3 de julho de 2017

RESENHA: O Último Adeus

Editora: DarkSide Books
Autor(a): Cynthia Hand
Número de páginas: 352

Sinopse: O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. 
O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. 
O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.
Olá gente lindaaa!
Confiram o que nossa resenhista Ana Paula achou do livro "O Último Adeus", publicado pela editora DarkSide Books.
***

"O Último Adeus" acompanha a vida recentemente abalada de Alexis, ou Lexie, que acaba de perder seu irmão mais novo, Tyler, que cometeu suicídio deixando apenas um breve recado, escrito num post-it amarelo que dizia “Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio.”
Muito confusa e abalada com o que houve, Lex tenta retomar sua vida, mas além de lidar com sua tristeza, uma avalanche de obstáculos aparece e dificulta mais ainda seu processo de cura: há o recente término de relacionamento com Steve, sua mãe que começa a beber, seu pai ausente e seu próprio fechamento em si mesma, que a faz se afastar de suas amizades. 
Com isso ela acaba procurado ajuda com Dave, seu terapeuta, que lhe encarrega a tarefa de escrever em um diário o que sente, tentando assim descarregar um pouco do peso que carrega. É por isso que o livro tem partes que se parecem com um diário.
"Essa coisa toda tem me prejudicado, penso. Sou uma tábua exposta à chuva, é impossível me desempenar, Agora sou assim, retorcida." (página 189)
Com o decorrer da história descobrimos que Lex carrega uma culpa muito grande com relação à noite em que seu irmão se suicidou (e que só será contada nas últimas páginas da história). Em meio a isto, acabamos conhecendo um pouco de Ty, durante alguns flashbacks, e passamos a querer entender o que o fez tomar tal atitude, deixando para trás uma vida inteira pela frente.
Este é de longe o livro mais triste que já li! Não é fácil de digerir, não tem partes engraçadas para amenizar e é bem extenso. É o tipo de livro que mexe com a emoção do leitor, pois não tem como não se colocar no lugar da Lex
Sentimos tristeza pela Lex, mas vê-la conseguindo aos poucos recuperar a alegria de viver dá ao leitor uma sensação de alívio. É isso que me fez querer continuar lendo... Acreditar que a Lex ia conseguir se reerguer e seguir sua vida da melhor maneira que conseguisse. Pois, como ela mesmo disse, quem a gente ama nunca se vai.
"Vamos. Não podemos fugir, certo? Era o que você estava tentando me dizer hoje? Que você sempre vai ficar aqui, no banco de trás. Seu cheiro. Sua sombra. Sua memória. Era o que estava tentando me dizer, certo?" (página 244)
Classificação:


***
Esperamos que vocês gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)