28 de fevereiro de 2019

Na Telinha ou na Telona... #143

Olá gente lindaaa!!
A indicação de dorama da semana é "The Undateables (Os Inconquistáveis), também conhecido como "Handsome Guy and Jung Eun", que comecei a assistir em maio de 2018 (isso mesmo!), mas acabei meio que abandonando. Na época eu estava gostando muito, principalmente por ler leve e divertido, mas acabei me enveredando para o drama cheio de sofrência e desgraceira "Come and Hug Me" (que eu amei demais!), que acabei esquecendo dessa gracinha. Porém, como umas das minhas resoluções de ano novo é terminar os 165647485 doramas que comecei no último ano, cá estou...
"The Undateables" foi ao ar na emissora sul-coreana SBS, de 23 de maio a 19 de julho de 2018.

Sinopse: Os Inamoráveis é sobre um homem, Hoon Nam, que se recusa a amar e uma mulher, Jeong Eum, que sonha em se apaixonar perdidamente, mas desiste da ideia ao encarar a realidade das coisas. Os dois se oferecem para ajudar pessoas solteiras a se apaixonarem, mas, em meio a tudo isso, acabam se apaixonando um pelo outro. Hoon Nam torna-se oficialmente o segundo filho da DMJ Foods quando sua mãe biológica, que o teve fora do casamento, morre. Por causa desse fato, ele nunca acreditou no amor e tem a capacidade de se distanciar o bastante para não ser emocionalmente afetado pelos outros. Jeong Eum, por outro lado, é do tipo que dá tudo de si, seja no dia a dia ou na vida amorosa. Ela acredita que quem ama mais é mais feliz, e foi por isso que seu primeiro amor a deixou cheia de cicatrizes. Fique ligado e veja como esses dois aparentemente perdidos e tolos acabam se apaixonando!

ELENCO PRINCIPAL:

- Namkoong Min como Kang Hoon Nam (Um especialista em relacionamentos que não acredita no amor. Tem como isso dar certo?);
- Hwang Jung Eum como Yoo Jung Eum (Uma ex-mergulhadora da equipe nacional de mergulho que acaba abandonando a carreira por conta de um trauma e se tornando uma "casamenteira" em uma agência de relacionamentos);
- Choi Tae Joon como Choi Jun Soo (Um fisioterapeuta competente e amigo de infância de Jung Eum);
- Oh Yoon Ah como Coach Yang (Treinadora da Equipe Nacional de Mergulho; melhor amiga de Jung Eum, além de ser sua ex-treinadora);
- Jung Moon Sung como Yook Ryong (primo de Hoon Nam);
- Jo Dal Hwan como Charlie (editor de uma revista).

Minha opinião: Gostei!
Vou começar essa resenha sendo bem sincerona e admitindo que só comecei a assistir ao dorama por causa do elenco, estava doida para saber como a atriz gritadeira de "Kill Me, Heal Me", "She Was Pretty" e "Secret Love" (Hwang Jung Eum) se daria com nosso eterno "Chief Kim"(Namkoong Min).
A história gira em torno de Kang Hoon Nam e Yoo Jung Eum. Ele é dono de uma galeria de arte dedicada a brinquedos e ela é uma ex-mergulhadora. Seus caminhos se cruzam diversas vezes ao longo dos anos (coisa de destino que eu amo nos doramas!), e cada um desses encontros é engraçadíssimo.
Cinco anos atrás, antes de Jung Eum abandonar a carreira na equipe nacional de mergulho, Hoon Nam presencia uma cena lamentável em que nossa protagonista se humilha no meio de um aeroporto para convencer o ex-namorado a não abandoná-la.
Ela sequer notou a presença de Hoon Nam, afinal estava perdida em meio a seu sofrimento e humilhação. Hoon Nam, no entanto, lembra bem na cena que presenciou e a reconhece ao reencontrá-la anos depois.
São muitas as situações inusitadas que acontecem toda vez que esses dois se encontram! hahaha
Após a desilusão amorosa e o trauma relacionado à água, Jung Eum deixou de ser atrela e seu pai a registrou em uma empresa relacionamentos, na esperança de encontrar um namorado para a filha. No entanto, após algum tempo ela passa de cliente a funcionária e agora precisa bancar a "casamenteira".

