31 de maio de 2018

Na Telinha ou na Telona... #126

Olá gente lindaaaa!
A indicação de dorama da semana é de "arrebentar a boca do balão". desde antes do lançamento já havia dado o que falar, porque os coreanos são um pé no saco bem críticos em relação a um possível relacionamento envolvendo uma personagem jovem com um homem mais velhos. E essa, a princípio, parecia ser a proposta de "My Ahjussi", também conhecido como "My Mister" (Meu senhor).... parecia, mas não foi.
"My Ahjussi" foi ao ar de 21 de março a 17 de maio de 2018, pela emissora sul-coreana tvN (que seeeeeempre arrasa!).

Sinopse: Park Dong Hoon é um engenheiro de uma firma de arquitetura. Ele já passou por maus bocados: um casamento complicado e seus dois irmãos chegaram no fundo do poço na vida. Reservado e fiel, Dong Hoon se importa muito com sua família, mas sua cautela diante da vida evita qualquer mudança em seu cotidiano. Mas tudo está prestes a mudar quando ele conhece ela: Lee Ji Han. Ji Han já passou por muitas dificuldades e tem uma montanha de dívidas acumuladas para pagar. Ela aceita qualquer trabalho que aparece em sua frente, mas a sua próxima tarefa será a mais difícil: conhecer mais sobre o Park Dong Hoon. O que começa como apenas um trabalho, acaba se tornando uma conexão verdadeira com um homem avariado. Com o tempo, eles percebem que a proximidade pode ajudar a curar feridas emocionais um do outro.

ELENCO PRINCIPAL:

- Lee Sun Kyun como Park Dong Hoon (filho do meio entre três irmãos; trabalha como engenheiro em uma empresa de arquitetura e sempre tem uma abordagem de segurança em primeiro lugar para a vida. Ele é quieto e estoico, mas também é o melhor para as pessoas que ele ama);
- IU como Lee Ji An (uma jovem em seus vinte e poucos anos, mas que já sofreu e ainda sofre muitas dificuldadesna vida. Ela é encarregada de descobrir as fraquezas de Park Dong Hoon sob o comando de seu chefe, que dirige uma empresa para a qual ela tem um trabalho temporário);
- Kim Young Min como Do Joon Young (júnior da faculdade de Dong Hoon e chefe de Ji An, atualmente trabalhando como CEO);
- Lee Ji Ah como Kang Yoon Hee (esposa de Park Dong Hoon);
- Jang Ki Yong como Lee Kwang Il (agiota).


Minha opinião: Amei! Amei! Amei!
"My Ahjussi" foi um dorama que me pegou de jeito desde o primeiro episódios... ainda que eu não entendesse nadica de nada nos primeiros episódios. Acho que as coisas começaram a fazer um pouco mais de sentido a partir do episódio quatro... e a partir daí eu já estava fisgada. #gameover.
Nossos personagens principais, Park Dong Hoon e Lee Ji Ah não poderiam ser mais diferentes... no entanto,não poderiam ter tanto em comum. A princípio, a unica coisa que os liga, que os relaciona é o fato de trabalharem na mesma empresa: ele como gerente, ela como estagiária temporária. No entanto, ao descobrir, após uma confusão envolvendo uma tentativa de suborno, Ji Ah percebe que o CEO deseja muito se livrar de Park Dong Hoon. Assim, basta poucos passos para que ela descubra o motivo e tente "vender" seus serviços, garantindo ao CEO que ela fará com que Dong Hoon seja demitido.
E isso acontece nos primeiros episódios, sem que saibamos as motivações de Ji Ah para compactuar, ou melhor, para se oferecer para fazer o "trabalho sujo" para o embute, o tal CEO. Mas com o passar dos episódios, além de conhecermos um pouco mais sobre Dong Hoon, sua família, seus irmão e amigos de infância, etc., também conhecermos a realidade e o passado difíceis de Ji Ah. Ao contrário de Dong Hoon, ela não possui um grande círculo de amigos, uma família unida, um lar para onde voltar, etc. No entanto, ela sente pena dele, do mesmo modo que ele passa a sentir pena dela, ainda que não conheça sua situação ou suas ações pelas suas costas. Ou seja, são dois protagonistas lamentáveis que se identificam um com o outro, por isso sentem pena um do outro, passando a se proteger.

