ter nada de bom para contar.

3 de julho de 2017

RESENHA: O Último Adeus

Editora: DarkSide Books
Autor(a): Cynthia Hand
Número de páginas: 352

Sinopse: O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. 
O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. 
O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.
Olá gente lindaaa!
Confiram o que nossa resenhista Ana Paula achou do livro "O Último Adeus", publicado pela editora DarkSide Books.
***

"O Último Adeus" acompanha a vida recentemente abalada de Alexis, ou Lexie, que acaba de perder seu irmão mais novo, Tyler, que cometeu suicídio deixando apenas um breve recado, escrito num post-it amarelo que dizia “Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio.”
Muito confusa e abalada com o que houve, Lex tenta retomar sua vida, mas além de lidar com sua tristeza, uma avalanche de obstáculos aparece e dificulta mais ainda seu processo de cura: há o recente término de relacionamento com Steve, sua mãe que começa a beber, seu pai ausente e seu próprio fechamento em si mesma, que a faz se afastar de suas amizades. 
Com isso ela acaba procurado ajuda com Dave, seu terapeuta, que lhe encarrega a tarefa de escrever em um diário o que sente, tentando assim descarregar um pouco do peso que carrega. É por isso que o livro tem partes que se parecem com um diário.
"Essa coisa toda tem me prejudicado, penso. Sou uma tábua exposta à chuva, é impossível me desempenar, Agora sou assim, retorcida." (página 189)

29 de junho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #87

Olá gente lindaaaa!!
Hoje vim falar de um dorama que foge um pouco do que que estou acostumada, por ter ZERO romance. Estou falando de "Chief Kim" (Chefe Kim), que foi exibido de 25 de janeiro a 30 de março de 2017, pelo canal sul-coreano KBS2.

Sinopse: A política corporativa pode transformar uma pessoa ruim em uma pessoa boa? Kim Sung Ryong (Namgoong Min) é um contador competente que trabalha para bandidos. Ele fez sua carreira dentro de uma empresa chamada TQ Group como gerente de nível médio, no departamento de contabilidade, com a intenção de desviar dinheiro da empresa para poder viver aposentado na sua querida Dinamarca. O procurador que se tornou consultor corporativo Seo Yool (Junho) levou Sung Ryong para a empresa porque ele presumiu que Sung Ryong seria fácil de controlar e iria fazer vista grossa para toda a corrupção financeira que está acontecendo na empresa sob a direção do presidente Park Hyun Do (Park Young Gyu). Quando Sung Ryong experimenta trabalhar como assistente do diretor, Yoon Ha Kyung (Nam Sang Mi), e o resto do pessoal que trabalha duro no departamento de contabilidade, ele acaba por frustrar as muitas tentativas da empresa de arrasar com os direitos dos funcionários. A mentalidade de Sung Ryong começa a mudar sobre o que ele veio fazer exatamente no TQ Group. De qual lado ele decidirá ficar? "O Chefe Kim" é uma novela sul-coreana de 2017 dirigida por Lee Jae Hoon.

ELENCO PRINCIPAL:

- Nam Goong Min como Kim Sung Ryong (um homem talentoso com naturais para números e uma mente extraordinária para conseguir dinheiro. Ele usa seus talentos como sua fonte de dinheiro, mas não de forma totalmente honesta: ele é especialista em "lavar" dinheiro);
- Nam Sang Mi como Yoon Ha Kyung (uma mulher com uma beleza única que viveu uma infância típica como atleta olímpica; atualmente trabalha como subchefe no departamento contábil da TG Group; possui um forte senso de orgulho em seu trabalho);
- Lee Jun-ho como Seo Yool (um procurador inteligente e carismático, que passa a se tornar um diretor de uma grande empresa);
- Jung Hye Sung como Hong Ga Eun (uma investigador do departamento de investigação especial da acusação que finge ser um estagiário "real" no Grupo TQ).

