1 de setembro de 2014

RESENHA: Os Segredos de Colin Bridgerton (Os Bridgertons #4)

Editora: Arqueiro
Autor(a): Julia Quinn
Número de Páginas: 336

Sinopse: Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. 
Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. 
Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. 
Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. 
No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz. 
Em Os segredos de Colin Bridgerton, quarto livro da série Os Bridgertons, que já vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares, Julia Quinn constrói uma linda história que prova que de uma longa amizade pode nascer o amor mais profundo.

Olá gente lindaaa!
Ai como eu estou suspirante após mais um livro da série "Os Bridgertons". A cada novo volume fica mais difícil determinar de qual Bridgerton eu gosto mais! Colin esbanja charme, sorrisos desestruturantes e muito encanto nesse quarto volume. 

Confira as resenhas dos livros anteriores:


Essa imagem ajuda bem a visualizar esses irmãos tão unidos, divertidos e encantadores. A imagem é baseada no primeiro volume da série, em que Colin tem apenas 22 anos. Neste quarto volume, o terceiro filho da Sra. Bridgerton já está com seus 33 anos completos e ainda não pensa em casamento. 
"No dia 6 de abril de 1812 - dois dias antes de seu aniversário de 16 anos -, Penelope Featherington se apaixonou.
Foi, em uma palavra, emocionante." (página 9)
Quem acompanha a série sabe que a srta. Penelope Featherington já é bastante conhecida, principalmente pelas escolhas de vestuário que nunca passaram despercebidas por Lady Whistldown, a escritora anônima de uma coluna de fofocas. A pobre moça sempre foi vítima do mal gosto da mãe, por isso sempre chamou a atenção por exibir roupas horrendas em corres que não lhe favoreciam em nada sua aparência comum. Por outro lado, na maior parte do tempo ela era praticamente invisível. Até mesmo em sua própria casa.
"Os "elogios" da mãe tendiam a ter o efeito de ferrões de vespas sobre ela." (página 21)
Não é a toa que hoje, aos 28 anos de idade, ela seja uma solteirona. Suas duas irmãs mas velhas se casaram, enquanto ela nunca recebeu sequer uma proposta. Lhe resta apenas sua irmã mais nova, sua amiga e confidente (ou quase) Felicity. A mãe já deu como perdida a possibilidade de casar Penelope, por isso suas atenções estão todas voltadas para a caçula. A perspectiva que a sra. Featherington tem para Penelope? Tê-la por perto para o resto da vida para lhe fazer companhia ou, como a própria Penelope acredita, para mantê-la como sua escrava pessoal.
Penelope é apaixonada por Colin Bridgeton desde os dezesseis anos e, desde sempre ela encara a realidade de que jamais será correspondida. Ela nem ao menos tem essa pretensão. Desde que iniciou sua amizade com Eloise Bridgerton, há mais de 10 anos, ela nunca deixou de frequentar a casa dos Bridgertons, por isso, desde então desenvolveu um forte afeto pela família toda e acabou por conviver com o homem de seus sonhos, pelo menos enquanto ele ficava em Londres, já que passava a maior parte do tempo viajando pelo mundo.
Porém, Penelope sabe que Colin sempre a viu como uma simples colega, a melhor amiga de sua irmã, aquela jovem sem nenhum atrativo com quem Colin sempre dançava nos bailes, após notar que ela era a única jovem solitária nos cantos do salão. E, para Penelope isso bastava. 
"Um amor não correspondido não era nada fácil de administrar, mas ao menos Penelope Featherington já estava acostumada." (página 20)
Colin sempre foi meu personagem favorito (se é que é possível escolher!), o mais divertido, com as melhores tiradas, sempre faminto (sério, é difícil disputar a atenção do rapaz com alguma comida! hahah) e sempre com aquele sorriso matador no rosto.
