30 de junho de 2018

Na Minha Caixa de Correio!! #158

Olá gente lindaaaa!
Faz um tempinho que não compro ou recebo livros, mas esse mês, além de receber a versão física (e maravilhosa) de "Senhorita Aurora", também acabei comprando dois livros. Confiram!

PARCERIA:

- Senhorita Aurora - Babi A. Sette (Verus Editora)
342 páginas (amarelas).
Vocês nem imaginam minha felicidade ao ter esse livro em mãos, no formato físico. Li e resenhei o ebook em 2016, mas vocês sabem que adoro um livro impresso, né?! Li, reli e amei como se estivesse lendo pela primeira vez. Confiram a resenha!

25 de junho de 2018

RESENHA: Senhorita Aurora

Editora: Verus
Autor(a): Babi A. Sette
Número de páginas: 342
Compre aqui!

Sinopse: Nicole é uma jovem bailarina e está prestes a realizar seu sonho: estrear no papel principal em uma peça na Companhia de Ballet de Londres. Tudo estaria perfeito se não fosse pela presença de um dos seus diretores, o temido Daniel Hunter, um maestro prodígio de temperamento difícil, com um humor sombrio e que desperta em Nicole sentimentos contraditórios. 
Quando uma tempestade de neve isola os dois em uma mansão centenária, Nicole e Daniel serão obrigados a encarar não apenas os segredos que atormentam o maestro, mas também uma paixão proibida — e avassaladora — que nasce entre eles. Entre a tão sonhada carreira na dança, um amor intenso como ela nunca sentiu e a própria segurança, Nicole se verá diante de escolhas que parecem impossíveis. E caberá a ela resgatar Daniel de seu próprio passado...
Senhorita Aurora é um romance poderoso, tocante e perturbador, que mostra que todos merecem uma segunda chance, até mesmo alguém com fama de monstro.
Olá gente lindaaa!
Hoje vim falar, mais uma vez, de "Senhorita Aurora", da querida Babi A. Sette. Eu já resenhei o livro aqui no blog, em 2016, quando a autora resolveu lança-lo no formato eletrônico de forma independente na Amazon. E você nem imaginam minha felicidade em poder reler essa história tendo o livro no formato impresso em mãos. Só amor pela Babi A. Sette e pela Verus Editora, por essa edição linda. ❤❤❤❤❤

Após vários anos dançando horas e horas por dia, Nicole Alves finalmente tem seu maior sonho realizado: fazer parte da Companhia de Ballet de Londres. Perece um sonho finalmente ter se tornado um "anjo", como ela via seus ídolos da dança, quando era criança.
Mas as coisas não são fáceis, ela ainda precisa dar o sangue em nome da dança, dedicando horas sobre as sapatilhas de ponta, ensaios exaustivos e... tudo isso sob o comando de seu diretor Sr. Evans e o irritadiço, troglodita Daniel Hunter, famoso maestro que foi convidado a ajudar na produção de "A Bela Adormecida", em que Nicole interpreta a princesa Aurora.
Além da barba enorme (uma enorme "cabeleira facial", na palavra de Nathy, melhor amiga de Nicole), o estilo "motoqueiro malvado", da cara de poucos amigo e do estranho hábito de chamar todos os bailarinos pelo nome de seus respectivos personegns, o Sr. GATO Hunter é movido a gritos e palavrões em francês. Super agradável.
"O sr. Hunter me encarava sem piscar, com uma expressão tão fechada que senti como se as mãos dele apertassem meu estômago. Soltei o ar devagar e olhei para baixo. Tentei voltar a atenção para o discurso do sr. Evans." (página 45)

21 de junho de 2018

Na Telinha ou na Telona... #129

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar sobre o dorama "Something in the Rain" (Algo na chuva), também conhecido como "Pretty Noona Who Buys me Food" (Linda Noona* que me compra comida), que é de arrancar suspiros (e os cabelos, em alguns momentos). 
*Noona: é um pronome de tratamento utilizado por homens para se referir à uma mulher mais velha que eles, uma irmã mais velha, uma amiga, etc., desde que seja alguém próximo, já que é um modo de tratamento "carinhoso".
E, não vou negar, comecei a assistir pelo simples fato de ver o "policial gato de While You're Sleeping" no papel do protagonista. Pronto, falei! Mas também foi ótimo rever Son Ye Jin, que já havia conquistado meu coração em Personal Taste, em 2012!
"Something en the Rain" foi ao ar de 30 de março a 19 de maio de 2018, pela emissora sul-coreana JTBC.

