23 de março de 2015

RESENHA: A Teoria de Tudo

Editora: ÚNICA
Autor(a): Jane Hawking
Número de Páginas: 448

Sinopse: A história de Stephen Hawking é contada pela luz da genialidade e do amor que não vê obstáculos. Quando Jane conhece Stephen, percebe que está entrando para uma família que é pelo menos diferente. Com grande sede de conhecimento, os Hawking possuíam o hábito de levar material de leitura para o jantar, ir a óperas e concertos e estimular o brilhantismo em seus filhos entre eles aquele que seria conhecido como um dos maiores gênios da humanidade, Stephen.
Descubra a história por trás de Stephen Hawking, cientista e autor de sucessos como Uma breve história do tempo, que já vendeu mais de 25 milhões de exemplares. Diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica aos 21 anos, enquanto conhecia a jovem tímida Jane, Hawking superou todas as expectativas dos médicos sobre suas chances de sobrevivência a partir da perseverança de sua mulher. Mesmo ao descobrir que a condição de Stephen apenas pioraria, Jane seguiu firme na decisão de compartilhar a vida com aquele que havia lhe encantado. Ao contar uma trajetória de 25 anos de casamento e três filhos, ela mostra uma história universal e tocante, narrada sob um ponto de vista único.
Stephen Hawking chega o mais próximo que alguém já conseguiu de explicar o sentido da vida, enquanto Jane nos mostra que já o conhecia desde sempre: ele está na nossa capacidade de amar e de superar limites em nome daqueles que escolhemos para compartilhar a vida. O livro que inspirou o emocionante filme A Teoria de Tudo.
Olá gente lindaaa!!
Hoje venho falar sobre "A Teoria de Tudo", que conta a história do casal Stephen e Jane Hawking. Para quem não sabe (acho difícil, mas...), Stephen Hawking é um dos cientistas mais consagrados da atualidade e, aos 24 anos de idade, foi diagnosticado com ELA (esclerose lateral amiotrófica), que segundo a definição do Wikipédia "é uma doença neurodegenerativa progressiva e fatal, caracterizada pela degeneração dos neurônios motores".
Quem me acompanha nas redes sociais sabe o desafio que foi ler este livro. Trata-se de uma história de vida linda e cheia de percalços, mas eu tenho um sério problema com livros biográficos e sua demasiada descrição e falta de diálogos.