Minha opinião: Adorei!
Eu comecei a assistir "Chefe Kim" depois de ver algumas cenas engraçadíssimas do dorama em grupos sobre dorama no Facebook, e como já havia gostado da atuação super cômica do ator Nam Goong Min (que interpreta o protagonista) em "Dear Fair Lady Kong Shim", não pensei muito antes de dar play.
É claro que o humor está presente do começo ao fim, mas "Chefe Kim" é um dorama que nos trás muitas reflexões sem que nos demos conta. A principal delas, acredito, é que nunca é tarde para ser alguém melhor. Nunca é tarde demais para sermos a melhor versão de nós mesmo e nunca fomos tão longe no caminho errado que não possamos dar meia volta e retornar.
Se tem uma coisa que nosso protagonista, Kim Sung Ryong, é lavar dinheiro. Ele é especialista em maquiar livros de contabilidade e fazer tudo parecer certo e perfeito, por isso trabalha fazendo exatamente isso para uns bandidos em uma cidade pequena. 
No entanto, seu sonho é emigrar para a Dinamarca, que é considerado um dos países com menos corrupção no mundo inteiro. Segundo Sung Ryon, os números não mentem, quem mente são as pessoas que lidam com números.
Assim, ao saber da possibilidade de ser contratado pelo  grande Grupo TQ, ele vê sua chance de conseguir dinheiro suficiente para realizar seu sonhos. Seu objetivo é ser contratado e conseguir "surrupiar" alguns milhões da empresa para poder ir embora do país e viver de forma limpa em outro país.

27 de junho de 2017

NOVIDADES!! #248

Olá gente lindaaaa!!
O mês de junho já está dando "tchau", mas ainda dá tempo de conferir os lançamentos da Editora Harlequin!

Perigosa Atração
Autor(a): Maya Banks
268 páginas

Sinopse: Quando ainda era adolescente, Eliza Cummings descobriu que o perigo pode se esconder atrás de um rosto encantador e de um sorriso apaixonante. Depois de ajudar a colocar na cadeia o monstro que a aterrorizou, ela muda completamente de vida. Com um novo nome e uma missão, Eliza torna-se especialista em proteger pessoas. Mas nem mesmo seus dez anos de treinamento poderiam prepará-la para a notícia que acaba de receber: seu pior pesadelo está de volta, em liberdade. Agora, para salvar a todos que ama, ela precisa enfrentá-lo. Sozinha.
Wade Sterling sabe que algo está errado. Desde que conheceu Eliza, ela nunca demonstrou medo. Pelo contrário, sempre encarou todos os desafios com coragem, colocando as necessidades dos outros à frente das suas. Uma das qualidades que o encantam… e o irritam. Por mais que não goste de admitir, Eliza é a única mulher que consegue abalar seus sentimentos. Mas, ao vê-la assustada, o instinto de Wade entra em alerta. Ele sente que precisa ajudá-la, e irá fazer de tudo para protegê-la!

 Cartas para uma Falsa Dama
Autor(a): Carol Townend
288 páginas

Sinopse: Ainda recém-casado, o conde Tristan deixou sua esposa para defender o ducado da Bretanha. Dois anos se passaram desde a última vez que Francesca vira o belo rosto do marido. Durante todo esse tempo, ela escreveu incessantemente para Tristan, mas não recebeu resposta. Nem mesmo após descobrir que não era a filha verdadeira do conde Myrrdin. Aflita, ela esperava receber o pedido de anulação do casamento a qualquer momento. Porém, quando Tristan retorna, Francesca percebe que não é a única assombrada por segredos do passado.