Sinopse: Yoon Jin Ah é uma mulher solteira, no auge dos seus 35 anos. Ela trabalha como supervisora em uma empresa de café e acaba de ser deixada pelo então namorado, por ser "sem graça", como uma comida nutritiva, mas sem atrativo. Apesar de ser uma pessoa descontraída, Jin Ah é uma pessoa fechada quando o assunto são seus sofrimentos, optando por sentir tudo sozinha. Seo Joon Hee é o irmão mais novo da melhor amiga de Jin Ah e acaba de voltar dos Estados Unidos, onde passou três anos. Apesar de se conhecerem desde sempre, eles passam a parecer diferente aos olhos um do outro e acabam se apaixonando.

ELENCO PRINCIPAL:

- Son Ye Jin como Yoon Jin Ah (Uma mulher solteira de 30 anos que trabalha como supervisor de loja em uma franquia de café. Apesar de ser uma pessoa descontraída, ela vive uma vida bastante vazia. De repente, ela sente sentimentos românticos em relação ao irmão mais novo de sua melhor amiga);
- Jung Hae In como Seo Joon Hee (O irmão mais novo de Kyung Seon, que é designer de personagens em uma empresa de videogames. Ele retornou ao país de seu trabalho no exterior depois de três anos);
- Jang So Yeon como Seo Kyung Seon (A irmã mais velha de Joon Hee e a melhor amiga de Jin Ah que dirige uma cafeteria);
- Gil Hae Yeon como Kim Mi Yeon (mãe de Jin Ah);

Minha opinião: Amei!!
Eu confesso que não muito bem como começar essa resenha pleo motivo que citei antes: esse dorama nos arranca suspiros, mas nos faz arrancar os próprios cabelos, também?! Não é sem razão que dividiu bastante as opiniões.
Nossa protagonista, Jin Ah, tem 35 anos e trabalha como como gerente em uma rede de cafeterias. Ela mora com os pais e  apesar de ter um namorado, tem de aturar a constante preocupação da mãe em relação ao um possível casamento tardio. Sim, a mãe dela tem uma mentalidade bem antiquada e é bastante exigente em relação ao futuro genro... não exigente no sentido de desejar o melhor marido para a filha, mas o genro que trará mais orgulho e mais status à família. Argh!
O tal namorado de Jin Ah, no entanto, apesar de ser considerado um "bom partido", na verdade é um embuste. Ele termina o namoro comparando Jin Ah a um fruto do mar (acho!), que é nutritivo, mas sem graça. Vê se podem uma negócio desses!
A questão é, conhecendo a mãe que tem, Jin Ah não fala sobre o rompimento e sofre calada, apenas com o apoio incondicional de sua melhor amiga, Seo Kyung Seon. Não fosse o bastante ter de superar um rompimento desses, Jin Ah ainda enfrenta diversas situações desagradáveis no trabalho envolvendo assédio sexual e abuso de poder por parte de seus superiores (#quemnunca). E esse é um ponto super interessante do dorama. Fico muito feliz em ver esse tipo de realidade (infelizmente, uma realidade muita frequente) retratada nas telinhas, já que se costuma colocar panos quentes, né?! Aleluia, Coréia!

14 de junho de 2018

Na Telinha ou na Telona... #128

Olá gente lindaaaa!
A indicação de dorama da semana é o sensacional "Money Flower" (Flor do dinheiro), um dos melhores (se não o melhor!) doramas sobre vingança que eu já assisti. E se tem Jang Hyuk (Fated to Love You, Beautiful Mind) no papel principal, não tem como dar ruim, né?!
"Money Flower" foi ao ar de 11 de novembro de 2017 a 3 de fevereiro de 2018, pela emissora sul-coreana MBC.

