9 de fevereiro de 2013

RESENHA: Cinquenta Tons mais Escuros

Editora: Intrínseca
Autor(a): E. L. James
Número de Páginas: 512

Sinopse: Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.

Olá gente lindaaa!
Bem, já que comecei a ler essa trilogia erótica que dá o que falar, nada mais justo do que ler todos de uma vez, né?! Por isso engatei logo no segundo livro (e no terceiro) para ver se meu receio, minhas primeiras impressões a respeito de Gray se mantinham. Massssssssssssss já vou avisando: MUITO PROVAVELMENTE esta resenha apresenta spolers do livro anterior.

Confesso que até certo ponto do livro, embora Christian tenha se mostrado disposto a tentar "ser normal" por Ana, após ser deixado por ela no 'Quarto Vermelho da Dor' no livro anterior, que fugiu apavorada (será?), eu ainda fiquei com o pé atrás.

Após alguns dias negros em sua vida, Ana recebe um e-mail de Christian lhe oferecendo uma inocente carona para a exposição de José (amigo de Ana) e, como ela não terá outro jeito de ir cumprimentar o amigo, ela acaba aceitando, mesmo estando determinada a manter sua decisão de não dar continuidade a sua relação com o milionário Christian Gray.
Bem... é claro que isso não dá certo, né?! Quem é capaz de resistir ao maníaco por controle mais sedutor do mundo? Ela percebe que ele está disposto a abandonar seu 'estilo de vida' sombrio e embarcar em um relacionamento normal com Ana. Mas.... ele ainda tem medo de ser tocado. Que raio pode ter acontecido com esse homem?
Christian continua com suas inesperadas mudanças de humor, qualquer palavra pode deixá-lo tenso com alguma memória sombria e, ao mesmo tempo se mostra carente e totalmente dependente de Ana, mas... ainda assim resistindo a ideia de ser amado. Mas, Ana ainda não tem certeza de que é o suficiente para ele, afinal ela jamais será capaz de ser sua total submissa e nunca poderá satisfazê-lo nesse aspecto.
"- Você me agrada o tempo todo- sussurra ele. - Quantas vezes eu tenho que dizer isso?
- Eu nunca sei o que você está pensando. Às vezes você é tão distante... como uma ilha. Você me intimida. É por isso que eu fico quieta. Eu não sei para que lado seu humor vai se dirigir. Ele se altera de um extremo a outro num milésimo de segundo.(...)"
(página 40)
Bem, além da mudança de Christian de Dominador sexual a namorado apaixonado bom de cama, a sequência de "Cinquenta Tons de Cinza" no apresenta uma nova personagem, Leila, ex-submissa de Christian (que o quer de volta), a 'adorada' Mrs. Robinson e Jack, o novo chefe de Ana.
Me surpreendi com esses três personagens, com Leila por não ser tão perigosa quanto a impressão que a autora tenta nos passar e Mrs. Robinson.... bem, por ela simplesmente existir. Que mulherzinha repulsiva!
Já em relação a Jack, juro que no livro anterior, quanto ele entrevista Ana para o cargo de assistente, eu tinha certas desconfianças de que ele poderia formar um 'falso' triangulo amoroso, sei lá, deixar Ana dividida ou simplesmente deixar o Sr. Gray enciumado, mas.... ele se mostrou ser um personagem suuuuper relevante na história, de um jeito nem um pouco agradável e tudo indica que ele aparecerá muito no terceiro livro.
Muita coisa acontece nesse livro, a ex desequilibrada e portando uma arma vai deixar todos preocupados, a insistência de Mrs. Robinson (Elena) em conversar com Ana embora esta se negue a ter qualquer contato com a criatura...
Bem, como eu disse, Christan Gray se mostra bem carente neste livro e, aos pouco esquecemos que é o mesmo homem intimidador, dominador e 'perigoso' do primeiro livro e, os diálogos acabam sendo um pouco repetitivos: Ana insegura e ele lhe jurando que a quer de qualquer jeito e que não se importa em abrir mão de seu, até então, estilo de vida.
"(...) - Olhe para o que você fez por mim... o que você deixou para trás, por mim - sussurro. - Eu sei.  Eu sei o que você sente por mim.
Ele me olha, os olhos arregalados e em pânico, e tudo o que podemos ouvir é o fluxo contínuo da água que flui sobre nós no chuveiro.
- Você me ama - digo.
Seus olhos se arregalam ainda mais, e sua boca se abre. Ele inspira fundo, como se tomasse fêolego. E parece torturado, vulnerável.
- Sim - murmura. - Amo."
(página 181)
Masssss, continua dominador em todos os outros aspectos, continua mandão, autoritário e PRECISA estar no controle de tudo. Realmente sufocante.
Porém Gray se torna um 'adolescente apaixonado' e, a essa altura do campeonato eu já estou apaixonada e  nem sei dizer em que parte eu deixei de sentir repulsa por ele e passei a suspirar. rsrsr
****
Bem, eu com certeza gostei bem mais desse livro do que do primeiro apesar de ter MUITO sexo! Sim, tem mais sexo que no primeiro livro, mas é sexo baunilha, nada de masoquismo ou coisa do tipo. Eles fazem amor, não f%$¨&! (acho que vocês me entenderam). E o Christian é bem fofo, tirando suas revelações bombásticas e mega pervertidas. O cara é louco de pedra, dominador, mas.... precisa de colo. Quem conseguiria lhe negar isso? hahah
Tanto os diálogos quanto às muitas cenas de soxo acabam sendo repetitivas e, a maldita deusa interior e os trilhões de "Puta merda!" de Ana continuam constante e irritantes, mas.... o Gray domesticado compensa.
Estou bem curiosa em relação ao próximo livro e recomendo sim, o livro e a série. Não se deixe enganar pela primeira impressão que o bonitão assustador deixa no primeiro livro.

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

3 comentários

  1. Parabéns pela resenha Amanda! Já li Cinquenta Tons de Cinza e Cinquenta Tons Mais Escuros e confesso não ter gostado. Achei os livros muito mal escritos e com diálogos bizarros. No momento estou lendo Cinquenta Tons de Liberdade e continuo com a mesma opinião. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Estou querendo ler esse trilogia estou com ela em e-book, mas é muito difícil de parar para ler, então prefiro livro físico

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. arruma ali no final: "muitas cenas de soxo" :P
    quero muito ler esta serie, pois as opiniões variam demais... uns acham a serie incrível, outros a detestem totalmente....
    já que nunca li nenhum livro neste estilo, acho que este será o primeiro :P

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)