26 de junho de 2017

RESENHA: Por favor, cuide da Mamãe

Editora: Intrínseca
Autor(a): Kyung-Sook Shin
Número de páginas: 240

Sinopse: Em que momento da vida entendemos os sacrifícios que nossas mães fizeram? E o que acontece se é tarde demais para agradecer?
Por favor, cuide da Mamãe conta a história de Park So-nyo. Moradora de uma aldeia no interior da Coreia do Sul e mãe de cinco filhos já crescidos, ela desaparece ao chegar a Seul para visitá-los. Como fez a vida toda, o marido, com quem Park é casada há mais de 50 anos, simplesmente supôs que a esposa o seguia e a deixou para trás numa estação de metrô. Essa é a última vez que Park é vista.
Enquanto a procuram pelas ruas da cidade, o marido e os filhos relembram a vida de Park So-nyo e repassam mentalmente tudo o que não disseram a ela. Por meio de suas vozes, começamos a entender os desejos, as dores e os segredos de uma mulher que ninguém nunca conheceu de verdade. E, à medida que o mistério do seu desaparecimento se desenrola, deparamos com um enigma ainda maior, comum a todas as mães e filhos: como o carinho, a exasperação, a esperança e a culpa somam-se para dar origem ao amor.
Terno, redentor e belamente escrito, Por favor, cuide da Mamãe reconecta o leitor à própria história e a seus sentimentos mais profundos. Ao mesmo tempo um retrato da Coreia do Sul contemporânea e uma história universal sobre família e amor.
Olá gente lindaaa!!!
Uma frase que define bem o livro "Por favor, cuida da Mamãe" é: a gente só dá valor quando perde. E isso serve pra todos nós e cada um de nós. Nós costumamos viver em função do trabalho, da carreira ou de qualquer outra coisa e acabamos deixando de apreciar momentos simples, do nosso cotidiano, ao lado das pessoas que amamos. Sempre achamos que teremos muito tempo futuramente para essas coisas "desimportantes". Depois que eu terminar meus estudos, quando eu estiver financeiramente estável, depois que eu viajar pelo mundo, quando eu constituir minha família, quando eu terminar de resolver esses assuntos, quando eu me aposentar... Mas, quem sabe o tempo que cada um tem? Como saber se o amanhã virá? Como saber se uma oportunidade surgirá?

O livro gira em torno do desaparecimento de Park So-nYo, uma senhora de 69 anos, que sumiu em uma estação de metrô em Seul, quando se perdeu do marido. Com apenas cinco capítulos, acompanhamos, além da busca pela idosa, as angústias e arrependimentos de alguns personagens: a filha mais velha, que sempre foi temperamental e permanece solteira após os trinta anos; o primogênito da família e os privilégios e responsabilidades de o ser, o marido, que sempre foi ausente e negligente em relação à família e a esposa...
“- Você precisa estudar muito para conseguir ingressar em um mundo melhor.
Na época, você entendeu o que ela quis dizer? Quando ela a repreendia, quase sempre você a chamava de Mamãe. A palavra “Mamãe” é familiar e esconde um apelo: por favor, tome conta de mim. Por favor, pare de gritar comigo e faça um afago na minha cabeça; por favor, fique do meu lado, tenha eu razão ou não”.
(página 24)

22 de junho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #86

Olá gente lindaaaa!
Hoje venho falar sobre um dorama que eu maratonei no início de maio, mas só consegui encaixar uma postagem sobre ele agora, estou falando de "Lovely Love Lie" (Linda mentira de amor), também conhecido como "The Liar and His Lover" (O mentiroso e sua amante). Esse dorama foi exibido entre 20 de março a 9 de maio de 2017 pelo canal sul-coreano TvN.

"Lovely Love Lie" é baseado no mangá japonês "Kanojo wa Uso wo Aishisugiteru", escrito por Kotomo Aoki, que também já foi adaptado em um filme japonês de 2013.

Sinopse: Quando um famoso compositor de identidade secreta encontra uma garota com uma linda voz, é amor ao primeiro som. Mas encontrar o verdadeiro amor enquanto esconde a verdadeira identidade pode ser complicado. Kang Han Kyul (Lee Hyun Woo) é um famoso e talentoso compositor. Ter trabalhado para uma banda famosa por um longo período fez com que ele chegasse ao sucesso ainda muito jovem. Entretanto, o jovem rapaz caiu em uma profunda depressão e não vê mais motivos para continuar vivendo. Mas isso tudo muda quando ele escuta uma voz. 
Yoon So Rim (Joy) é uma estudante do ensino médio e dona de uma voz incrível. Yoon So Rim, ao conhecer Kang Han Kyul, consegue enxergar o peso e a dor que o compositor carrega no coração dele. Com a gentileza e serenidade dela, ela o convence de que a vida é preciosa, e usando o poder da voz dela, atinge o coração dele. O problema é que o Kang Han Kyul escondeu sua verdadeira identidade de Yoon So Rim. Para um homem apaixonado, seria possível viver um amor verdadeiro escondendo a própria identidade? 

