20 de julho de 2015

RESENHA: A Promessa da Rosa (Flores da Temporada #1)

Editora: Novo Século
Autor(a): Babi A. Sette
Número de Páginas: 432


Sinopse: Século xix: status, vestidos pomposos, carruagens, bailes… Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não casar-se cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.
Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, à impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é: o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite, se transforma em uma paixão sem limites.
Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas. Kathelyn será desafiada, não mais pelas regras sociais ou pelo direito de trilhar o próprio caminho, e sim, pela a única coisa capaz de vencer até mesmo a sua força de vontade e enorme teimosia: o seu coração.

Olá gente lindaaa!
Ahhhh, eu nem sei por onde começar.
Você sabem que eu sou apaixonada por romances de época e, igualmente apaixonada pela escrita envolvente da autora Babi A. Sette (desde que tive a oportunidade de ler seu livro de estréia, "Entre o Amor e o Silêncio"). "A Promessa da Rosa" poderia ser considerado só mais um romance de época, daqueles que tanto adoramos (eu adoro!) e que nos divertimos tanto lendo e conhecendo uma época que nos parece tão remota. Poderia ser, não fosse o fato de ser muito mais. Infelizmente, ao longo dessa resenha eu não poderei enumerar em que o livro supera em muito o que estamos acostumados. Não é uma questão de saber por meio de alguns palavras minhas, você precisam ler o livro e sentir por vocês mesmo.

Kathelyn Stanwell, nossa mocinha, não é o que podemos chamar de exemplo de boa moça, pelo menos não segundo os padrões de sua época. Sempre foi movida por aventura e não se contenta com o que é delegado às mulheres de seu tempo. Diferente da maioria, ela não está interessada em se casar por conveniência. Ela espera se casar por amor. Ok, vários outros romances do gênero apresentam mulheres à frente de seu tempo (até Jane Austen criou personagens assim). Então, o que Kathelyn tem de diferente? Simples, ela é uma personagem MUITO forte. E você só terão noção de tamanha força quando lerem o livro. Com ela não tem mimimi ou choro a torto e à direita.
"Mas ela nasceu assim, com essa ardência de dentro que a levava sempre a querer mais da vida. Acontece que a vida para quem usa saias, ao menos para as saias de Kathelyn, não era muito fácil." (página 17)
Após sua apresentação à sociedade de Londres, Kathelyn ficou de castigo, proibida de colocar os pés para fora de casa. Pensar em frequentar os bailes da temporada, então, fora de cogitação. Tudo porque ela resolveu ouvir seu espírito livre e acabou fazendo a maior cena diante de vários nobres (e pretendentes). Assim, quando (após um mês!), ela finalmente é autorizada a  participar de um baile (e apenas um), é um motivo de grande alegria para Kathe, não pelo baile em si, já que ela pouco se importa com esse tipo de coisa, mas pelo fato de que o nobre que oferece o baile possui uma incrível coleção de antiguidades. O que Kathe tem a ver com isso? Bem, ela é apaixonada pela história grega e todas essas antiguidades, por isso não poderia estar na mesma casa que uma coleção desse quilate e não dar uma escapada para conferir cada um dos itens que compõem tal coleção.
Ela só não contava com ser surpreendida.... justamente enquanto invadia o escritório onde a coleção estava muito bem guardada. 
"Os olhos amarelos, eram como a luz quente do sol de meio-dia, infiltrava-se por todas as frestas e não deixava nada sem ser aquecido. Ele tinha o rosto quadrado esculpido como a perfeição simétrica da arte grega." (página 21)
Kathe pensa que o homem que a descobriu - tão cheio de músculos e exalando liberdade e exotismo, não é um cavalheiro. Ele não se parece com os cavalheiros com os quais está habituada. Certamente ele está ali para roubar as antiguidades. Ele, por outro lado, acreditar ter pego uma ladra no flagra.
Assim, ignorando a identidade um do outro, eles se sentem atraídos mutuamente. Ele pela paixão que ela demostra ter pelas antiguidades e mitologias gregas. Ela, pela postura e pelo olhar que não desgruda do seu. Com a certeza de que jamais encontrará o Falcão (como ela o apelida, mentalmente), Kathe resolve se arriscar e viver uma aventura: vai até o jardim com ele. Parece pouco, mas quão escandalizada a sociedade inglesa ficaria ao saber que uma dama esteve a sós com um cavalheiro na escuridão do jardim? Após alguns beijos trocados, Kathe cai em si e deixa o misterioso homem plantado no jardim, ardendo pelo desejo não satisfeito.
"Não estava atrás de um título para agarrar como marido. Não se impressionava com isso e não se intimidava diante dele. Era cheia de energia e não se conformaria com uma vida ordinária." (página 69) 

