9 de junho de 2018

#LeituraColetiva - O Morro dos Ventos Uivantes | #quotes (capítulos de 27 a 34)

Olá gente lindaaaa!
Nossa #LeituraColetiva de "O Morro dos Ventos Uivantes", de Emily Brontë, chegou ao fim. Só eu acho que passou rápido demais?
Confiram minhas quotes favoritas dessa última parte do romance, dentre os capítulo 27 e 34:

"- Sei que ele tem uma natureza ruim - disse Catherine -, é seu filho, afinal. Mas felizmente a minha é melhor, e sou capaz de perdoá-lo. Sei que ele me ama, e por esse motivo amo-o também. Sr. Heathcliff, o senhor não tem ninguém para amá-lo, e, por mais infeliz que nos faça, ainda teremos a vingança de pensar que a sua crueldade advém de uma infelicidade ainda maior! O senhor é infeliz, não é? Solitário feito o diabo, e invejoso como ele também! Ninguém o ama... ninguém vai chorar pela sua morte! Eu não gostaria de estar no seu lugar!" (página 309)
"- Vou lhe contar o que fiz ontem! Mandei o coveiro que cavava a sepultura de Linton remover a terra de cima do caixão dela e o abri. Por um momento, achei que ia ficar lá: quando voltei a ver o rosto dela, e é o rosto dela ainda, ele teve muito trabalho para me levar embora dali. Mas disse-me que o rosto ia se alterar se o ar entrasse, então abri um dos lados do caixão e voltei a tampá-lo... não o lado que dá para Linton, diabos o carreguem! Gostaria que ele tivesse sido soldado com chumbo. E dei dinheiro ao coveiro para abrir aquela parte do caixão dela quando eu tiver sido colocado ali, e abrir o meu também. Vou deixar tudo preparado, e quando Linton chegar até nós, não vai saber mais quem é quem!" (página 309-310)
"- [...] Perturbá-la? Não! Ela que me perturbou, dia e noite, por dezoito anos... incessantemente... sem remorso... até anteontem; anteontem à noite eu me tranquilizei. Sonhei que estava dormindo o último sono ao lado dela, com meu coração parado e a face gelada de encontro à sua.
- E se ela tivesse se dissolvido na terra, ou coisa pior, com o que o senhor teria sonhado? - indaguei.
- Teria sonhado em me dissolver com ela e ficaria ainda mais feliz!"
(página 310)
"Agora, desde que a vi, fiquei em paz... pelo menos um pouco. Foi uma estranha maneira de matar: aos poucos, por frações de fios de cabelo, enganar-me com o espectro de uma esperança durante dezoito anos!" (página 312)
"- Eles está a salvo, e eu estou livre - respondeu ela. - Deveria me sentir bem... mas - prosseguiu, com uma amargura que não conseguia esconder - o senho me deixou tanto tempo lutando sozinha contra a morte que só o que sinto e vejo é a morte! Sinto-me como se estivesse morta!" (página 316)
"'Como a vida é triste naquela casa!', refleti, enquanto cavalgava pela estrada, descendo o morro." (página 326)
"- Um conclusão absurda para os meus violentos esforços. Movo o céu e a terra para demolir as duas casas, treino para ser capaz de trabalhar como Hércules, e, quando está tudo pronto e nas minhas mãos, descubro que a vontade de tirar uma telha que seja de cada telhado se foi! [...] Não tenho mais vontade de desferir o golpe, não quero ter o trabalho de levantar a mão! Parece até que me empenhei esse tempo todo só para exibir um belo traço de magnanimidade. Longe disso... perdi a capacidade de me alegrar com a destruição deles, e sou preguiçoso demais para destruir por destruir." (página 344)
"E o que não me faz recordá-la? Não posso olhar para este chão, pois seus traços estão impressos nas lajes! Em cada nuvem, em cada árvore... enchendo o ar à noite, e vislumbrada em cada objeto do dia... Estou cercado pela sua imagem! os rostos mais comuns de homens e mulheres, meus próprios traços, debocham de mim com alguma semelhança. O mundo inteiro é uma terrível coleção de recordações de que ela existiu, e de que eu a perdi!" (página 345)
"Percebi, então, que ele não encarava a parede; reparando melhor, parecia que fitava logo a menos de dois metros de distância. E o que quer que fosse aparentemente lhe transmitia prazer e dor em níveis extremos, pelo menos era o que a expressão a um tempo angustiada e extasiada de seu rosto sugeria." (página 352)
"Há os que dizem tê-lo encontrado perto da igreja, e na charneca, e mesmo dentro desta casa. São só histórias, o senhor dirá, e eu também. Mas aquele velho sentado diante do fogo da cozinha afirma que, toda noite chuvosa desde a morte dele, vê os dois olhando pela janela de seu quarto." (página 357)
***
Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)