ELENCO PRINCIPAL:

- Lee Hyun-woo como Kang Han-gyeol (ex-baixista da banda Crde Play, que formou com seus amigos na época do colégio; desiste antes de a banda estrear, por perceber que ele não é o melhor baixista. Agora ele trabalha nos bastidores como produtor musical da banda sob o nome "K". Para ele a música é e sempre foi sua prioridade)
- Joy (Red Velvet) como Yoon So-rim uma estudante do ensino médio de dezoito anos que possui uma linda voz. Ela está em uma banda formada por ela e dois amigos de infância. Seus pais morreram quando ela era pequena, por isso ela foi criada pela avó, a quem ajuda a tomar conta de sua loja de hortaliças);
- Lee Seo-won como Seo Chan-young (baixista que substituiu Han-gyeol em Crude Play. Ele sente que nunca faz parte do grupo e sente que Han-gyeol tira tudo dele. Isso faz com que ele despreze Han-gyeol. Além disso, ele também passa a ser produtor da banda de So-rim, como resultado da queda por ela);
- Lee Jung-jin como Choi Jin-hyuk (diretor da Sole Music, agência de Crude Play, Yoo-na e, posteriormente, da Mush & Co. Ele toma decisões precipitadas para provar ao CEO que ele é melhor do que ela, mas não percebe que essas decisões ferem e prejudicam seus artistas);
- Hong Seo-young como Chae Yoo-na (ex-namorada de Han-gyeol. Uma cantora que é criticada pela mídia por usar seu corpo para ganhar fama. Seus sentimentos por Han-gyeol nunca terminaram mesmo depois que eles se separaram).

Minha opinião: Gostei!
Bem, eu não sei vocês, mas eu adoro musicais! E... bem, essa foi a única razão que me levou a assistir "Lovely Love Lie". Simples assim.
Que eu sou apaixonada por dramas coreanos, não é novidades, mas eu não sou muito ligada em K-pop, por isso é sempre uma grata surpresa quando há tantos cantores(as) coreanos estrelando juntos em um dorama, assim tenho a oportunidade de conhecer um pouco de K-pop (rs). Em "Lovely Love Lie", além de ter a Joy (membro do grupo Red Velvet) como protagonista, também temos Kim SungJoo (do grupo UNIQ) como vocalista da banda fictícia Crude Play (eu não conheço praticamente nada sobre o grupo UNIQ, mas reconheci SungJoo de uma entrevista dos integrantes à uma revista brasileira quando eles estiveram no Brasil, em junho do ano passado).
Quanto a história, confesso que não tem muita novidade, é um romance bem fofinho, clichê e com um protagonista bem "sem sal", na minha humilde opinião, claro.
Yoon So-rim é uma jovem de 18 anos que está cursando o ensino médio, mas por sempre pensar em música, ela não vai muito bem nos estudos. Ela, juntamente com dois amigos, tem uma banda e sonha em viver da música, e o fato de ser tão talentosa é motivo de inveja por parte de colegas de sala. Apesar do talento e amor pela música, sempre que participa de concurso ou audições, So-rim entra em pânico e não consegue cantar, por causa de um medo de palco desenvolvido por um trauma na infância.
Certo dia, ao ajudar a avó em uma entrega (já que a avó é proprietária de uma loja de hortaliças), ela acaba esbarrando com Kang Han-gyeol, que acaba lhe pedindo emprestado o celular e nele grava uma música. Isso bastou para que So-rim se apaixonasse pelo desconhecido. A partir de então, ela convence seus amigos a ajudá-la e encontrar esse estranho, por meio de apresentações de rua. No entanto, ela nem imagina qual é a identidade dele... ele é ninguém mais, ninguém menos, que o produtor de sua banda favorita, a Crude Play.

19 de junho de 2017

RESENHA: The Heart of Bretrayal (Crônicas de Amor e Ódio #2)

Editora: DarkSide Books
Autor(a): Mary E. Pearson
Número de páginas: 402

Sinopse: Em The Heart of Betrayal — Crônicas de Amor e Ódio v.2, Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela.
Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino.
Olá gente lindaaaa!
Após várias semanas sem postar resenhas no blog, venho falar sobre o tiroteio, porrada e bomba que foi o Segundo volume da trilogia Crônicas de Amor e Ódio, "The Heart of Betrayal".
Quem leu minha resenha de “The Kiss of Decption” (se não leu, LEIA AQUI) sabe que eu já havia adorado o primeiro volume e estava sedenta pela continuação, no entanto, “The Heart of Betrayal” superou minhas expectativas. Ah, lembrando que, por se tratar do segundo volume da trilogia, é inevitável que haja spoilers do volume anterior, então leiam por sua conta em risco.