Sinopse: O poder do capital é tão forte que está envolvido em todos os aspectos da sociedade. As pessoas fazem praticamente qualquer coisa para proteger o dinheiro que têm e ficam completamente loucas quando sofrem uma pequena perda...
Todos pensam que tem poder sobre o dinheiro... Mas não seria o dinheiro que tem poder sobre as pessoas? 

ELENCO PRINCIPAL:

- Jang Hyuk como Kang Pil Joo (Diretor administrativo do Cheong-A Group e ex-advogado; ele é tão dedicado ao trabalho - muitas vezes sujo - que é conhecido como "o cachorro da Cheong-A"; seu objetivo é tornar Jang Boo Cheon presidente da empresa);
- Park Se Young como Na Mo Hyun (Ativista ambiental e professora substituta de ciências; é filha de um famoso deputado);
- Jang Seung Jo como Jang Boo Cheon (Neto mais velho da família Jang e herdeiro da fortuna do grupo Cheong-A; filho de Jang Mal Ran);
- Lee Mi Sook como Jang Mal Ran (a nora mais velha de Jang Kook Hwan, diretor da Fundação Cheong-A);
- Lee Soon Jae como Jang Kook Hwan (fundador e dono do grupo Cheong-A - o próprio capiroto desse dorama).

Minha opinião: Amei!
Já na sinopse sabemos que o que comanda e controla os personagens de "Money Flower" é o dinheiro, né?! E logo no primeiro episódio, nosso protagonista afirma, com todas as letras, que ele "transborda ganância". E essa é uma frase da qual devemos nos lembrar até o final.
A princípio conhecemos Kang Pil Joo como advogado devotado ao grupo Cheong-A, atualmente na posição de diretor administrativo da empresa. Ele é conhecido como o "cachorro da Cheong-A", porque é sempre responsável por resolver os problemas da empresa e, muitas vezes, fazer o trabalho sujo para manter o nome dos Jang (donos do grupo) sempre "limpo" e longe de qualquer burburinho.
Já no início do dorama vemos que Kang Pil Joo tem uma relação muito próxima com Jang Mal Ran, a nora mais velha da família Jang, e com Jang Boo Cheon, o neto mais velho. Percebemos também que ele se comporta, de fato, como o "cachorro da Cheong-A", até mesmo indo para a prisão no lugar de Boo Cheon (mais de uma vez). É difícil, portanto, entender o que se passa. Até que... a real identidade e a real intenção de Pil Joo vêm à tona.

11 de junho de 2018

RESENHA: O Morro dos Ventos Uivantes

Editora: Zahar
Autor(a): Emily Brontë
Número de páginas: 376

Sinopse: Essa é uma história de amor e obsessão. E de crueza, devastação e purgação. No centro dos acontecimentos estão a irascível voluntariosa Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo Heathcliff. Rude nos afetos e modos, humilhado e rejeitado, ele aprende a odiar, mas com Catherine desenvolve uma relação de paixão e simbiose, e também perversidade. Nada destruirá a essência desse laço, porém, quando ela se casa com outro homem, por convenções sociais, as consequências são irreparáveis para todos em volta. Caro leitor, você está prestes a adentrar o inferno. Mas não hesite: a viagem valerá cada segundo. Com um olhar agudo e sensível, Emily Brontë fez de O Morro dos Ventos Uivantes um estudo da degradação humana provocada pelas armadilhas do destino e um retrato comovente. Acompanhando a excelente tradução, essa edição traz apresentação, cronologia de obras e vida da autora, mais de 90 notas e ainda dois textos de Charlotte Brontë, escritos para a reedição do livro organizada por ela após a morte da irmã.
Olá gente lindaaa!
Hoje vim falar, mais uma vez, sobre o livro "O Morro dos Ventos Uivantes", que tive a oportunidade de rever em uma #LeituraColetiva. Não poderia começar essa resenha sem falar sobre a experiência de reler esta história, do quanto eu consegui absorver muito mais a essência da história do que quando li pela primeira vez, anos atrás. 
Na primeira vez que eu li (logo após ler a Saga Crepúsculo, como aconteceu com muitos leitores), eu fiquei completamente decepcionada com a obra de Brontë, pois estava esperando um romance adolescente e/ou bem "água com açúcar" como a saga de Stephenie Meyer. No entanto, desta vez, sabendo o que encontraria e o que eu NÃO encontraria, a experiência foi completamente diferente.

