14 de agosto de 2016

Top 5: Papais Literários!

Olá gente lindaaaa!
Antes de mais nada, gostaria de desejar um Feliz Dia dos Pais a todos os papais! <3
E, para comemorar essa data, dia de alguém tão importante, nada melhor que relembrar 5 papais literários inesquecíveis. E quando digo "inesquecíveis", quero dizer que me marcaram e.... nem sempre de uma forma positiva. Então preparem-se para "papais amorzinhos" e "papais monstrinhos"





1) Charlie (Saga Crepúsculo)
Quem já leu ou assistiu a Saga Crepúsculo, não pode negar que, apesar de Bella e o pai não serem lá muito próximos, Charlie se mostrou um paizão em diversos momentos. Algumas vezes tentando proteger a filha, outras aceitando as decisões dela apesar de se machucar. Além disso, que outro pai seria capaz de acreditar (e aceitar!) todo o desenrolar da história... quem lei a saga até o fim deve se lembrar da batalha interior quando Charlie descobre que a filha é uma vampira. Feliz dia dos pais, Charlie!


2) Sr. Bennett (Orgulho e Preconceito)

E o que dizer do Sr. Bennett, que apesar de ser pai de cinco jovens solteiras em um período em que o casamento era o único meio de garantir um futuro às mulheres, apoia a filha Elizabeth quando ela recusa a proposta de casamento do primo sem noção. A cumplicidade dos dois é um dos ponto mais divertidos do romance. (RESENHA AQUI!)

3) Ray (Cinquenta Tons de Cinza)
Essa é uma homenagem a todos os padrastos, afinal, pai é aquele que cuida, né?! Ray é ex-marido da mãe de Anastasia, a que ela vê e respeita como um pai. As vezes em que ele aparece ou que Ana relembra momentos com ele, deixam claro que ele é um paizão!

RESENHAS:

ATENÇÃO: acabou a sessão reservada para "pais amorzinhos", preparem-se para conhecer ou relembrar "papais monstrilhos"!


4) Anderson (Trilogia Estilhaça-me)
Os fãs da trilogia Estilhaça-me devem concordar comigo quando digo que Anderson é um bom exemplo do tipo de pai que nenhum homem deve ser. O pai de Warner realmente não leva a tarefa muito a sério e só consegue pensar como um comandante, como um soldado, pouco se importando com os sentimentos do filho. Sem contar que, quando um grande segredo (envolvendo Adam) é revelado, nosso ódio por ele é multiplicado. Papais, não sigam esse exemplo!

RESENHAS:
Estilhaça-me (livro 1) | Destrua-me (livro 1,5) | Liberta-me (livro 2)
Fragmenta-me (livro 2,5) | Incendeia-me (livro 3)


5) O Pai (Corações Feridos) 
E, para encerrar nosso Top 5, um dos piores (senão O pior) pai de todos os tempos. Ao longo do livro "Corações Feridos" o pai das gêmeas Hephzibah e Rebecca é chamado de "Ele" ou "O Pai", como se fosse uma entidade, não um ser humano. E, se pararmos para pensar nessa criatura, é preferível acreditar que não é humano mesmo...
Um extremista religioso, super rígido e temido dentro da própria casa, que em vez de um santuário, representa a pura e absoluta opressão. (RESENHA AQUI!)

***
Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)