21 de junho de 2018

Na Telinha ou na Telona... #129

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar sobre o dorama "Something in the Rain" (Algo na chuva), também conhecido como "Pretty Noona Who Buys me Food" (Linda Noona* que me compra comida), que é de arrancar suspiros (e os cabelos, em alguns momentos). 
*Noona: é um pronome de tratamento utilizado por homens para se referir à uma mulher mais velha que eles, uma irmã mais velha, uma amiga, etc., desde que seja alguém próximo, já que é um modo de tratamento "carinhoso".
E, não vou negar, comecei a assistir pelo simples fato de ver o "policial gato de While You're Sleeping" no papel do protagonista. Pronto, falei! Mas também foi ótimo rever Son Ye Jin, que já havia conquistado meu coração em Personal Taste, em 2012!
"Something en the Rain" foi ao ar de 30 de março a 19 de maio de 2018, pela emissora sul-coreana JTBC.

Sinopse: Yoon Jin Ah é uma mulher solteira, no auge dos seus 35 anos. Ela trabalha como supervisora em uma empresa de café e acaba de ser deixada pelo então namorado, por ser "sem graça", como uma comida nutritiva, mas sem atrativo. Apesar de ser uma pessoa descontraída, Jin Ah é uma pessoa fechada quando o assunto são seus sofrimentos, optando por sentir tudo sozinha. Seo Joon Hee é o irmão mais novo da melhor amiga de Jin Ah e acaba de voltar dos Estados Unidos, onde passou três anos. Apesar de se conhecerem desde sempre, eles passam a parecer diferente aos olhos um do outro e acabam se apaixonando.

ELENCO PRINCIPAL:

- Son Ye Jin como Yoon Jin Ah (Uma mulher solteira de 30 anos que trabalha como supervisor de loja em uma franquia de café. Apesar de ser uma pessoa descontraída, ela vive uma vida bastante vazia. De repente, ela sente sentimentos românticos em relação ao irmão mais novo de sua melhor amiga);
- Jung Hae In como Seo Joon Hee (O irmão mais novo de Kyung Seon, que é designer de personagens em uma empresa de videogames. Ele retornou ao país de seu trabalho no exterior depois de três anos);
- Jang So Yeon como Seo Kyung Seon (A irmã mais velha de Joon Hee e a melhor amiga de Jin Ah que dirige uma cafeteria);
- Gil Hae Yeon como Kim Mi Yeon (mãe de Jin Ah);

Minha opinião: Amei!!
Eu confesso que não muito bem como começar essa resenha pleo motivo que citei antes: esse dorama nos arranca suspiros, mas nos faz arrancar os próprios cabelos, também?! Não é sem razão que dividiu bastante as opiniões.
Nossa protagonista, Jin Ah, tem 35 anos e trabalha como como gerente em uma rede de cafeterias. Ela mora com os pais e  apesar de ter um namorado, tem de aturar a constante preocupação da mãe em relação ao um possível casamento tardio. Sim, a mãe dela tem uma mentalidade bem antiquada e é bastante exigente em relação ao futuro genro... não exigente no sentido de desejar o melhor marido para a filha, mas o genro que trará mais orgulho e mais status à família. Argh!
O tal namorado de Jin Ah, no entanto, apesar de ser considerado um "bom partido", na verdade é um embuste. Ele termina o namoro comparando Jin Ah a um fruto do mar (acho!), que é nutritivo, mas sem graça. Vê se podem uma negócio desses!
A questão é, conhecendo a mãe que tem, Jin Ah não fala sobre o rompimento e sofre calada, apenas com o apoio incondicional de sua melhor amiga, Seo Kyung Seon. Não fosse o bastante ter de superar um rompimento desses, Jin Ah ainda enfrenta diversas situações desagradáveis no trabalho envolvendo assédio sexual e abuso de poder por parte de seus superiores (#quemnunca). E esse é um ponto super interessante do dorama. Fico muito feliz em ver esse tipo de realidade (infelizmente, uma realidade muita frequente) retratada nas telinhas, já que se costuma colocar panos quentes, né?! Aleluia, Coréia!