No final de “The Kiss of Deceprion”, Lia adentra Venda como prisioneira e é surpreendida por Rafe, que se declara um emissário do príncipe de Dalbreck. Sendo assim, tanto Lia quanto Rafe passam a ser prisioneiros e motivos de muitas desconfianças por parte dos governadores das províncias, pelo Conselho e, principalmente, pelo Komizar, o líder bárbaro de Venda.
No início, apesar do fato de ter sido sequestrada por Kaden, Lia ainda acredita que ele possa ser seu aliado, já que ele não é muito bom em esconder seus sentimentos por ela. No entanto, com o passar dos dias, Lia percebe que sua lealdade para com Venda e, principalmente, para com o Komizar serão difíceis de superar. Afinal, ele é o Assassino, o braço direito do Komizar, a quem todos respeitam.
“Seriam necessários muitos atos, e não apenas um, todos os passos renegociados. Mentiras teriam que ser contadas. Confianças, conquistadas. Limites desagradáveis, cruzados. Tudo isso pacientemente, e paciência não era meu ponto forte.” (página 11)

15 de junho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #85

Olá gente lindaaa!
Sim, vim falar de mais um dorama coreano. como você já deve ter percebido, mesmo sendo um blog literário, nos últimos tempos eu tenho falado mais de doramas do que de livros... vício é vício, gente. Não consigo evitar. Quem sabe assim eu convença vocês a assistirem doramas, né?!
Bem, vamos ao que interessa... a indicação de dorama da semana é "Radiant Office" (Escritório Radiante), que foi exibido pelo canal sul-coreano MBC, de 15 de março a 4 de maio desse ano. 

Sinopse: Eun Ho Won (Go Ah Sung) é realmente muito azarada. Não importa o quanto tente, ela não consegue arrumar um emprego estável. Ela fica tão cansada e deprimida com tanto insucessos que decide cometer suicídio. Mas até nisso ela fracassa. De alguma forma, ela consegue sobreviver e é levada para o hospital mais próximo, mas a má sorte não a abandona. No hospital ela fica sabendo que pode estar com uma doença terminal! A partir dessa descoberta, ela decide viver a vida dela sem arrependimentos. E é quando ela finalmente consegue um emprego na empresa de móveis que ela tanto queria. Mas a nova maneira de viver da Eun Ho Won pode significar inúmeras dores de cabeça para o gerente do novo trabalho dela. Seo Woo Jin (Ha Suk Jin) é um workaholic incurável. Ele vive a vida dele segundo as regras. Há hora e lugar para tudo, e no ambiente de trabalho nada mais deve ser feito, a não ser trabalhar. Para o Seo Woo Jin, a nova garota é um problema, e só conseguem trabalhar discutindo um com o outro. Será que a Eun Ho Won conseguirá viver sua vida ao máximo sem causar problemas para o gerente dela, ou o Seo Woo Jin aprenderá a relaxar e desfrutar da vida? 
ELENCO PRINCIPAL: 

- Go Ah-sung como Eun Ho-won (uma mulher de 28 anos que nunca consegue ter um emprego estável. Cansada de sua vida de empregos temporários e após ser rejeitada na mesma empresa pela 100ª vez, ela tenta cometer suicídio. Após ser salva dessa tentativa de suicídio ela recebe duas notícias: que pode estar com uma doença terminal e que ela finalmente conseguiu um emprego como uma funcionária contratada. Senmais nada a perder, ela resolve enfrentar a vida e seu novo emprego com com mais ousadia);
- Ha Seok-jin como Seo Woo-jin (um homem de 38 anos de idade, que é o chefe da equipe de marketing. Ele é um workaholic de elite com qualificações perfeitas e resultados de trabalho. Mas ele tem personalidade intransigente e língua afiada, o que muitas vezes o torna em desacordo com seus colegas de trabalho);
- Lee Dong-hwi como Do Ki-taek (um homem de 32 anos de idade que não conseguiu passar no exame da função pública nacional algumas vezes, o que resultou na falta de experiência profissional. Apesar de ser abandonado por sua namorada materialista, ele ainda é um romântico no coração);
- Kim Dong-wook como Seo Hyun (um médico de emergência de 34 anos de idade; ele foi quem cuidou de Ho-won quando foi levada para o hospital após a tentativa de suicídio. Ele mantém uma vigilância sobre ela e depois que ele sabe que ela trabalha na empresa de sua família, ele se torna seu guardião secreto);
- Hoya como Jang Kang-ho (um homem de 28 anos que vem de uma família rica em Gangnam. Ele recebeu a melhor educação e educação que o dinheiro pode comprar. Infelizmente, ele sofre de transtorno de pânico, o que resultou em falhas múltiplas de entrevistas de trabalho).