O misterioso Falcão, ao invés de um ladrão ou qualquer que tenha sido a ideia de Kathe, é Arthur, o nono duque de Belmont, um dos melhores e mais cobiçados partidos da temporada.
Desde o primeiro encontro entre esse dois, é pura sedução, situações engraçadas e muitas faíscas. Ahhhh, e muitos mal entendidos. Sabe quando tudo está indo muito bem, obrigada e acontece algo pra desandar com tudo? Bem, isso acontece com certa frequência na trama. Quando eu estava toda "suspiros", a Babi resolveu me puxar o tapete. Babi, Babi, que maldade!
Há uma passagem no tempo em que temos um pano de fundo bem diferente. Apenas três anos se passaram, mas muita coisa mudou. É nesse ponto que conhecemos o poder das palavras... e dos boatos. A palavra não tem dono, ela corre desvairada, de modo que uma pequena mentira se torne uma verdade universal. Isso tanto pode ser bom, quanto ruim...
E não pense você que esse tal duque é o mocinho da vida. Ele não é o típico mocinho que só faz 'cavalheirices' e é amado desde o princípio. Ele é tão paradoxo, que quase chega a ser real. Eu, por vezes, fiquei dividida entre a vontade de tê-lo pra mim e a vontade de estapeá-lo. É esse tipo de mocinho, esse tal de Arthur. Tsc tsc.
Ah, e a Kathe? Pensem nua mocinha que passou por poucas e boas e não perdeu sua essência. Não se deixou derrubar, não desistiu e ganhou mais força. Sempre autêntica, embora sua situação tenha mudado. Não posso falar das cenas que me arrepiaram, que me chocaram, que me deixaram descabelada de angústia, aflição ou indignação... bem que eu queria encher essa resenha de spoilers, mas prefiro que você leiam e sintam tudo o que eu senti.
"Antes de fechá-la atrás de si, olhou pela última vez para o homem que mudou toda a sua vida e continuava a mudar. O homem que amava e que talvez amasse para sempre. Ele havia caminhado até a janela e estava de costas para ela. essa era a última imagem que teria de Arthur - uma vez mais, ele lhe dando as costas." (página 420)
E o final, minha gente? Suspiros, suspiros, suspiros e... dá vontade de voltar ao início do livro e ler tudo de novo! (P.S.: no final, o título do livro vai fazer todo sentido! <3)
Um prato cheio para os apaixonados por romance (regado a muitos desencontros e sofrimentos). Eita, novela mexicana! (com a diferença de que a mocinha não é chorona).
Infelizmente essa resenha não chega aos pés do que eu gostaria de contar pra vocês, mas espero ter, pelo menos, deixado vocês curiosos. ;)
Se eu recomendo? Nem precisa perguntar!  Após dois livros incríveis, lindos, sensíveis e mais do que apaixonantes, posso dizer que recomendo de olhos fechados qualquer coisas que a Babi escrever. Juro juradinho.
Babi, bem vinda a minha lista de autoras favoritas da vida! <3

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Um comentário

  1. Olá,
    Nos deixou com uma "pulga atrás da orelha", para saber se a mocinha enfim se casará com o Duque Belmont??? Vale a pena conferir!

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)