30 de maio de 2016

RESENHA: O Conde Enfeitiçado (Os Bridgertons #6)

Editora: Arqueiro
Autor(a): Julia Quinn
Número de Páginas: 304

Sinopse: Toda vida tem um divisor de águas, um momento súbito, empolgante e extraordinário que muda a pessoa para sempre. Para Michael Stirling, esse instante ocorreu na primeira vez em que pôs os olhos em Francesca Bridgerton.
Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca se tornaria esposa do primo dele.
Mas isso foi no passado. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite.
Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. Agora o ex-devasso precisa convencê-la de que nenhum homem além dele a fará mais feliz.
No sexto livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn mostra, em sua já consagrada escrita cheia de delicadezas, que a vida sempre nos reserva um final feliz. Basta que estejamos atentos para enxergá-lo.
Olá gente lindaaaa!
Ahhh como eu estava com saudade de falar de livros da Julia DIVA Quinn! Finalmente li o sexto volume da série "Os Bridgertons" e, assim como fiquei após a leitura de cada um dos livros anteriores, estou apaixonada e suspirante. Já não sei mais dizer qual dos livros da série é o meu favorito.

CONFIRAM MINHAS RESENHAS DOS LIVROS ANTERIORES:
O Duque e Eu (livro #1)

É preciso dizer que todos os livros de "Os Bridgertons" são um pouco parecidos, ou melhor, possuem muito em comum: além de envolverem algum membro dessa família tão querida e se passar no século XIX, todos os mocinhos são apaixonantes e as mocinhas também não deixam por menos. Além, é claro, dos diálogos espirituosos e bem-humorados. Com "O Conde Enfeitiçado" não foi diferente. E nem poderia ser, afinal, estamos falando e um amor guardado a sete chaves durante anos (!!!).
"Ah, ele disfarçava bem. Não seria de bom-tom mostrar-se incomodado ou triste. Se fizesse isso, algum observador mais sagaz poderia notar e - Deus o livre - perguntar como ele se sentia." (página 10)
O sexto livro da série "Os Bridgertons" traz como protagonista Francesca, a personagem de quem menos lemos nos livros anteriores. Tudo o que sabemos dela até então, é que ela é viúva (embora jovem) e mora na Escócia.
A história começa quatro anos antes, e conhecemos uma Francesa casada e feliz. Ela e o marido John se amam e se entendem como ela jamais poderia ter sonhado. Ela não poderia desejar outra coisa senão a rotina tranquila que leva ao lado do marido e, quase diariamente, do primi do marido, seu melhor amigo Michael. Ela tem tanta liberdade para conversar com Michael quanto tem com o próprio marido. Porém, ela nem imagina que Michael é apaixonado por ela desde que a viu pela primeira vez, em seu noivado com John.
"Não cobiçarás a mulher do teu primo.
Moisés deve ter esquecido de anotar esse." (página 15)
Assim, para evitar que seu amor por Francesca seja descoberto, Michael faz questão de expor sua libertinagem e, aparentemente se orgulha do apelido "Devasso alegre". Ele se culpa diariamente por nutrir tal sentimento pela esposa do primo, já que John é para ele como um irmão e a quem ele ama e respeita muito. Sua culpa se torna ainda mais pesada quando John morre de repente e ele se vê sendo dono de tudo que, até então, era do primo. Michael nunca almejou os bens do primo, muito menos d título de conde, mas é o que, naturalmente, acontece com a morte de John. E Michael se sente ainda pior ao constatar que não basta possuir tudo o que era do primo, ele segue desejando a esposa do falecido.  Desse modo, ele não vê outra alternativa senão fugir viajar para longe.
Quatro anos depois, Michael resolve voltar e passar primeiro em Londres, sem sequer imaginar que encontraria Francesca. Ele gostaria de ter tido alguns dias para se preparar para o reencontro, talvez assim não se sentisse tão abalado.
Francesca, por sua vez, não consegue entende o motivo de se sentir tão diferente ao lado de Michael, afinal, ele é seu amigo, não é?!
"Mas agora, de repente...
Ela olhara para ele e vira algo completamente novo.
Vira um homem.
E aquilo a assustara terrivelmente." (página 83)
***
Ai, meu coraçãozinho! Como viverei meus dias a partir de hoje sem a presença desse conde, ou melhor, desse devasso alegre? Gente, eu posso soar repetitiva (pois digo coisas desse tipo sempre que concluo a leitura de um livro dessa série), mas Michael é completamente apaixonante! Ele ama Francesca desde o início e sofre em silêncio. Ele sofre duplamente, pois ama a esposa do primo: sofre ao vê-los felizes e sofre por sofrer ao vê-los felizes (entendem?).
Francesca foi uma bela surpresa. Ela é, definitivamente, diferente de todos os outros Bridgertons. Ela não é do tipo que conquista todos com um simples comentário ou gracinhas, ela é mais reservada e escusa, mas igualmente encantadora. 
Como eu comentei, não sei mais dizer qual é o meu favorito, só sei dizer que amei "O Conde Enfeitiçado" como amei os livros anteriores. E, a cada página, amei Michael com todo meu coração e torci para que ele e Francesa tivessem o merecido final feliz após tantos anos de culpa e solidão. Livro mais do que recomendado aos apaixonados por romances de época leves, com diálogos espirituosos, cenas suspirantes...
"E, no entanto, se surpreendeu. Cada vez que acreditava saber tudo a respeito dela, que memorizava, mesmo sem querer, cada novo detalhe a respeito de Francesca, algo nela tremeluzia e mudava, e ele se pegava apaixonando-se outra vez." (página 134)

 Classificação: 

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!


Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)