Minha opinião: Gostei!
Não vou negar, decidi assistir "Radiant Office" só pelo fato de ter Ha Seok-Jin (1% of Something) no elenco, mas seu personagem não poderia ser mais diferente do drama anterior. Comecei a assistir esperando um romance engraçado entre um chefe ranzinza e uma funcionária destemida, mas ão foi bem o que encontrei nesse dorama. O foco, definitivamente, não é o romance.
Eun Ho-won, apesar de inteligente e super esforçada, não possui quaisquer qualificações profissionais, pois durante a faculdade ela precisou trabalhar em diversos empregos de meio-período. E é assim desde então. Não há nada que ela já não tenha feito: entregadora de comida, funcionária temporária em lojas de conveniência, faxina, etc, etc, etc... Seu maior sonho é consegui um emprego e ser efetivada como uma funcionária contratada, tendo todos os direitos de um funcionário de verdade. No entanto, com suas poucas (nulas) qualificações, ela é rejeitada entrevista após entrevista de emprego.
Mesmo após ser rejeitada 99 vezes em entrevista de emprego na MESMA EMPRESA, ela não desiste, pois acredita que mesmo sem ter as qualificações profissionais exigidas, ela é capaz de fazer um bom trabalho, de aprender e se dedicar.

8 de junho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #84

Olá gente lindaaaa!!
Ainda apegada aos personagens e atores do dorama coreano "Kill me, Heal me", do qual falei na semana passada aqui no blog, acabei assistindo "Secret Love" (também conhecido como "Secret"), por causa do repeteco do casal protagonista. Isso mesmo, é o mesmo casal nos dois doramas.
No entanto, não esperem por quaisquer cenas engraçadas em "Secret Love", pois esse dorama deixa qualquer dramalhão mexicano no chinelo: é sofrência do começo ao fim!

Sinopse: Uma mulher devotada faz um grande sacrifício por seu namorado, apenas para descobrir que nem sempre o amor conquista tudo. Yoo Jeong (Hwang Jeong Eum) é uma mulher doce e otimista que sempre está apoiando seu namorado, Ahn Do Hoon (Bae Soo Bin), enquanto ele estudava e cuidava de seu pai com deficiência. Mas Do Hoon entra em um acidente de carro que resulta na morte de uma mulher. Incapaz de ver seu namorado ter de ir para a cadeia por um atropelamento, Yoo Jeong se sacrifica tomando a culpa pelo acontecido, e cumpre a pena em seu lugar. Min Hyeok (Ji Sung), um herdeiro de coração frio de um império dos negócios, recentemente tinha acabado de abrir seu coração para uma mulher, quando esta é atropelada. Anos depois, ele está noivo de Shin Se Yeon (Lee Da Hee), uma filha de um deputado. Poderão a Yoo Jeong e Min Hyeok consertarem seus corações feridos e descobrir o verdadeiro significado do amor? “Secret” é um drama coreano de 2013, dirigido por Baek Sang Hoon e Lee Eung Bok. E escrito por Choi Ho Cheol. Jo Min Hyuk (Ji Sung) é nascido de uma família rica. Ele tem tudo, incluindo uma boa aparência e inteligência, mas não tem bondade. Ele perde sua namorada em um atropelamento.

