7 de novembro de 2016

RESENHA: A Caminho do Altar (Os Bridgertons #8)

Editora: Arqueiro
Autor(a): Julia Quinn
Número de páginas: 320

Sinopse: Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece.
O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la.
Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?
A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la.

Olá gente lindaa!!
Hoje vim falar de "A Caminho do Altar", oitavo livro da série "Os Bridgertons", minha queridinha! Vocês sabem que eu sempre morro de amores pelos livros da Julia Quinn nas minhas resenhas, e dessa vez não será diferente. Mais um volume apaixonante, viciante e lindo de viver dessa série... o que me faz pensar (mais uma vez): "Ah, acho que esse é o meu favorito da série!". (quem leu minhas resenhas dos outros volumes da série, sabe que eu sempre digo isso, então...).

Antes de conferir a resenha, não deixe de conhecer os volumes anteriores:
O Duque e Eu (livro #1) | O Visconde que me Amava (livro #2)

Ao contrário da maioria de seus amigos e da maioria dos protagonistas dos livros anteriores dessa série, Gregory é um romântico incurável, principalmente após ver TODOS seus irmãos se casarem por amor. Ele acredita no amor e vive esperando pelo momento em que seu coração irá bater mais forte por alguém. Ele tem certeza que é apenas uma questão de tempo para que isso aconteça. Afinal, seu grande amor está em algum lugar, esperando pelo encontro tanto quanto ele.
"Realmente não sabia. No que dizia respeito a esta incrível, maravilhosa e, por enquanto, inexistente mulher, só o que ele tinha certeza era que, quando a encontrasse...
Ele saberia." (páginas 10-11)
Em uma festa realizada por seu irmão Anthony e sua cunhada Kate (dá até pra matar um pouco a saudade desse casal), Gregory se depara com nada mais que a nuca daquela que ele passa a acreditar ser a mulher de sua vida, Hermione Watson. A garota no entanto, apesar da beleza estonteante, não parece muito receptiva aos cortejos de Gregory ou qualquer outro homem. 
Lucy Abernathy, por sua vez, melhor amiga de Hermione, na tentativa de fazer com que a outra tire da cabeça a ideia de estar apaixonada pelo secretário de seu pai, resolve dar uma forcinha para Gregory e tentar ajudá-lo a conquistar Hermione
"Criaturas misteriosas, as mulheres. Se elas ao menos aprendessem a dizer o que pensam, o mundo seria um lugar muito mais simples." (página 21)
Lucy, ao contrário de Hermione e Gregory, não acredita que o amor seja grande coisa, por isso é meio cética em relação aos suspiros da amiga em relação ao homem que acredita amar. Lucy é a típica garota certinha, que fica feliz com a normalidade, organização e rotina de sua vida toda planejada. Ela sempre soube com quem iria se casar, afinal, ela é prometida de homem que mal conhece há anos. E está tudo bem. Até que ela conhece Gregory
"Mas de alguma forma... Talvez fossem os olhos dele, de repente mais verdes do que ela havia notado, e tão concentrados em seu rosto...
Lucy engoliu em seco. Por Deus, o que estava acontecendo com ela que bem mesmo conseguia terminar os próprios pensamentos?" (página 56)
Em meio as estratégias para fazer com que Hermione perceba Gregory, é a própria Lucy quem acaba se encantando por ele. Ele, no entanto, só desiste da garota quando algo irreversível e inevitável acontece. Porém, ao contrário do esperado, Gregory percebe que não está sofrendo como acreditou que estaria em uma situação semelhante. E, talvez, apenas talvez, isso se deva a sua nova amiga, Lucy.
A garota pode ser um exemplo de organização e normalidade, mas tem uma língua afiada e uma personalidade única. Assim como o próprio Gregory, Lucy come demais e, claro, fala pelos cotovelos. Principalmente quando está na presença do rapaz.
"Tinha razão antes. Tudo estava mudando. Já não se sentia mais a mesma. Sentia-se... Desperta." (página 149)
O que eu mais gostei em "A Caminho do Altar", foi o fato de o amor entre o casal não ter sido algo instantâneo, pelo contrário, começou com uma amizade e foi se transformando. Lucy também foi uma ótima surpresa, uma jovem toda certinha, que tinha tudo para ser um verdadeiro pé no saco, na verdade se mostrou encantadora e cativante (na verdade, a chata acabou sendo Hermione). E a mensagem que fica desse livro é que Gregory, com certeza, sempre esteve certo: o amor existe! Pode não ser algo tão fantástico e do outro mundo ao ponto de você reconhecer a pessoa amada em meio a uma multidão apenas pela nuca, mas existe. Leitura super recomendada, claro!
"O amor existia.
Estava bem ali, no ar, no vento, na água. Só era preciso esperá-lo.
Cuidar dele.
Lutar por ele." (página 259)
Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)