21 de fevereiro de 2019

Na Telinha ou na Telona... #142

Olá gente lindaaaa!
Após muuuuuuito tempo, hoje vim falar de um dorama chinês. Vocês sabem que meus favoritos são os coreanos, mas de vez em quando é bom variar um pouco, né?!
A indicação da vez é "Love O2O" (que eu ainda estou tentando descobrir o significado...).
"Love O2O" foi ao ar de 22 de agosto a 6 de setembro de 2016 pela Jiangsu TV e Dragon TV.

Sinopse: Bei Weiwei (Zheng Shuang) é considerada a bela do departamento de informática, além de se destacar em seus estudos. Ela aspira ser uma desenvolvedora de jogos on-line e usa o ID de usuário de Luwei Weiwei no jogo de RPG online "A Chinese Ghost Story". Depois que ela é deixada por seu marido on-line Zhenshui Wuxiang, ela é abordada pelo número um jogador Yixiao Naihe, que sugeriu que eles se casam (no jogo) para que ambos possam participar de uma competição de casal dentro do jogo. O recém formado casal instantaneamente se dá bem e passa por muitas aventuras juntos no jogo. No entanto, Wei Wei nunca esperou que a verdadeira identidade de seu marido virtual fosse seu veterano na faculdade, o disputadíssimo Xiao Nai (Yang Yang), que é tido como um prodígio.

ELENCO PRINCIPAL

- Yang Yang como Xiao Nai ("partidão" do departamento de computação; além de filho de um professor universitário, Nai é super inteligente e talentoso, atualmente investindo em empreendedorismo, almejando se lançar no mercado de jogos online);
- Zheng Shuang como Bei Weiwei (jovem do interior que é super esforçada, independente e inteligente; ela é um prodígio no departamento de computação, além de ser considerada a "bela do departamento");
- Mao Xiao Tong como Er Xi (amiga de Weiwei; apesar de ser basttante infantil e exagerada, a amizade entre ela e Weiwei é super sincera);
- Bai Yu como Cao Guang (gênio do departamento de línguas que acaba se interessando por Weiwei);
- Niu Juin Feng como Yu Ban Shan (amigo, colega de quarto e de empreendimento de Nai);
- Zheng Ye Cheng como Hao Mei (também é amigo, colega de quarto e de empreendimento de Nai; ele protagoniza uma sutil relação gay dorama).

Minha opinião: Adorei!

Não posso começar essa resenha de outro modo que não avisando que os minutos iniciais são suuuuuper estranhos, mas não desista. Acontece que as cenas iniciais do dorama são ambientadas dentro do universo do jogo RPG que a protagonista joga. O segundo aviso é: Weiwei é a Park Shin Hye chinesa em se tratando de beijo. Entendedores entenderão.
Então apesar de parecer, a princípio, que se trata de um dorama de época e super exagerado (com pessoas lutando e voando num estilo bem mortal kombat), isso é apenas para mostrar que Weiwei não é mais uma daquelas mocinhas burrinhas que vemos em doramas. Ela é extremamente inteligente e manda muito bem na vida acadêmica e  no jogo. E essa história de que jogos online são "coisa" de menino não existe mais. Viu, Damares! Nem na China essa história de azul para menino e rosa para menina, coisa de menino e coisa de menina cola mais.

18 de fevereiro de 2019

RESENHA: Outros jeitos de usar a boca

Editora: Planeta
Autor(a): Rupi Kaur
Número de páginas: 208

Sinopse: 'outros jeitos de usar a boca' é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Olá gente lindaaaa!
Após conhecer a escrita sensível e certeira de Rupi Kaur em "O que o sol faz com as flores" fiquei louca para ler mais coisas da autora. E cá estou, trazendo a resenha de mais um livro de poemas que são afiados e letais como flechas envenenadas. 
O livro é dividido em quatro partes, respectivamente a dor, o amor, a ruptura e a cura, abordando temas como abuso infantil, estupro, assédio, machismo, entre outros igualmente sérios, incômodos... e necessários.
Mais uma vez, não sei muito bem como resenhar esse livro sem apresentar alguns dos meus poemas favoritos para que vocês tirem suas próprias conclusões. Confiram abaixo algumas quotes de cada uma das quatro partes do livro.