ELENCO PRINCIPAL:

- Ji Sung como Jo Min Hyuk (nascido de uma família rica. Ele tem tudo, incluindo uma boa aparência e inteligência; perde a amada em um acidente e deseja vingança);
- Hwang Jung Eum como Kang Yoo Jung (garota devotada ao namorado, vai para a prisão no lugar do namorado após um acidente de carro que causou a morte de uma mulher);
- Bae Soo-Bin como Ahn Do Hoon (sempre sonhou em ser um promotor justo, mas após mandar a própria namorada para a prisão em seu lugar, ele vai ficando cada vez mais ambicioso e inescrupuloso);
- Lee Da-Hee como Shin-yeon (noiva de Min Hyuk; embora seja um noivado por conveniência, apenas um negócio, ela está desesperada pelo amor do noivo, por quem é apaixonada secretamente).


Minha opinião: Amei!
Se você gosta de um dramalhão mexicano em que a mocinha sofre do começo ao fim, "Secret Love" é o dorama certo pra você. Quando comecei a assistir, esperava mais um romance arrebatador entre o casal protagonista Ji Sung (Protect the Boss, Entertainer) e Hwang Jung Eum, que já havia mostrado toda sua química em "Kill me, Heal me". Doce engano.... Sofri, me emocionei, me irritei e quis matar todo mundo do primeiro ao último episódio.
Em "Secret Love" conhecemos a  namorada devotada Kang Yoo Jung (que ao longo desta resenha chamaremos de Trouxiane, por se tratar de um apedido que se encaixa perfeitamente com a personagem), que em seu sétimo aniversário de namoro, leva um bolo do noivo (que foi para um encontro arranjado pela mãe) e não poderia estar mais triste... até, finalmente, ser pedida em casamento pelo amado. E que pedido mais insosso, gente. Desde o início percebemos que o noivo, Ahn Do Hoon, só propôs casamento por se sentir em dívida com a namorada, que sempre o apoio e ajudou financeiramente.  O telespectador antipatiza com esse cidadão desde o primeiro momento. pelo menos foi o que aconteceu comigo.

1 de junho de 2017

Na Telinha ou na Telona... #83

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar de mais um dorama coreano que eu maratonei e assisti tudo em dois dias. Estou falando de "Kill me, Heal me" (Mate-me, Cure-me).

Sinopse: As experiências traumáticas na infância de Cha Do Hyun (Ji Sung) o levaram a desenvolver problemas de memória e fraturaram sua personalidade em sete outras, as quais ele não consegue controlar. Para tentar controlar sua vida novamente, ele contará com a ajuda de Oh Ri Jin (Hwang Jung Eum), uma residente do primeiro ano em psiquiatria que vai ajudá-lo matando cada uma de suas personalidades. Ao mesmo tempo, o irmão de Ri Jin, Oh Ri Ohn (Park Seo Joon), tentará usar as experiências de Do Hyun para tirar o véu que encobre a vida dos mais ricos em seu novo romance de mistério.

ELENCO PRINCIPAL: 

- Ji Sung como Cha Do Hyun (herdeiro de um grande conglomerado de empresas que sofre de Transtorno Dissociativo de Identidade. Tem 6 outras personalidades devido a um trauma de infância. Ele tenta recuperar o controle de sua vida com a ajuda da doutora Oh Ri Jin);
- Hwang Jung Eun como Oh Ri Jin (médica do primeiro ano de residência em psiquiatria; passa a tratar secretamente de Cha Do Hyun e acaba se apaixonando por ele - e uma de suas personalidades);
- Park Seo Joon como Oh Ri On ( irmão gêmeo de Oh Ri Jin; tem fama de idiota, mas na verdade é um gênio, escritor de romances de mistério);
- Oh Min Seok como Cha Ki Joon (primo de Cha Do Hyun que administra uma empresa de entretenimento; ambos competem para ser o sucessor na administração da empresa da família);
- Kim Yoo Ri como Han Chae Yeon (primeiro amor de Cha Do Hyun; uma mulher fria e interesseira que quer se casar com o sucessor do "império" da família de Cha Do Hyun).


Minha opinião: Amei, amei, amei!
Há um bom tempo, a Fabi (Adoro Romances de Aracajú) me indicou esse dorama, mas eu não havia me interessado, na verdade, mal li a sinopse na época. No entanto, no feriado (21 de abril), minha amiga dorameira Tati começou a assistir e falava tanto, tanto, tanto desse dorama que eu comecei a assistir e no dia seguinte alcancei ela e assistimos aos últimos episódios "juntas" (virtualmente e comentando pelo Whats App). Meu primeiro pensamento quando comecei a assistir foi, "Por que raios eu não ouvi a Fabi e assisti antes?" haha 
O que mais chama a atenção em "Kill me, Heal me", além do roteiro sensacional e da atuação incrível do Ji Sung, é o tema tão incomum em doramas:  Transtorno Dissociativo de Identidade ou Transtorno de Múltiplas Personalidades.

