2 de julho de 2018

RESENHA: O que o sol faz com as flores

Editora: Planeta
Autor(a): Rupi Kaur
Número de páginas: 256

Sinopse: Da mesma autora de outros jeitos de usar a boca, best-seller com mais de 100 mil exemplares vendidos no Brasil.
O que o sol faz com as flores é uma coletânea de poemas arrebatadores sobre crescimento e cura. ancestralidade e honrar as raízes. expatriação e o amadurecimento até encontrar um lar dentro de você.
Organizado em cinco capítulos e ilustrado por Rupi Kaur, o livro percorre uma extraordinária jornada dividida em murchar, cair, enraizar, crescer, florescer. uma celebração do amor em todas as suas formas.
essa é a receita da vida
minha mãe disse
me abraçando enquanto eu chorava
pense nas flores que você planta
a cada ano no jardim
elas nos ensinam
que as pessoas
também murcham
caem
criam raiz
crescem
para florescer no final'

Olá gente lindaaaa!
Hoje vim falar sobre esse livro incrível, sensível, e sem papas na língua. Confesso que não sou muita de ler poesias (aquele probleminha pra entender poesias, quem tem? hahah), mas algumas poesias realmente pegam a gente de jeito, né?!  E foi exatamente o que aconteceu com boa parte das poesias de "O que o sol faz com as flores". Esse foi meu primeiro contato com a escrita de Rupi Kaur, mas já quero mais, quero ler tudo o que for possível dessa mulher. 

Assim como diz na sinopse, o livro é dividido em cinco partes: murchar, cair, enraizar, crescer e florescer. E as poesias presentes em cada parte falam de assunto relacionados com cada uma dessas fases... não das flores, as da vida. Então assuntos como abuso, relacionamento abusivo, separação, insegurança, relação com o próprio corpo, amor próprio, abandono, dor são tratados nas duas primeiras partes; família, respeito às raízes, etc., são tratados na terceira parte; empoderamento, autoconhecimento, autoaceitação, libertação são tratados na última partes. Essa é ou não é a ordem das coisas?
Para exemplificar melhor cada uma dessas partes, selecionei algumas poesias e trechos de cada uma dessas partes. E, olha, foi difícil escolher minhas favoritas!


MURCHAR
"[...]
talvez todo mundo tenha entendido errado
a gente acha que deve procurar alguma coisa lá fora
uma coisa que tropeça na gente
na saída do elevador
ou cai na nossa mesa num café qualquer
aparece no fim de um corredor na livraria
sexy e inteligente na medida certa
mas acho que o amor começa aqui
o resto é desejo e projeção
de todas as suas vontades carências e fantasias
mas essas exterioridades nunca vão funcionar
se a gente não se voltar para dentro e aprender
a amar a si próprio para depois amar os outros
[...]" (página 32)

CAIR
"estamos morrendo
desde que chegamos
e esquecemos de olhar a vista"
- viva intensamente (página 82)
"[...]
não consigo conceber a ideia
de que é preciso convencer metade da população mundial
de que meu corpo não é uma cama
me ocupo aprendendo que ser mulher tem consequências
enquanto devia aprender matemática e ciência" (página 95)
"a forma como você fala de si mesma
a forma como você se humilha
até ficar minúscula
é abuso"
- autodestruição (página 103)

ENRAIZAR
"lembre-se do corpo
da sua comunidade
respire o ar do povo
que costurou seus pontos
é você quem se tornou você
mas as pessoas do passado
são parte do seu tecido"
(página 146)

CRESCER
"precisa ter jeito de casa
um lugar que acolhe sua vida
é onde você tira seu dia de folga"

- a pessoa certa (página 180)
"[...] aprendi que a vulnerabilidade é sempre a escolha certa porque é fácil mostrar frieza num mundo que quase nos impede de mostrar ternura." (página 193)

FLORESCER
"me levanto
sobre o sacrifício
de um milhão de mulheres que vieram antes
e penso
o que é que eu faço
para tornar essa montanha mais alta
para que as mulheres que vierem depois de mim
possam ver além"
- legado (página 213)
"fiz todas as mudanças
no caminho da perfeição
mas quando enfim me senti linda o bastante
mudaram a definição de beleza
da noite para o dia
e se não existir linha de chegada
e de tanto tentar chegar lá
eu perder tudo que era meu
em nome de uma beleza tão insegura
que não conquista nem a si mesma"

- as mentiras que vendem (página 222)
Enfim, não sei um jeito melhor de convencer vocês de que "O que o sol faz com as flores" é um livro incrível a não ser mostrando um pouco das poesias. Como eu disse, foi bem difícil escolher minhas poesias e trechos favoritos, pois 80% das poesias tem um post-it hahaha. 
Segundo a definição do Wikipédia, Rupi Kaur é "uma poetisa feminista contemporânea, escritora e artista da palavra falada". E não tem uma palavra melhor pra descrever essa mulher do que "artista", pois o que ela faz com as palavras, o modo cru e ao mesmo tempo sensível com que ela coloca as coisas em palavras é admirável. Não posso deixar de pensar em como ela seria silenciada ou nem mesmo tivesse a chance de sonhar em ser uma poetisa (muito menos feminista) se seus pais não houvesse emigrado da Índia para o Canadá quando ela ainda era uma criança. Que bom que emigraram, que bom Rupi Kaur pode dar voz às mulheres de seu país.
Livro mais do que recomendado!

Classificação: 

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)