Somos apresentados à Wuthering Heights (O Morro dos Ventos Uivantes), a princípio por Lockwood, que resolve visitar seu senhorio, seu único vizinho. Ele relata sua estranha visita e demonstra sua curiosidade não apena em relação ao senhorio, Sr. Heathcliff, mas os demais ocupantes da casa, que parecem tão sombrios e infelizes. Até mesmo os cachorros da propriedade são retratados como feras selvagens. E ainda que sua recepção não tenha sido das melhores, Lockwood regressa à propriedade em que está acomodado, Thrushcross Grange. e prometendo fazer uma nova visita no dia seguinte. E de fato a faz. No entanto, é ainda pior do que a experiência anterior, já que é impedido de deixar a casa por conta do mal tempo. E que noite longa! Cheia de pesadelos extremamente reais.

9 de junho de 2018

#LeituraColetiva - O Morro dos Ventos Uivantes | #quotes (capítulos de 27 a 34)

Olá gente lindaaaa!
Nossa #LeituraColetiva de "O Morro dos Ventos Uivantes", de Emily Brontë, chegou ao fim. Só eu acho que passou rápido demais?
Confiram minhas quotes favoritas dessa última parte do romance, dentre os capítulo 27 e 34:

"- Sei que ele tem uma natureza ruim - disse Catherine -, é seu filho, afinal. Mas felizmente a minha é melhor, e sou capaz de perdoá-lo. Sei que ele me ama, e por esse motivo amo-o também. Sr. Heathcliff, o senhor não tem ninguém para amá-lo, e, por mais infeliz que nos faça, ainda teremos a vingança de pensar que a sua crueldade advém de uma infelicidade ainda maior! O senhor é infeliz, não é? Solitário feito o diabo, e invejoso como ele também! Ninguém o ama... ninguém vai chorar pela sua morte! Eu não gostaria de estar no seu lugar!" (página 309)
"- Vou lhe contar o que fiz ontem! Mandei o coveiro que cavava a sepultura de Linton remover a terra de cima do caixão dela e o abri. Por um momento, achei que ia ficar lá: quando voltei a ver o rosto dela, e é o rosto dela ainda, ele teve muito trabalho para me levar embora dali. Mas disse-me que o rosto ia se alterar se o ar entrasse, então abri um dos lados do caixão e voltei a tampá-lo... não o lado que dá para Linton, diabos o carreguem! Gostaria que ele tivesse sido soldado com chumbo. E dei dinheiro ao coveiro para abrir aquela parte do caixão dela quando eu tiver sido colocado ali, e abrir o meu também. Vou deixar tudo preparado, e quando Linton chegar até nós, não vai saber mais quem é quem!" (página 309-310)

8 de junho de 2018

#LeituraColetiva - Releituras de "O Morro dos Ventos Uivantes"!

Olá gente lindaaaa!
E chegamos à última semana da #LeituraColetiva de "O Morro dos Ventos Uivantes", de Emily Brontë. Passou super rápido!
Eu já falei sobre as adaptações cinematográficas, televisivas, etc. da obra:
E a Luna, do blog Emoções à Flor da Pele, que também está participando da #LeituraColetiva, fez uma postagem super bacana falando de livros que citam "O Morros dos Ventos Uivantes". Confiram AQUI!

E hoje eu trouxe uma lista com alguns livros que são baseados, inspirados, adaptados etc. nesse clássico que nos deixa sempre tão divididos entre amor e ódio. Se preparem, pois a lista é loooooonga. Confiram!

