17 de novembro de 2016

Na Telinha ou na Telona... #70

Olá gente lindaaa!!
Hoje é quinta-feira, portanto, dia de falar de dorama! Yeyy! o/
Hoje vim falar sobre o k-drama "The K2", que foi exibido recentemente, na verdade, os últimos episódios foram ao ar na última semana e... uau! Vocês sabem que eu adoro romance, comédia romântica, um bom drama de sangrar pelos olhos, mas às vezes eu gosto de sair um pouco da minha zona de conforto, por isso resolvi assistir "The K2", que apesar de ter um pouco de romance, é ação do começo ao fim.

Sinopse: Kim Je Ha (Ji Chang Wook) é um ex-agente do serviço secreto, que foi abandonado por seus colegas e seu país. Kim Je Ha também é tremendamente atlético, possui excelentes habilidades em artes marciais e nervos de gelo, conhecidos por poucos. Ele é contratado como guarda-costas por Choi Jin Yoo (Song Yoon Ah), a esposa do candidato a presidência e filha de uma família chaebol. Atrás da atitude gentil e amável de Choi Jin Yoo, encontra-se uma mulher com grandes ambições. Em meio a suas lutas, há também Go An Na (Im Yoon Ah), a filha oculta do candidato presidencial que, devido a um trauma de infância, é incapaz de se comunicar com o mundo e só vê o amor como uma ferramenta de vingança. Então, quando ela e Kim Je Ha, ambas almas abandonadas, decidem se vingar das pessoas que os injustiçaram, eles podem colocar seus próprios traumas de lado e se concentrar, ou será que suas cicatrizes emocionais vão levá-los a falhar em sua busca por vingança?
ELENCO PRINCIPAL:

- Ji Chang-wook como Kim Je-ha / K2 (passa de soldado hábil a fugitivo após ser acusado injustamente; após voltar á Coréia, acaba se tornando membro da equipe de segurança JSS, com o intuito de conseguir se vingar do assassino de sua namorada);
- Song Yun-ah como Choi Yoo-jin (esposa do candidato presidencial e filha mais velha de uma família chaebol. Ela é ambiciosa e implacável, e almeja se tornar a primeira dama para ter todo o poder que deseja);
- Im Yoona como Go An-na (filha ilegítima do candidato presidencial Se-joon e de uma famosa atriz; após a morte da mãe, An-nna desenvolve uma fobia social e síndrome do pânico quando exposta a luzes que piscam; cresceu na Espanha, praticamente mantida como prisioneira em um convento; ao voltar para a Coréia,  se torna um peão na corrida de seu pai para se tornar o presidente);
- Jo Sung-ha como Jang Se-joon (candidato presidencial e pai de An-na. Ele cuida de An-na, mas é incapaz de ser presente ou tê-la por perto, a fim de protegê-la de sua esposa, Choi Yoo-jin).

Minha opinião: adorei!
Como eu disse, não costumo assistir doramas de ação, na verdade, acho que "The K2" foi meu terceiro drama do gênero (e olha que já assisti mais de 70 doramas, no total). Talvez, por isso, eu não possa fazer comparações com outras séries e tenha gostado tanto de cada episódio.
A mocinha dessa drama (e não, necessariamente, a protagonista) é Go An-na, uma jovem que foi mandada para um convento na Espanha após a morte da mãe. Convento este, que para An-na é a prisão de onde ela tenta fugir há anos, na tentativa de encontra com seu pai.
Em uma dessas tentativas de fuga, ela esbarra em um estranho, que acaba ajudando-a a despistar seus perseguidores, embora sua fuga tenha falhado.
Esse estranho é  Kim Je-ha, um ex-soldado, que agora é fugitivo por ter sido acusado injustamente de matar civis. Esse é o primeiro encontro do nosso casal protagonista.
Desde o início há um relação bastante complexa entre An-na, seu pai e sua madrasta. Em meio há várias artimanha, ameaças, interesses e ambições, a madrasta de An-naChoi Yoo-jin, a mantém longe se seu pai para, assim, tê-lo na palma de sua mão.
No início, logo percebemos que Yoo-jin é a vilã, mas... com o passar dos episódios, vai ficando cada vez mais difícil dizer isso com tanta certeza. Todos estão tão amarrados, tão mergulhados nos próprios interesses e tentando, de certa forma, sobreviver em meio a uma verdadeira selva política, que muitas das ações de Yoo-jin acabam sendo justificadas. Embora não concordemos com elas.
Já de volta à Coréia, Kim Je-ha acaba cruzando o caminho de Yoo-jin, e após um confronto memorável, eles acabam meio que se aliando. Kim Je-ha está decidido a se vingar do assassino de sua namorada, que é ninguém menos que o candidato que está concorrendo à presidência com o marido de Yoo-jin. Assim, Je-ha é designado para ser guarda-costas de An-na que, sendo filha ilegítima de Se-joon (marido de Yoo-jin) deve ser mantida em segredo a todo custo.
E nessa "missão" de manter An-na escondida e, de certa forma, protegida, Je-ha acaba se apaixonando e é a coisa mais fofa do mundo.
Ok, An-na é fofa, meiga, mas não é a personagem mais encantadora ou carismática do mundo. E, vamos deixar claro que isso nada tem a ver com a atuação da Yoona, mas com a construção da própria personagem, que nos episódios iniciais mal aparecia. Sério, podia até ser uma personagem muda, porque olha... foi difícil essa personagem abrir a boca.
Confesso que a personagem me irritou muitas vezes, mas parei pra pensar e, sim, ela foi a única personagem que foi vítima do começo ao fim. Talvez a única que não tenha feito nada de errado, nada que justificasse a vida solitária que levou. A única personagem que não causou uma dúvida, que não apresentou personalidade dúbia. 
Mas, quem roubou a cena de verdade (além do gatíssimo Ji Chang-wook dando vida ao personagem Je-ha (e que vida, que saúde!), em diversas cenas sem camisa... ui) foi a vilã. Que mulher espetacular, gente!? Se em um episódio você a odeio, no episódio seguinte você ama e shippa com o protagonista. Ela deu um show de atuação! Pensem em uma personagem bem construída, em uma atuação impecável e em uma química com o prota.
Sim, shippei Je-ha com a vilã, shippei com a mocinha (porque eles são fofos juntos) e shippei comigo... porque sim! Porque não sou boba, nem nada!
Quanto ao final, gostei do modo como as coisas foram acontecendo, mas confesso que esperava um final diferente, principalmente para Choi Yoo-jin (a vilã). Ela divou o drama inteiro, então esperava vê-la divar muito mais, com todo o poder, glória e com um boy magia bapho (e não aquele marido dos infernos). Mas, no geral, acho que o final dela e do marido, foi justo. Nenhum dos dois era 100% santo ou 100% vilão. Um casal perfeito!
teve uma cena no último episódio, quase no finalzinho que eu achei que nossa mocinha ia "encarnar" a Choi Yoo-jin. E, sério, isso ia ser o máximo! Mas, não rolou. 

Quanto a trilha sonora, viciei nessas: Today (Kim Bo Hyung - SPICA), As Time Stops (Park Kwang Sun) e Sometimes (Yoo Sung Eun). Ah, e ainda tem a versão da Yoona de uma música que eu acho linda, Amazing Grace

Se quiserem conferir mais essa indicação (e se apaixonar pela vilã, como eu!), os 16 episódios estão disponíves no Drama Fever (para assinantes Premium) e, gratuitamente, no Kingdom Fansubs. Divirtam-se!

Confiram a um dos trailers:


***
Espero que vocês gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)