29 de agosto de 2016

RESENHA: Eu sem Você

Editora: Arqueiro
Autor(a): Kelly Rimmer
Número de Páginas: 304

Sinopse: Há um ano, conheci o amor da minha vida. Para duas pessoas que não acreditavam em amor à primeira vista, até que Lilah e eu chegamos bem perto de dizer que isso aconteceu conosco. 
Eu tinha um bom emprego em uma agência de publicidade e não fazia outra coisa além de trabalhar. Era incapaz de tomar decisões sobre meu futuro e minha casa inacabada e não sabia aproveitar a vida. Até conhecer Lilah. 
Lilah MacDonald era uma advogada ambientalista linda e decidida – e, para minha surpresa, detestava usar sapatos. Era uma pessoa tão maravilhosa que é até difícil descrevê-la. 
Nosso relacionamento não poderia ser mais improvável, mas me transformou profundamente. Comecei a enxergar as coisas de outra forma e a redescobrir antigas paixões. Lilah me ensinou a viver outra vez e a aproveitar ao máximo tudo o que a vida tem a oferecer. 
Ela me proporcionou momentos incríveis, mas também manteve em segredo algo que partiu meu coração. Ainda assim, se há uma coisa que aprendi com Lilah é que o amor pode curar qualquer ferida. 
Meu nome é Callum Roberts e esta é a nossa história.

Olá gente lindaaa!
Tudo bem com vocês?
Hoje eu vou falar de um romance lindo, que me fez pensar muito no modo como eu tenho vivido (e que tem uma pitadinha de Nicholas Sparks). Estou falando de "Eu sem Você", publicado recentemente pela Editora Arqueiro.

A história é narrada em primeira pessoa por Callum, um publicitária de 39 anos que vive em função de seu trabalho. Ele não tem sonhos, ambições ou qualquer coisa do tipo. Seu maior exemplo de diversão é dormir até mais tarde aos fins de semana e ficar sem fazer nada em seu apartamento (confesso que me identifiquei nessa parte). Ele é um homem de poucos amigos e praticamente não tem contato com a família desde a morte dos pais, anos atrás.
Tudo muda quando ele conhece Lilah, uma advogada ambientalista vegana e riponga que odeia sapatos.
Era para ser mais um dia normal, um trajeto de balsa como o que ele fazia todos os dias do trabalho para casa, mas ele não consegue não notar a mulher linda, falante, bem vestida e descalça presente na balsa. Após uma conversa aparentemente despretensiosa, Lilah e Callum jantam juntos e a ideia de cada um é bastante diferente: ele espera vê-la novamente, ela espera nunca mais vê-lo. Não que ela não tenha gostado de Callum, pelo contrário, ela gostou muito. E esse é o problema.
"- Não dá para estar sempre em uma jornada.
- Claro que dá - murmurou Lilah. - A vida é uma jornada. Você não precisa viajar, mas precisa sempre ir de um lugar para outro, senão vai estagnar." (página 57)
Mas, apesar de Lilah evitar a balsa no dia seguinte, acaba esbarrando em Callum e não consegue evitar um segundo encontro, e um terceiro, e um quarto... mas, sempre deixando claro que o relacionamento entre eles é passageiro, que nunca terão nada sério e duradouro. Apesar de o destino tê-los juntado, Lilah conhece bem seu próprio destino e por isso sabe que Callum precisa sair de sua vida.
"Começo a perceber que estou enfraquecendo minha resolução cada vez que vejo Callum. Fico prometendo a mim mesma que vou mantê-lo a distância, para protegê-lo, porque sei que é o melhor a se fazer." (página 120)
Lilah é uma pessoa contagiante. Ela é elétrica e empolgada e faz de tudo uma causa, um motivo para lutar. Se tem uma palavra que NÃO define Lilah e sua vida, é "inércia". E é isso o que mais atrai Callum. Ela é seu completo oposto. Ela o faz (e a mim também) questionar o modo como ele tem vivido, o fato de ele não ter sonhos, amigos ou qualquer contato com a própria família. Lilah, por outro lado, não consegue evitar a vontade de mostrar o mundo a Callum. Ela quer fazê-lo provar a vida de verdade, fazê-lo viver a vida como se não houvesse amanhã. Porque ela sabe que não há amanhã.
"Lilah havia me reanimado e, no processo, havia e relembrado dos sonhos que eu deixara de lado quando escolhi minha carreira." (página 171)
***
"Eu sem você" é o tipo de livro que te faz refletir, te dá uma sacudida. pelo menos foi o que aconteceu comigo. A história de Callum e Lilah me arrancou risadas, suspiros... mas, não lágrimas. Muitos vão ficar chocados com essa revelação ahahha
Apesar de ser manteiga derretida assumida, com o passar das páginas (principalmente por conta de os capítulos narrados por Callum serem intercalados com trechos do diário de Lilah), achei o final previsível. na verdade, o início do livro e a própria sinopse já deixa bem claro que a história será linda, mas o final não será muito feliz. Eu só não dei cinco estrelas pelo fato de eu ter previsto muito coisa e tal, mas o bacana é acompanhar o desenrolar da história e o relacionamento complicado dos protagonistas. 
Lilah vai ficar na minha memória por muito tempo e acredito que, de vez em quando, ela irpa tentar me tirar da minha inércia auto imposta. Super recomendo a leitura!

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)