Bem, apesar da dificuldade na leitura e da lentidão da narrativa (na minha humilde opinião, claro), uma coisa eu devo admitir: essa grande mulher chamada Jane Hawking, apesar de ter vivido mais de vinte anos à sombra de um gênio, doou-se de corpo, alma e coração ao casamento, ao marido e à promessa de ajudá-lo e ampará-lo diante de cada avanço da doença. Se não foi amor o que lhe deu força para não desistir, não sei o que mais pode ter sido.
Jane e Stephen se conheceram no início da década de 1960 e, após algum tempo se encontrando como "amigos", o amor acabou florescendo. Porém, não demorou muito para que o jovem Stephen, um físico com muito potencial e ideias super avançadas sobre a criação do universo, fosse diagnosticado com ELA e praticamente condenado à morte. Mesmo com a perspectiva de uma vida curta e difícil, e após alguma hesitação inicial, ele resolve pedir Jane em casamento e dar uma chance aos dois, acreditando que não viveria mais de dois anos.
"Aquele momento transformou nossa vida e enviou todos os meus pensamentos de seguir carreira no serviço diplomático ao esquecimento." (página 45)
Apesar de ter me solidarizado com a história de Stephen, confesso que não simpatizei muito com a personalidade de Stephen, sua tendência a achar as outras pessoas inferiores. Claro que por meio do livro temos apenas uma versão da história e não há muitos diálogos, de modo que muito fica a cargo da imaginação, mas em diversos momentos eu me perguntei se o amor de Jane por ele era tão forte a ponto de fazê-la passar por cima dos próprios sonhos, das próprias ambições, das próprias necessidades e, até mesmo, das próprias crenças.
"(...) eu não via muito sentido em ter meu otimismo natural destruído por uma ladainha de profecias mortais sem nenhum conselho paliativo. Então, respondi que eu preferia não saber os detalhes dessas previsões porque eu amava tanto Stephen que nada poderia dissuadir-me de querer me casar com ele: eu queria construir um lar para ele, deixando de lado todas as minhas ambições anteriores que agora eram insignificantes em comparação com o desafio diante de mim." (página 62)
Não bastasse ter de lidar com o avanço da doença (porque ela avançou a cada dia e os dois anos previstos de vida ficaram para trás), quando ele já não era capaz de se locomover, ela tinha de auxiliar Stephen em tudo: levá-lo até a universidade, buscá-lo. Tudo ficou ainda mais complicado com a chegada dos filhos, três no total. A falta de apoio (e reconhecimento) por parte da família de Stephen foi o que mais me incomodou. Nem consigo imaginar o que Jane deve ter sentido nas diversas vezes em que recorreu aos Hawkings pedindo ajuda e recebeu respostas ríspidas e insinuações de que cuidar de Stephen e de três crianças era algo simples que não requeria nem a ajuda da família, muito menos ajuda profissional. O próprio Stephen, quando totalmente dependente da esposa para TUDO, negava-se a deixá-la contratar enfermeiros. Como lidar?
Em momento algum (ou em pouquíssimos) eu pude notar alguma gratidão por parte de Stephen. Por meio do relato de Jane, fiquei com a impressão de que tudo o que ela fez por ele, o modo como ela de doou e se desdobrou para ampará-lo da melhor forma e permitir que o mundo conhecesse a genialidade do marido, foi recebido por ele como "nada mais que a obrigação de esposa". Acho quem nem todo o amor, obrigação ou senso de responsabilidade do mundo me faria aguentar mais de vinte anos vivendo deste modo. 
"Eu tinha me comprometido com Stephen. Ao fazê-lo, eu mesma havia  me comprometido a proporcionar-lhe uma vida normal. Estava começando a parecer que essa promessa significava apenas manter uma fachada de normalidade, enquanto uma vida anormal estaria sobre todos nós no resto do processo." (página 198)
***
Como eu disse, tive certa dificuldade para concluir a leitura, mas ainda sim gostei muito de conhecer a história. Talvez o fato de Stephen ter me parecido tão ingrato e a família dele tão hostil com Jane tenha feito com que a leitura demorasse ainda mais. Eu ficava com raiva deles por tratá-la assim e com mais raiva ainda dela, por aguentar tudo calada.
No final das contas foi uma leitura agradável e eu não me arrependo. Talvez o livro não seja mesmo para ser devorado, mas sim degustado à contra gotas, afinal, trata-se do relato de mais de 20 anos de uma vida nada fácil.
Confiram mais algumas quotes.

"Viver cada dia como ele se apresentava, em vez de projetar uma miragem fantasiosa para o distante futuro, estava se tornando um modo de vida." (página 118)
"A sugestão da presença de um Deus Criador era um desajeitado obstáculo para um cientista ateu, cujo objetivo era reduzir as origens do universo a um pacote unificado de leis científicas, expressas em equações e símbolos." (página 133)
"Eu o amava por sua coragem, sua inteligência, seu senso de ridículo e absurdo, e aquele seu terrível carisma que lhe permitia - e ainda permite - enrolar a maioria das pessoas, inclusiva a mim, em volta de seu dedo mindinho. Então eu alcancei o que me propus a alcançar - dedicar-me a Stephen, dando-lhe a chance de realizar sua genialidade." (página 219)
"No melhor dos tempos, ele tinha pouco respeito pela inteligência dos outros. E agora, no pior dos tempos, estava inclinado a considerar todos idiotas." (página 351)
Classificação:

***
Beijos e amassos!!

Espero que gostem!!

11 comentários

  1. Oi Amanda, tudo bem?
    Eu estava com vontade de conferir essa obra, mas depois que assisti a adaptação cinematográfica, eu meio que desisti. Eu até que gostei da história e dos relatos apresentados, mas da mesma forma que aconteceu com você no livro, eu também fiquei com essa sensação de que para Stephen e sua família, Jane não estava fazendo mais do que sua obrigação. Ela se doou inteiramente e ele, por muitas vezes, foi meio estupido com ela :| Sobre a personalidade dele, não sei o que pensar: algumas pessoas disseram que, como o livro era sob a perspectiva da Jane, alguns pontos 'menos importantes' foram deixados de lado, então talvez ele nem fosse esse monstro D:
    Fico feliz que de um modo geral a leitura tenha sido proveitosa - mesmo sendo arrastada :p

