17 de dezembro de 2013

RESENHA: Fragmentada

Editora: Farol Literário
Autor(a): Teri terry
Número de Páginas: 424

Sinopse: Kyla não deveria se lembrar de nada quando foi reiniciada. Mas segredos do seu passado atormentam sua mente. Presa em uma luta contra a opressão dos lordeiros, e ansiando por liberdade, Kyla vê seu passado e presente colidir de uma forma que ameaça sua vida. Enquanto sua busca desesperada por Ben continua, em quem ela poderá confiar em um mundo repleto de segredos e mentiras?

Olá gente lindaaaaa!
Após duas semanas eu finalmente consegui concluir a leitura de Fragmentada e.... uau, que montanha russa! Não me refiro à história em si, mas aos sentimentos contraditórios que ela me inspirou. Não chega a ser uma relação de amor e ódio, mas é quase isso. A dualidade é tanta que ainda agora, enquanto inicio esta resenha, eu não sei bem como me sinto a respeito de tudo o que li em Fragmentada.

ATENÇÃO: Esta resenha contém spoilers do livro anterior, Reiniciados.

Após o final, no mínimo perturbador, do livro anterior, eu mal podia esperar para ler a sequência. Ter que se defender de Wayne parece ter aberto as comportas da memória de Kyla e, apesar de não se lembrar de todo o seu passado, há muitos vislumbres de sua vida antes de ser reiniciada.
Se antes Kyla estava perdida, agora a situação não é muito diferente. Embora ela se lembre de algumas coisas, suas lembranças são contraditórias: ao mesmo tempo em que ela tem lembranças doces, de um homem que aparentemente é seu pai, ela se lembra de sentir medo, se lembra de lutar e, sempre há muito sangue, muito vermelho em suas memórias. Quem será que Kyla era?
"Reiniciados são incapazes de cometer atos de violência, mas eu cometi; Reiniciados são incapazes de lembrar de algo do próprio passado, mas eu me lembro." (página 8)
"Algumas das memórias que recuperei são fatos que parecem distantes. Como se eu tivesse lido arquivos sobre mim mesma e me lembrasse de certas partes e de outras, não. Não há sentimento envolvido." (página 32)
Eu só posso dizer que eu realmente não gostaria de estar na pele de Kyla. Sendo consumida pela culpa pelo que aconteceu com Ben, sem saber se ele está morto, se foi reiniciado novamente; tendo alguns fragmentos de memórias perdidas....
E também tem Nico, o misterioso professor de ciências que parece fazer parte do passado de Kyla. Ele é lindo e, mexe com Kyla de uma maneira estranha: ao mesmo tempo em que ela consegue se sentir protegida ao lado dele, ela teme contrariá-lo. O que Nico significava para ela no passado?
Embora Kyla tenha recuperado algumas memórias, sua mente está mais cheia de perguntas do que de respostas e a tensão toma conta da trama, principalmente pelo fato que que é impossível saber em quem ou em que confiar ou não. Tudo e todos podem colocar a vida de Kyla em risco.
Se souberem que o nivo que Kyla carrega no pulso, que antes controlava seu índice de felicidade, tristeza, raiva, etc. agora é um objeto inútil, ela estará em maus lençóis... afinal de contas, ela, aparentemente, é um experimento que deu muito errado.
"- Precisamos ter uma conversinha - diz a senhora Ali, sorrindo. Ela é muito mais perigosa quando sorri.
Ambas somos. E retribuo o sorriso." (página 34)
Quanto mais coisas do passado de Kyla vão sendo lembradas, mais medo ela sente do que ela pode ter sido ou feito. Kyla passa de membro de R. U. Livre, um partido contra os Lordeiros (que é chamado de terroristas pelos Lordeiros) a Reiniciada e, novamente a membro do R.U.Livre. Ela não sabe bem qual é o seu lugar no mundo, não sabe qual é o lado certo desta briga política entre Lordeiros e R.U.Livre e nem consegue se lembrar de como foi parar nesse grupo antes de ser reiniciada. Mas, algo lhe diz que é melhor não saber certas coisas, é melhor não trazer certas memórias à tona. Talvez seja por isso que ela não se lembre, talvez seja algum mecanismo de autodefesa.
"Mesmo que meus punhos se cerrem, mesmo que eu queira gritar pela frustração de todas essas falhas em minha memória, há uma grande verdade ali.
Eu não quero saber." (página 216)

Quanto ao título do livro, ele não poderia ser mais adequado. Fragmentada. Kyla descobre que foi fragmentada. Sua mente foi dividida em duas. Ela é duas pessoas: Lucy e Chuva e, ao ser reiniciada, Lucy era a mais fraca, por isso desapareceu. Ou quase. E Chuva, sendo a mais forte, resistiu ao processo de ser reiniciada, precisando apenas do gatilho certo para voltar à tona.

"E eu choro por mim, por quem sou agora. Onde está o meu lugar este mundo?" (página 400)
 ***
Eu sou toda elogios à escrita de Teri Terry e ao mundo distópico criado por ela. Não posso negar que essa trilogia é uma das minhas distopias favoritas, mas como eu disse no início desta resenha, ainda não sei o que dizer do livro. Ao mesmo tempo em que o livro evoluiu em relação ao primeiro, por já estarmos mais habituados à história, embora haja uma dose maior de tensão, suspense e até ação, me irritei um pouco com Kyla.
No ínio do livro, quando ela começa a recuperar algumas lembranças, ela se sente forte, se sente dona de si, mas basta estar em contato com Nico para que seu lado mais submisso venha à tona. Perto dele ela não tem opinião ou atitude própria. Ela é sua marionete.
Eu sei que, a certo modo, isso é um ponto positivo no livro porque torna a personagem Kyla mais real, não aquelas heroínas perfeitinhas que fazem tudo certo desde o início. Ela comete erros, ela pisa na bola. Mas ainda assim, em certos momentos ela tem alguns vislumbres do passado, ou algumas retomadas de consciência, que a fazem quase abrir os olhos...
Porém, a trama me prendeu do início ao fim (mesmo com esse sentimento ambíguo em relação à Kyla) e, me afeiçoei à novos personagens, como Katran. Conhecemos um pouco mais a Dra. Lysander e, confesso que me surpreendi.
O final do livro, embora não tenha sido do tipo "felizes para sempre" (nem chegou perto disso!), nos deixa alguma esperança para o próximo livro e, no meu caso, muitas expectativas quanto ao amadurecimento de Kyla, já que ela se mostrou bem madura nas últimas páginas.
Super recomendo e, estarei aguardando a sequência ansiosamente!

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)