4 de junho de 2015

Na Telinha ou na Telona... #48

Olá gente lindaaa!
Mias uma vez eu venho falar de dorama. Já desisti de tentar falar de seriados americanos aqui.. Sério, não vou mudar o nome da coluna, mas sempre que virem o título da postagem, saibam que se trata de mais uma novela asiática. :D Ainda tenho esperanças de "converter" vocês.
O dorama de hoje é coreano e, melhor de tudo, de época. Uma história que mistura fantasia, ação, romance. Tem duas histórias de amor (e tragédia) muito lindas e um vilão para ninguém botar defeiro (eita homem indecente, gente!). Estou falando de "Gu Family Book", que foi um grande sucesso no primeiro semestre de 2013.

Sinopse: Um drama épico sobre os problemas de Choi Kang Chi, que nasceu como um meio-humano/meio-criatura mítica, tentando se tornar humano por meio de uma lenda sobre um livro e a história de sua viagem para viver como ser humano mais do que qualquer outra pessoa. Seo Yoon Hwa e o deus guardião das montanhas Jiri, Gu Wal Ryung se apaixonam, quando a família de   Yoon Hwa perde o status e caí em ruínas devido a ações de um inimigo. No entanto quando ela descobre quem Gu Wal é ela em seu coração o odeia e o trai, sendo que o fruto antes do amor de ambos é abandonado junto ao rio para ser morto. Choi Kang Chi  após ser retirado do rio por um monge é entregue para ser criado pela família Choi...
P.S.: Sinopse retirada do site Dramas Épicos.

ELENCO PRINCIPAL:

Choi Jin-hyuk como Gu Wol-ryung (criatura divina, conhecido nas lendas coreanas como "Gumiho", a raposa de caldas, de mil anos. Ele se apaixona por uma humana e tenta realizar a missão do livro da Família Book para se tornar humano);
- Lee Yeon-hee como Yoon Seo-hwa (filha de um nobre que foi acusado de traição; é vendida para tornar-se uma cortesã. Ela consegue fugir e é resgatada por Wol-ryung, com quem vive um romance sem saber a real origem dele);
- Lee Seung-gi como Choi Kang-chi (metade humano, metade criatura divina; foi criado por um homem bondoso que o encontrou abandonado num cesto em um rio);
- Bae Suzy como Dam Yeo-wool (filha de um comandante; criada praticamente como um garoto, sempre com uma espada em punho);
- Lee Sung-jae como Jo Gwan-woong (o vilão mais indecente e odiável de todos os tempos; tem o desagradável hábito de acusar nobres de traição para roubar-lhe os bens, principalmente quando o cidadão tem uma filha bonita que o atrai);
- Yoo Yeon-seok como Park Tae-seo  e  Lee Yu-bi como Park Chung-jo (filhos do homem que criou Kang-chi; ele é torturado e ela é vendida para tornar-se uma cortesã quando o pai é acusado de traição e assassinado. Adivinhem por quem..


Minha opinião: adorei!
Vou ser sincera, comecei a assistir apenas por ter o ator Choi Jin-hyuk no elenco, e imaginem qual foi minha decepção quando comecei a assistir e, após apenas dois episódios, houve uma passagem de vinte anos no tempo e uma mudança quase total de personagens, ¬¬ (bem, se você tem o ator como motivação para assistir ao dorama, não 'priemos cânico", em algum momento ele volta, ok?! rs
Bem
Não é segredo para ninguém que eu adoro histórias que se passam em tempos remotos e, em se tratando de doramas, além do período distante há também a vantagem de conhecer um pouco da cultura do país.
Logo no primeiro episódio nos deparamos com história de uma família que foi destruída depois que o patriarca foi acusado de traição e assassinado. Os filhos foram vendidos e a filha, Yoon Seo-hwa (que era objeto de desjo do vilão) foi vendida para ser uma cortesã. Após alguns acontecimentos, humilhações e sofrimentos, a garota consegue fugir e é resgatadas por Wol-ryung, uma criatura divina que vive na floresta. Eles se apaixonam e vivem um romance, sem que a jovem saiba da real condição de seu amado. Quando ela descobre, porém, uma reviravolta acontece e o telespectador é levado a odiá-la até o final do dorama. Assim, inicia-se a segunda parte do dorama, que se passa exatos vinte anos após o ocorrido. Conhecemos, então, Choi Kang-chi e a família da Pousada 100 Anos, que o acolheu após encontrá-lo, ainda bebê, em um cesto abandonado no rio.
E, mais uma vez temos o desprazer de ver Jo Gwan-woong (o maldito vilão) em ação, e gente, o cara é totalmente odiável. Não posso deixar de elogiar o trabalho do ator, ele foi super convincente, de modo que a cada cena eu tinha vontade de entrar na tela e encher aquela cara calma e calculista de tapas rs.
Kang-chi então descobre que não é humano e, obviamente, leva um tempo para aceitar sua condição de não olhar para sim mesmo como um mostro. A entusiasmada e destemida Yeo-wool é muito importante no processo, pois mesmo vendo-o em sua forma real, não desiste dele e acredita em sua essência. Claro que o romance é inevitável, embora Kang-chi seja, inicialmente, apaixonado por Park Chung-jo, filha do homem que o criou como um filho.
Podem me chamar de dramática (ou masoquista), mas o que eu mais gosto nesses doramas épicos é toda desgraça é pouca. MUITAAA coisa ruim acontece. Senti lágrimas nos olhos em vários momentos, quando Kang-chi foi rejeitado por ser "um monstro", quando Yeo-wool (e posteriormente Kang-chi) descobrem o papel do pai dela na "tragédia" que envolveu os pais biológicos de Kang-chi.
Outro ponto positivo no dorama (na minha opinião, claro) foi o fato do elemento "destino". Adoro quando há presságios ou pressentimentos de que o destino não pode ser evitado e tudo mais. É o que acontece com Kang-chi e Yeo-wool. Desde o início sabemos que se eles ficarem juntos, algo não acabará bem, mas torcemos por eles mesmo assim.
Yeo-wool é uma personagem bem diferente das que vi Suzy incorporar até agora, forte, destemida e meiga ao mesmo tempo. Ela não deu moleza para Kang-chi e não mediu esforços para ajudá-lo quando foi possível..

Gostei bastante do final que, apesar de sensível e até compreensível (e envolver o destino), não deixa de ser um pouco triste, afinal esperar mais de 400 anos para ter um final feliz é para poucos, né?!
Ahhhhhh e não é que minha motivação voltou a certa altura do dorama? Foi um fechamento necessário para a história dele com Yoon Seo-hwa (apear de que eu adoraria vê-lo acabando com a raça do vilão, mas...).

A trilha sonora é uma graça, a que mais gostei foi, de longe, a interpretada pelo divo Choi Jin-hyuk (sim, é a tal criatura divida que roubou a cena em todos os momentos), Best Wishes To You. Gostei também de Only you (4MEN), My love is hurt (Lee Sang Gon).

Ficou curioso? Está cansado de sempre ver mais do mesmo nas novelas brasileiras? Essa é sua chance de conhecer algo diferente (e viciante, e emocionante, e tudo de bom!). Os 24 episódios do doramas estão disponíveis online e legendados em português no Viki.com.

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!


Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)