30 de maio de 2017

TOP 10: Músicas da minha playlist! (maio/2017)

Olá gente lindaaa!!
Hoje vim dividir com vocês 10 músicas que eu tenho escutado muito nos últimos tempos, nos últimos meses em especial. Como você poderão perceber, tem um pouco de tudo, tudo quanto é idioma e estilo musical. Espero que você gostem!  
Separei por nacionalidade, primeiros as músicas nacionais, as "latinas", uma em inglês e, claro, as coreanas (porque é o que não falta na minha playlist da vida!).
Confiram minha playlist anterior AQUI.

Ma Cherie (Hidrocor)
Bem, já faz um tempo que baixei essa música porque achei bonitinhas, mas há algumas semanas eu redescobri ela e agora não paro de ouvir.



Poemas que colori (Mariana Nolasco)
Bem, a Mariana sempre arrasa em versões sensacionais de músicas já conhecidas, mas arrasou mais ainda em sua primeira música autoral. Sensacional! Posso ficar ouvindo o dia inteiro.



29 de maio de 2017

RESENHA: 5 Centímetros por segundo (mangá)

Editora: New Pop
Autor(es): Makoto Shinkai (roteiro) e de Yukiko Seike (arte)
Número de páginas: Vol. 1 - 240 | Vol. 2 - 240

uma sequência de histórias curtas sobre a distâncias deles

 
Sinopse: A história se passa no começo dos anos 90, onde a internet ainda não era uma alternativa viável para comunicação a distância. Takaki Tono e Akari Shinohara se conhecem desde o primário, e um sentimento amoroso surge involuntariamente entre eles. A relação, porém, se complica quando Akari tem que se mudar para o interior do país e os dois passam a se comunicar somente por cartas. 
Com o passar do tempo, a situação só piora, pois, chega a vez de Takaki se mudar, para ainda mais longe de Akari. Na vida do garoto, também entrará uma nova personagem: a sonhadora Kanae Sumida. Será que ele conseguirá esquecer Akari? Irão eles se reencontrar no futuro?

Olá gente lindaaa!
Hoje vou falar de um mangá que me ganhou assim que vi as capas: "5 centímetros por segundo". Eu comprei os dois volumes da história recentemente (e vocês podem conferir a unboxing aqui!) e descobri que, na verdade, o mangá era uma adaptação de um filme animado japonês homônimo (que vocês podem assistir no Youtube). 
O resultado é que acabei assistindo a animação primeiro e agora, como fiquei encantada com a história, que mostra a realidade das relações, dos encontros... e também dos desencontros, resolvi ler os mangás. Como eu disse (e vocês podem ver pelas capas), a história de "5 centímetros por segundo" é dividida em dois volumes, mas eu optei por fazer uma única resenha. Talvez a resenha fique um pouco longa, pois eu amei várias quotes e não consegui me decidir entre elas.
"Dizem que é cinco centímetros por segundo [...] a velocidade que as pétalas de flor de cerejeira caem. Cinco centímetros por segundo." (Vol. 1 - página 38)
Akari Shinohara e Takaki Toono são amigos desde a infância, quando Takaki foi transferido para a mesma escola de Akari. Eles se tornam inseparáveis, crescem, se apaixonam e... são separados. Os pais de Akari se mudam para uma cidade distante e os amigos fazem planos para se encontrarem, para manterem contato. Mas, as coisas se tornam ainda mais difíceis quando a família de Toono se muda para uma cidade ainda mais longe, de modo que seria impossível uma visita de vez em quando.
"Desta vez é você quem vai se mudar, Takaki? Fiquei surpresa quando soube. Sei que nós dois já estamos acostumados com essas transferências. Mas Kagoshima fica meio distante. Não vai dar mais para nos encontrarmos qualquer dia pegando um trem. Admito que isso... me deixa um pouco triste." (Vol. 1 - página 63)