17 de fevereiro de 2019

LEITURA COLETIVA: Jane Eyre, de Charlotte Brontë

Olá gente lindaaaa!!
Estou muito feliz em poder dizer que nosso projeto de #LeituraColetiva está dando super certo e já estamos dando início a quarta edição. QUARTA!! ^^ Convidamos vocês para lerem conosco o livro "Jane Eyre", de Charlotte Brontë!
Confiram abaixo as regras de participação, os blogs participantes e o prêmio (porque sempre tem um prêmio).

Para participar é bem simples: 
> Possuir (ou pegar emprestado na biblioteca, com um amigo, etc) um exemplar de "Jane Eyre";
> Entrar NESTE grupo no Facebook (onde ocorrerão discussões semanais);
> Participar das discussões semanais sobre a leitura (para poder participar do sorteio de um livro).

BLOGS PARTICIPANTES:
Confissões Femininas... (este blog)
Diário de uma Leitora Compulsiva
Doki Doki
Emoções à Flor da Pele
Escuta Essa
Autora Duda Razzera (@dudarazzeraauthor)

4 de fevereiro de 2019

RESENHA: O ano em que te conheci

Editora: Novo Conceito
Autor(a): Cecelia Ahern
Número de páginas: 336

Sinopse: Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt.
Vizinhos, eles não têm o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato.
Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt.
Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda. 
Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles têm muito tempo livre e precisam rever seus conceitos para poder seguir em frente.
Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer.
Uma história dramática, original e divertida como só Cecelia Ahern é capaz de escrever.
Olá gente lindaaa!
Hoje vim falar "O ano em que te conheci", que me ganhou pela capa e pelo fato de ser de uma das minhas autoras favoritas. Confesso que iniciei a leitura achando que encontraria uma história romântica e arrebatadora (não li a sinopse...), mas me deparei com algo bem diferente, mas igualmente (ou até mais) envolvente. 
O livro é dividido em 4 artes, de acordo com as estações do ano: Inverno, Primavera, Verão e Outono, de modo que acompanhamos não apenas a passagem do tempo, mas o amadurecimento da protagonista, bem como o desabrochar de sua vida.

Logo nas primeiras páginas, Jasmine, em primeira pessoa, nos apresenta a sua vida. Ela sempre foi uma mulher de negócios, uma mulher de sucesso. Desenvolveu várias empresas e as vendeu quando cada uma delas se tornou um grande sucesso. É isso que ela faz. No entanto, da última vez ela teve certa dificuldade e... acabou sendo demitida pelo sócio e amigo (ex-amigo, no caso). Diferentemente de Jasmine, o sócio nunca pensou em vender o negócio e decidiu demiti-la para evitar que ela o fizesse. Não bastasse isso, ele a deixou de licença por um ano inteiro, para evitar que fosse contratada por alguma empresa concorrente, já que ela é tão boa no que faz.
Agora, pensem comigo, como uma mulher tão eficiente, tão produtiva e tão independente como Jasmine conseguirá ficar quietinha em casa durante um ano inteiro? Qualquer pessoa nessa situação enlouqueceria (eu não... iria logo viajar hahaha).

2 de fevereiro de 2019

Na Minha Caixa de Correio #161

Olá seus lindos!!!
Faz um tempo que não mostro minhas novas aquisições literárias, né?! Mas na última semana comprei alguns livros e decidi dividir com vocês. Confiram!

- Jane Eyre - Charlotte Brontë (Editora Zahar)
536 páginas (amarelas - hardcover).
Esta será nossa leitura na próxima edição da #LeituraColetiva, que ocorrerá no início de março. Fiquem ligados!
Nem preciso dizer que estou apaixonada por essa edição, né?! A Zahar não decepciona! <3