Abide with Me
Autor(a): Sabin Willett
Editora: Simon Schuster
Ano: 2013 | Número de páginas: 368
Amazon


Sinopse: Neste romance inspirado em Wuthering Heights, um bad boy da cidade pequena forjado pelos incêndios do Afeganistão volta para casa, ainda queimando com uma obsessão romântica que nada pode apagar.
Quando o nevoeiro sobe uma manhã, um soldado solitário está voltando para casa. Quem é ele? O reboque sonolento e fofoqueiro da ponte Hoosick, Vermont, o esquecera, mas logo se lembrará. Ele é Roy Murphy, retornando para enfrentar sua reputação violenta e complicada como o bad boy do “Park”. Voltando para Emma Herrick, descendente da primeira família da Hoosick’s Bridge, que ocupa sua maior e agora decadente casa: The Heights.
Seu intenso e improvável romance adolescente forneceu fofocas escandalosas para a cidade, especialmente depois que o pai de Emma trouxe desgraça e tragédia para a família. Os jovens amantes escaparam da Ponte Hoosick, mas Emma continuou sendo a obsessão de Roy muito depois de se separarem. Agora Roy retorna do Afeganistão, um homem mudado e extraordinário que não vai parar por nada para obter um pedaço do legado de Herrick. [tradução livre]

7 de junho de 2018

Na Telinha ou na Telona... #127

Olá gente lindaaaa!
A indicação de dorama da semana é um daqueles que parece novela mexicana (quem não gosta de A Usurpadora?), então nem preciso dizer que eu A-D-O-R-O!
Comecei a assistir "Good Witch" (Bruxa Boa), também conhecido como "Nice Witch", porque estava precisando de algo mais leve e despretensioso pra superar o término de "My Ahjussi" e os episódios iniciais de "Come and Hug Me" (que ainda está no começo, mas já chegou com os dois pés no meu peito. Mas isso é assunto para um post futuro). Logo no início eu fiquei presa por conta da temática "gêmea boa" X "gêmea má". Não vou negar, não me canso desse clichê!
"Good Witch" foi exibido pela emissora SBS de 3 de março a 5 de maio de 2018.

Sinopse: Quão longe irá uma mulher para ajudar sua irmã gêmea? Cha Sun Hee e Cha Do Hee são irmãs gêmeas idênticas cujas vidas se reviram do avesso quando seu pai, um policial condecorado, morre ao impedir que uma mulher seja atacada. Tanto Sun Hee quanto Do Hee ganham bolsas para estudarem o curso de aeromoça na faculdade, mas acabam tendo que ficar apenas com uma bolsa. Embora a doce Sun Hee tenha ficado em primeiro lugar no vestibular, ela abre mão do curso para que a irmã Do Hee, mais ambiciosa, siga a carreira no lugar dela. As irmãs se afastam, pois começam a levar vidas muito diferentes. A ambiciosa Do Hee acaba se tornando uma aeromoça exemplar em uma grande companhia aérea e começa a jogar jogos perigosos com pessoas poderosas para melhorar de situação. Sun Hee leva uma vida de casada com Bong Chun Dae, com quem tem uma filha, Cho Rong, enquanto arruma empregos inconvencionais para sustentar sua família. Mas as vidas das gêmeas se cruzam novamente quando Do Hee é atacada por um homem misterioso e passa por uma cirurgia de emergência. Ela implora que Sun Hee tome seu lugar em uma reunião importante no dia seguinte no aeroporto. Quando Sun Hee vive a vida da irmã como aeromoça, ela se vê numa situação que está longe de suas competências. Será que ela conseguirá fingir bem nesse emprego e sobreviver às interações constrangedoras com o piloto Song Woo Jin sem que ninguém descubra a verdade?

ELENCO PRINCIPAL:

- Lee Da Hae como Cha Do Hee / Cha Sun Hee (Do Hee é uma aeromoça bem sucedida conhecida como "Bruxa de sangue frio", pois é agressiva, exigente e só se importa consigo mesma; Sun Hee é a gêmea boa, abandonou o sonho de ser comissária para ajudar a irmã a realizar o mesmo sonho; hoje é uma dona de casa que se mata de trabalhar em vários empregos temporários);
- Ryu Soo Young como Song Woo Jin (piloto de avião que trabalha na mesma empresa que Cha Do Hee; ele não deseja se casar e faz exercícios e meditação para se manter livre de qualquer atração sexual por um mulher);
- Bae Soo Bin como Bong Cheon Dae (marido "encostado" de Sun Hee; desde que se casaram, mais de dez anos atrás, ele nunca teve sequer um emprego é é sustentado pela esposa, assim como a mãe e a irmã dele);
- Lee Han Seo como Bong Cho Rong (filha de Sun Hee e Cheon Dae; em muitos momentos os papéis parecem se inverter e é ela quem dá conselhos, consola e ajuda a mãe);
- Geum Bo Ra como Byeon Ok Jung (sogra de Sun Hee; vive as custas da nora, defende o filho e apoia todas as folgas dele; faz da vida de Sun Hee um verdadeiro inferno).