    Beijos
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Flor! Tudo bom?
    Talvez eu estava um pouco desinformada até ler sua resenha, mas não sabia que se tratava de uma biografia, e como você, acho que ler algo assim sem diálogos é massante, por isso sempre fujo de livros assim. Por mais que seja complicado a história em sí é linda, vejo muito do relacionamento dos meus avós ai, meu avô sofreu derrame, e acabou ficando impossibilitado de andar pois seu lado esquerdo ficou paralisado, então minha avó passou a cuidar dele o tempo todo. Como você citou, é uma doação de corpo e alma que se faz, ela basicamente virou o corpo de Stephen, levando ele para os lugares, dando banho, vestindo, alimentando, é algo complicado, mas o que o amor não é capaz de fazer não é mesmo?
    Deve ter sido horrível para ela toda essa hostilidade, fiquei chocada até por tanta ingratidão, até parece que ela estava fazendo o mal, tenho certeza que sua pressão até subiu nesses momentos, porque a minha com certeza subiu aqui! Adorei sua sinceridade, e acho que sim, essa seria uma biografia que eu leria, então já vou me preparar para a leitura!

    Beijinhos,
    www.percepcoes.blog.br

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente, esse livro nunca me atraiu... não curto relatos biográficos de pessoas que não me fascinam, e esse Stephen pelo jeito só ia me irritar. Acho que nem ele ter tido que enfrentar a ELA me faria relevar o tipo de atitude que você descreveu. Essa Jane deve ter amado muito esse ser mesmo, não sei se eu aguentaria tanto tempo ao lado de alguém tão ingrato. Ela deve ser muito evoluída espiritualmente pra ter encarado o desafio.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  4. realmente deve ter sido muito difícil pra tentar super todas essas adversidades que surgiram, tipo o cara realmente tem meu respeito.
    infelizmente não é um livro que me atrai muito, apesar de não deixar de ser muito interessante.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  5. Oi Amanda, sua linda, tudo bem?
    Eu não sabia sobre o comportamento dele. Depois de tudo o que ela fez, de tudo que ela abriu mão dou, eu realmente não esperava esse comportamento dele e nem da família dele. Eu sempre me perguntei porque eles se separaram se havia tanto amor. Agora eu consigo imaginar o motivo. Fiquei decepcionada.
    Gostei muito da sua resenha.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Amanda, ainda não tinha lido uma resenha tão completa desse livro. Fiquei horrorizada quando você falou sobre o comportamento do Stephen e de tudo que Jane passou para estar ao lado dele. Imagino que não deve ter sido fácil. Fiquei curiosa em relação a essa história. Assim que tiver um tempo, pretendo ler.
    Parabéns pela resenha.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  7. Oiii
    Não fazia ideia que esse livro era uma biografia, pensei que era uma história, tipo um romance, sei lá, tudo menos uma biografia. Gostei de saber disso.
    Não sei se leria o livro, não sou fã de biografia e como você achou a narrativa arrastada, acho que esse livro não é para mim.

    Beijos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Amanda!
    Eu assistir recentemente o filme e gostei bastante. Porém não me identifico muito com livros biográficos, portanto não me interesso tanto pela leitura. Acho a história linda e me emocionou muito no cinema, é uma ótima história para ser compartilhada. Parabéns pela resenha!

    Luz e literatura!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Amanda.
    Tenho visto falar muito desse livro nas redes sociais. Mas não sabia ao certo do que se tratava.
    Nunca imaginei que era uma biografia. Pretendo ver o filme, mas não sei se o lerei.
    Não gosto muito de biografias, e mesmo sendo uma história emocionante, temo que não me prenda.

    Beijinhos
    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  10. Olá... tudo bem??
    Esse foi um livro com relato biográfico que me interessou e o único... não sei porque desde o lançamento ele me chamou atenção... quero lê-lo em breve.... acredito que será uma leitura lenta... mas acredito que cheia de significados... levei em consideração tudo o que você disse... e saberei ficar atenta a isso na leitura com certeza... xero!!

    ResponderExcluir
  11. Oi Amanda,

    Eu morro de vontade de ler esse livro, não assisti ainda a adaptação, espero ver em breve eu gosto um pouco de biografias, acho que é uma forma de está mais perto dos acontecimentos de uma pessoa que é especial pra você ou para outras pessoas, me deu uma certa agonia saber que a familia dele praticamente não estava nem aí pra ele e as crianças, pretendo comprar esse livro porque não posso perder essa história por nada.

    Mayla

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)