Seo Joon Hee, por sua vez, é irmão mais novo de Seo Kyung Seon (melhor amiga de Jin Ah) e acaba de voltar dos Estados Unidos, após três anos. Kyung Seon e Joon Hee sempre fizeram parte da vida de Jin Ah e sua família, como se fosse todos irmão. Mas, a volta de Joon Hee, somada aos acontecimentos recentes faz com que Jin Ah e o irmão da amiga fiquem cada vez mais próximos, apesar da diferença de idade.
E é aí que o dorama começa a ficar realmente insuportável. Joon Hee é tão perfeito e a relação entre ele e Jin Ah vai acontecendo de forma tão natural tão real que é uma delícia de acompanhar. Por vezes (muitas!), apesar de ser o mais jovem, é Joon Hee que se mostra maduro e preparado para enfrentar o que der e vier para ficar com Jin Ah.
Gente, pensem num casal foto! Pensem numa pessoa carente assistindo isso tudo (eu mesma) e pensem na inveja que eu senti dessa Jin Ah (a minha, no caso). Não se trata de um dorama cheio de acontecimentos grandiosos, nem nada, tem mais a ver com o desabrochar de um casal "improvável", mas é interessante acompanhar os diversos obstáculos que se apresentam diante do casal (o ex-namorado embuste lunático que apronta poucas e boas, a mãe de Jin Ah que é uma pessoa detestável e totalmente desnecessária à humanidade...).
E é interessante observar alguns aspectos da cultura coreana conservadora, como o fato de algumas famílias ainda prezarem pelo status, pelo "nível" ou "classe" dos futuros genros e coisas assim. Eu já havia lido em algum lugar que isso é realmente cultural na Coréia do Sul, que as pessoas geralmente se casam com pessoas da mesma classe ou condição e que é bem difícil sair desse "quadrado". No caso de Joon Hee, por exemplo, embora ele tenha um emprego estável como desenvolvedor de jogos, seja inteligente, bem educado, um verdadeiro príncipe, aos olhos da mãe de Jin Ah ele não está à altura da filha. Isso porque ele não tem uma estrutura familiar, não tem boas origens. Quando Joon Hee era criança e a irmã, uma adolescente, a mãe foi abandonada pelo pai (que se casou com outra mulher e nunca mais deu as caras) e em pouco tempo a mãe faleceu. Joon Hee foi praticamente criado pela irmã, que desistiu até da faculdade para cuidar do irmão.
E a hipócrita da mãe de Jin Ah sempre faz questão de lembrar o quanto ele e a irmã são "coitados", o quanto será difícil encontrar "boas famílias" que os aceitem como genro e nora. Mulherzinha ordinária! E quando o romance entre Jin Ah e Joon Hee é descoberto, a mão dela faz o inferno na Terra.
E é aí que muitas pessoas começaram a desgostar do dorama (não foi meu caso), pois Joon Hee não media esforços para ficar ao lado de Jin Ah e é a coisa mais linda o modo como ele se preocupa com ela, o modo como ele tenta evitar que ela sofra, que ela chore e etc. Por outro lado, nos últimos episódio Jin Ah deu cada pisada de bola, viu?! Apesar dos 35 anos de idade, ela se deixa influenciar pela mãe megera, e por vezes faz as vontades absurdas da mãe só pra ter um pouco de paz. Eu já comentei que a mãe dela é o capiroto na Terra e que não aprova Joon Hee só porque ele não tem uma boa origem e uma boa família, né?!
Em diversos momentos eu quis dar uns tapas na Jin Ah pra ela tomar alguma atitude adulta, sair de casa e cuidar da própria vida. Mas de certa forma, esse dorama mostra muito como as coisas podem acontecem em uma cultura conservadora como a da Coréia. Joon Hee não mede esforço pra ficar com Jin Ah e propões alternativas com as quais Jin Ah não concorda, mas ele não sabe o que é ter uma família, não tem um exemplo de pai e de mão, então ele não pode entender por que Jin Ah não toma atitudes diferentes. É bem complexo rs. 

De qualquer forma, eu me apaixonei completamente por esse dorama e pela química do casal (que gerou vários boatos sobre um possível relacionamento fora das telinhas lá na Coréia), gostei do modo como as coisas desenrolaram e gostei do final. Minhas únicas frustrações foram: não ver Jin Ah correndo atrás de Joon Hee, só pra variar; e o modo como a empresa de Jan Ah lidou com o caso de assédio. Aff!.
Pra você que ficou convencido com esta resenha e resolveu dar play em "Something in the Rain" eu só tenho DOIS AVISOS:
1) No início as cenas são tão fofas, o casal é tão maravilhoso que se você estiver solteiro, carente, ou insatisfeito com sua vida amorosa, VAI SER DIFÍCIL SUPORTAR HAHA;
2) Mais pro final, o que é difícil de suportar é a mãe da protagonista. SEM. OR. Que mulher desnecessária! Passei mais da metade do dorama torcendo pra ela morrer! Mesmo.

Sobre a ost, impossível desapegar. Eles não poderiam ter feito uma seleção de músicas que se encaixasse melhor nesse dorama. Confiram minhas favoritas: Something in the Rain (Rachel Yamagata), Stand By Your Man  (Carla Bruni), Save The Last Dance For Me (Bruce Willies), La La La (Rachel Yamagata).

Se quiserem conferir essa overdose de fofura (e ficarem iludidxs como eu), os 16 episódios estão disponíveis no Star Dramas Fansub (necessário cadastro), no Kingdom Fansubs (necessário cadastro) e, para nossa alegria, na Netflix!

***
Espero que vocês gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)