Minha opinião: Adorei!
Como eu disse, adoro esse clichê de irmãs gêmeas que "trocam" de lugar, e é essa a premissa de "Good Witch". O sonho das gêmeas Cha Do Hee a Cha Sun Hee sempre foi ser comissárias de bordo, no entanto esse sonho só se tornou possível para uma dela por conta de algumas circunstâncias. Após a morte do pai, um policial honesto e amoroso, a vida de toda a família mudou.
Ao morrer para salvar uma mulher desconhecida, o policial foi acusado de tentar cometer um crime e foi "desonrado". Além disso, a família começou a passar por dificuldades, de modo que Sun Hee resolveu trabalhar para ajudar nas despesas da casa. Enquanto isso, Do Hee usufruiu não apenas de uma bolsa de estudos para se tornar uma comissária de bordo (o que só foi possível porque Sun Hee, a verdadeira dona da bolsa, abriu mão dela pelo bem da irmã).
Enquanto Sun Hee vive de acordo com o que aprendeu com o pai, a ser gentil e honesta, Do Hee faz exatamente o oposto para não permitir que o mesmo que aconteceu com o pai aconteça com ela. Ela quer dinheiro e poder para não ser pisoteada por ninguém. No entanto, isso acabou por fazê-la indiferente à própria família.
Enquanto Doo Hee é uma comissária de bordo, Sun Hee acabou se casando, tendo uma filha e se tornando o sustento da casa. Isso mesmo, ela é casada há mais de dez anos e nesse tempo todo o marido nunca trabalhou... fica o dia todo postando fotos no Instagram, se achando o macaco da bala chita enquanto a mulher se mata de trabalhar em vários empregos. Não consegui engolir isso nem por um minuto. Aff!

4 de junho de 2018

#LeituraColetiva - Adaptações cinematográficas e televisivas de "O Morro dos Ventos Uivantes" (Parte 3)

Olá gente lindaaaa!!
Estamos na última semana de #LeituraColetiva e posso dizer que foi uma experiência incrível já quero repetir!). E, para continuar com nossos extras  curiosidades sobre "O Morro dos Ventos Uivantes", hoje trago as adaptações cinematográficas e televisivas feitas a partir do ano 2000. Confiram!

Confiram as adaptações feitas entre as décadas de 1920 e 1960 AQUI!
Confiram as adaptações feitas entre as décadas de 1970 e 1990 AQUI!

2000 – The Ghost of Wuthering Heights
Uma adaptação produzida para um programa de rádio americano, Radio Tales, que adaptou os elementos “fantasmagóricos” do romance clássico de Emily Brontë para a National Public Radio e a XM Satellite Radio.
Fonte: Academic



2002 Sparkhouse
Minissérie da BBC. Trata-se de uma versão moderna de Wuthering Heights em que os papéis de gênero estão invertidos. Nesta adaptação,  Carol (Heathcliff) e Andrew (Cathy) não foram criados juntos, mas são namorados de infância. Um fato interessante é que Carol é interpretada por Sarah Smart, mesma atriz que interpretou Catherine na adaptação de 1998.
Fonte: BBC


2003 – Wuthering Heights
Adaptação moderna do romance clássico que foi ao ar na MTV e mais tarde foi lançado em DVD. É estrelado por Erika Christensen, Mike Vogel, Christopher Masterson, Katherine Heigl, John Doe e Aimee Osbourne. O roteiro foi de Max Enscoe e Annie deYoung, de um roteiro original de Jim Steinman e Patricia Knop. Embora definido na Califórnia, o local de filmagem foi Cabo Rojo, Porto Rico.
Fonte: Wikipedia