Apesar do jeito quieto, de estar fazendo o "trabalho sujo", de não se relacionar ou comunicar com ninguém no trabalho, acabamos conhecendo um pouco da vida de Ji Ah, e ao longo dos passado passamos a entender as feridas deixadas pelo seu passado. Ah, e em cada cena de Ji Ah com a avó é de uma sensibilidade que chega a doer o coração. Chorei em TODAS. É nas cenas entre neta e avó que percebemos o real coração de Ji Ah, o real motivo de Ji Ah fazer o que faz. Ao longo dos episódios há várias cenas extremamente violentas entre Ji Ah e um jovem, que posteriormente descobrimos ser um agiota e, mais do que isso, parte do passado (e do presente) doloroso de Ji Ah. E nem nas cenas mais violentas Ji Ah é capaz de derramar qualquer lágrima, assim quando isso finalmente acontece, já na segunda metade do dorama, é de partir o coração. 
Apesar de seu trabalho ser ajudar a fazer Dong Hoon ser demitido, com o passar dos episódios, de algum modo, Ji Ah e Dong Hoon vão ficando próximos, e por serem ambos solitários, calados e lutando silenciosamente contra seus próprios demônios, Ji Ah passa a fazer exatamente o contrário, sem que Dong Hoon sequer imagine a relação de Ji Ah com o CEO e o fato de que Ji Ah sabe mais sobre ele do qualquer outra pessoa. E é a partir daí que acabamos torcendo por um romance (pelo menos eu torci muuuuuito!).
No entanto, "My Ahjussi" não é uma história de amor, não é sobre o romance entre uma jovem de vinte e poucos anos e um homem casado, é muito mais do que isso. É uma história sobre relações humanas (de muitas ordens distintas) e sobre como o fato de haver alguém torcendo por nós faz tanta diferença em nossa vida. Às vezes, pode estar tudo dando errado, mas se houve apenas uma pessoa com quem contar, nosso farto pode ser muito menor.
"'Quando sentir vontade de morrer, não morra.'
'Você é uma pessoa decente.'
'Aguente firme!'
O mero fato de que existe alguém torcendo por mim assim me ajuda a respirar." (episódio 13)
Se eu pudesse resumir "My Ahjussi" em uma única oração, diria que se trata de "uma história em que absolutamente todos os personagens sofres e são infelizes". E eu estou falando sério, não há um único personagem nesse dorama que esteja feliz. mas, ainda assim, é um dorama que fala sobre esperança, que nos dá, de algum modo, esperança. Nós, que também sofremos (de um jeito ou de outro; uns mais, outros menos...), não devemos desistir.
"- E a vida, de alguma forma, é uma batalha entre forças internas e externas também. Não importa o que aconteça, você será capaz de suportar qualquer coisa com força interna suficiente.
- Então quais são as 'forças internas' quando se trata da vida?
- Eu não sei." (episódio 08) 
Eu me afeiçoei a cada um dos personagens (com exceção do CEO, de seu secretario e da esposa de Dong Hoon. Hunf!), me emocionei com a história de alguns, ri muito com os irmãos, estivesse eles rindo ou brigando, e me emocionei com a união entre eles e os amigos da vizinhança. Como deve ser bom poder contar com uma galera dessa em momentos difíceis. E, acima de tudo, chorei muito, por diversas razões, com cenas tristes, com cenas bonitas... porque fosse qual fosse a cena, a sensibilidade era tanta que ia direto ao meu coração mole. E, no fundo há sim um lindo romance, mas nada parecido com o romance tradicional com que estamos acostumados, estou falando de romance de almas, do relacionamento entre dois personagens que vai acontecendo aos poucos e de forma cada vez mais profunda e mais sincera.

Quanto a ost, é tão linda e perfeita quanto todo o resto: Adult (Sondia - minha favorita!), Dear Moon (JeHwi), There Is a Rainbow (Vincent Blue) e Forest (Ji Sun).

Se quiserem conferir essa história incrível, diferente das muitas histórias clichês com que estamos acostumados, com um roteiro incrível, personagens muito bem construídos, cenas extremamente emocionais e sensíveis e um showzão de atuação, os 16 episódios estão disponíveis no Drama Fever (para usuários Premium) e no Kingdom Fansubs (necessário cadastro).

***
Espero que vocês gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)