Quem olha para Colin logo imagina (e com muitos indícios) que ele tem uma vida perfeita, que está 100% satisfeito com suas conquistas, afinal, ele é um Bridgerton! Entretanto, ao analisar sua vida e seus 33 anos de idade, Colin não consegue encontrar uma conquista sequer. Ok, ele é um Bridgerton, mas isso se deve a sua grande sorte por ter nascido como membro dessa família, não é sua realização. Enquanto Anthony é um visconde, Benedict um artista e Daphne uma duquesa, o que ele próprio é? Ele não possui nada que possa chamar de seu, nada que tenha conquistado. A única coisa que ele fez durante sua vida toda foi viajar, conhecer novos luares e, ao mesmo tempo que o faz por amar isso, no fundo ele sabe que está sempre fugindo. Sempre tentando esquecer que ele não passa de um homem encantador (como sempre enfatiza Lady Whistldown), mas sem qualquer utilidade.
"É fácil achar que não nos importamos com a opinião dos outros quando elas nos são sempre favoráveis. Será que ele ignoraria com tanta facilidade o que os membros da sociedade achavam se eles o tratasse da maneira como tratavam Penelope Featherington?" (página 29)
Ao voltar para Londres após mais uma de suas viagens, tudo prometia ser como sempre foi. Mais uma temporada de bailes, mais fofocas e mais tempo em família. Porém, de algum modo, ele acaba se tornando mais próximo de Penelope, que sempre fez parte da família Bridgerton, já que era a melhor amiga de sua irmã. No entanto, ao passar cada vez mais tempo com ela, Colin nota que ela é bastante inteligente, espirituosa... como é possível que ele nunca tenha notado o quão agradável ela é? Desde o dia em que ele passou por uma situação constrangedora (anos atrás), quando declarou em alto e bom som que não se casaria com Penelope Featherington (e ela o ouviu), Colin pensou que seria impossível conseguir manter uma simples relação de amizade com ela, mas estranhamente não foi o que aconteceu.
"Olhou para ela e, de alguma forma, não viu a mulher que vira tantas vezes antes. Penelope estava diferente. Ela brilhava. Era uma sereia, uma deusa, e ele se perguntou como era possível que ninguém jamais tivesse percebido." (página 124)
Agora, anos depois, Colin começa a enxergar Penelope como nunca havia feito. Na verdade, se lhe perguntassem a cor dos olhos dela há alguns dias, ele não saberia responder, mas... de algum modo, principalmente após beijá-la (genteeeee, ele a beijou!) ele não consegue tirá-la da cabeça. 
"Tinha esse estranho hábito. Sempre recordava os dias da semana em que as coisas tinham ocorrido.
Conheceram Colin numa segunda-feira e o beijara numa sexta. Doze anos depois.
Deixou escapar um suspiro. Aquilo lhe pareceu um tanto patético." (página 141)
***
Gente, me perdoem pelo tamanho dessa resenha, mas não consegui reduzir! hahah
Vocês sabem que toda a ambientação oitocentista é meu ponto fraco, né?! Alguém aí pensou em Jane Austen? Agora, some a isso o fato de a escrita de Julia Quinn ser deliciosamente leve e divertida. Tem como não gostar?
É evidente que eu amei o livro, né?! Mas o que eu mais gostei foi do fato de o casal não ter passado pela situação de 'amor relâmpago', tudo aconteceu com a convivência (ainda que tenha demorado doze anos!). Há grandes revelações sobre a misteriosa escritora da coluna de fofocas que fala de toda a sociedade londrina há mais de uma década, por isso é provável que não leiamos mais nada dela nos próximos volumes, Uma pena!
Eu mais que recomendo esse livro... não sei dizer se é meu favorito, pois também amei os outros da série, mas por ser o que está mas fresco na memória, pode-se dizer que no momento É meu favorito, sim! hahah 

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

3 comentários

  1. Amo essa série, o romances históricos da Julia Quinn são ótimos, quero todos os livros!

    ResponderExcluir
  2. Apaixonada por este livro. Pra mim, é um dos que mais me encantei até o momento. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Eu amo o Colin e a Penny...fiquei encantada com ahistória, cheia de surpresas , diálogos sensacionai e gostei muito da forma que a Julia construiu o amor de Colin pela Penelope..É um dos mais bonitos livros da série.. Agora preciso urgentemente tê-lo na minha estante...
    bjs e parabéns por sua resenha, ficou sensacional

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)