2 de junho de 2018

#LeituraColetiva - O Morro dos Ventos Uivantes | #quotes (capítulos de 19 a 26)

Olá gente lindaaa!!!
Já estamos na terceira semana da #LeituraColetiva de "O Morro dos Ventos Uivantes", de Emily Brontë. Confiram minha quote favoritas do capítulos de 19 a 26! Sim, desta vez será apenas uma quote. devo confessar que essa nova geração de Catherine e Heathcliff é menos interessante ou intensa que a primeira, de modo que não há muitos trechos "citáveis". Nesta terceira parte do romance (divisão feita por nós para a leitura coletiva), o foco é a vingança de Heathcliff, de modo que os capítulos são dedicados a nos apresentar os "novos" personagens e os acontecimentos da vingança, propriamente dita.

"Adivinhei, por esse relato, que a completa falta de compaixão tornada o jovem Heathcliff egoísta e desagradável, se ele já não o era por natureza.Meu interesse consequentemente diminuiu, embora ainda me compadecesse de sua sorte, e desejasse que tivesse sido deixado conosco." (página 237)

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

1 de junho de 2018

#LeituraColetiva - Adaptações cinematográficas e televisivas de "O Morro dos Ventos Uivantes" (Parte 2)

Olá gente lindaaaaa!
E dando continuidade aos "extras" ou, se preferirem, as curiosidades sobre o "O Morro dos Ventos Uivantes", inspiradas pela #LeituraColetiva que está rolando (saiba mais aqui!), hoje trago mais algumas das muitas adaptações cinematográficas, televisivas e etc., desta vez as foram feitas dentre as 1970 e 1990.

Confiram as adaptações feitas entre as décadas de 1920 e 1960 AQUI!

1970 Wuthering Heights
Filme dirigido por Robert Fuest. É baseado no romance clássico de Emily Brontë de mesmo nome. Como a versão de 1939, este filme retrata apenas os primeiros dezesseis capítulos que terminam com a morte de Catherine Earnshaw Linton e omite os julgamentos de sua filha, o filho de Hindley e o filho de Heathcliff. Nos papeis de Heathcliff e Catherine, respectivamente, o ator Timothy Daltone a atriz Anna Calder-Marshall.
Fonte: Wikipedia
Filme completo (em inglês): YouTube



1970 The Semaphore Version of Wuthering Heights
Segundo episódio da segunda temporada do programa de comédia britânico “Monty Python's Flying Circus”, que mostrava os atores se comunicando via sinalizadores de semáforo. Os shows eram compostos de humor surrealista, risqueado ou insolente, piadas visuais e esboços observacionais sem falas.
Fonte: Wikipedia
Assista: YouTube

1971 Dark Shadows
Dark Shados é uma novela gótica americana que originalmente foi ao ar nos dias de semana na rede de televisão ABC, de 27 de junho de 1966 a 2 de abril de 1971. O programa retratou as vidas, amores, provações e tribulações da rica família Collins de Collinsport, Maine, onde ocorrem várias ocorrências sobrenaturais. Wuthering Heights foi usado como inspiração para o enredo final da novela, dentre os episódios 1186 e 1245.
Fonte: Wikipedia

1973 – Vendaval
Novela brasileira exibida pela RecordTV entre 12 de março e 28 de julho de 1973, às 20h, em 120 capítulos. Baseada no romance O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë, foi escrita por Ody Fraga e dirigida por Waldemar de Moraes. Nesta versão, Alfredo volta à fazenda Vendaval, onde foi criado, após cinco anos de ausência. Lembra dos primeiros dias em que chegou ao local, trazido pelo Sr. Cavalcante, para viver ao lado de Catarina e Rodolfo, seus irmãos de criação e, principalmente, do amor que alimentara por Catarina. Nos papéis principais, Hélio Souto (Alfredo – Heathcliff) e Joana Fomm (Catarina – Catherine).
Fonte: Wikipedia

1976 Cumbres Borrascosas
Telenovela venezuelana inspirada em Wuthering Heights. Nos papéis principais, José Bardina (Heathcliff) e Elluz Peraza (Catalina). esta versão apresenta as duas gerações de personagens.
Fonte: Wikipedia