4 de março de 2013

RESENHA: A Viagem do Tigre

Editora: Arqueiro
Autor(a): Colleen Houck
Número de Páginas: 496


Sinopse: Perigo. Desolação. Escolhas. A eternidade é tempo demais para esperar pelo verdadeiro amor? Em sua terceira busca, a jovem Kelsey Hayes e seus tigres precisam vencer desafios incríveis propostos por cinco dragões míticos. O elemento comum é a água, e o cenário de mar aberto obriga Kelsey a enfrentar seus piores temores.Dessa vez, sua missão é encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e tentar libertar seu amado Ren tanto da maldição do tigre quanto de sua repentina amnésia.
No entanto o irmão dele, Kishan, tem outros planos, e os dois competem por sua afeição, além de afastarem aqueles que planejam frustrar seus objetivos.
Em A viagem do Tigre, terceiro volume da série A Saga do Tigre, Kelsey, Ren e Kishan retomam a jornada emdireção ao seu verdadeiro destino numa história com muito suspense, criaturas encantadas, corações partidos e ação de primeira.
Olá gente lindaaaa!!!
Primeiramente devo dizer UAU!!
Cada livro dessa série tem o dom de me deixar embasbacada, sem folego e P$%#@ da vida! Calma aí que já explico. Eu sou apaixonada por essa série, mas a cada nova surpresa, a cada nova aventura eu me apaixono mais pelos tigres, me irrito mais com algumas atitudes de todos e arranco meus cabelos a cada final bombástico e inaceitável! 
E, que uma coisa fique clara: estou aqui colocando os 'dragões pra fora' ao mesmo tempo em que já começo a sentir os primeiros sintomas de ansiedade e abstinência, pois terminei o livro a poucas horas e estou DESESPERADA para ler a continuação (que para meu desalento, ainda não foi lançado no Brasil) =/.

CUIDADO: Esta resenha pode apresentar alguns spoiler sobre os livros anteriores!!

Em "A Viagem do Tigre", Kelsey tenta se conformar com o fato de que Ren não se lembra dela e decide começar sua relação com o príncipe indiano do zero, como sua amiga. Ele topa, mas o fato de que estar perto de Kelsey lhe cause dor e vontade de sair correndo não ajuda muito, mas ele está disposto a tentar.
Kishan, por sua vez, embora tenha deixado claro seus sentimentos por Kelsey, não a pressiona (o que eu achei MUITO fofo!).
Em busca de mais um presente para a deusa Durga, Kelsey e seus dois tigres se preparam para a maior aventura que viveram até agora: eles terão que enfrentar os cinco dragões dos oceanos. Ou seja, não bastasse serem dragões, eles também têm de viver justamente dentro d'água! =/
Além do intenso treinamento sobre mergulho, os três partem para encontrar Phet, o chamã indiano que os guiou no início de tudo e, para isso precisam atravessar a floresta... mais uma vez. E, com o passar do tempo Ren  se parece mais com o antigo Ren, para o deleite de Kelsey, com direito a poemas e tudo.
"Depois que vesti meu pijama e fui para a cama, acendi o abajur e li os cinco desejos de Ren.'Quero dar a ela o melhor de tudo.''Quero fazê-la feliz.''Quero me lembrar dela.''Quero tocar nela.''Quero amá-la.'" (página 109)
O tiângulo amoroso que começou a se formar no livro anterior está mais forte nesse terceiro volume. Kelsey, sem dúvida alguma está dividida. Ren é o amor de sua vida ( e mesmo que não se lembre dela, ela sabe que ele também a ama) e, Kishan é um doce. Ele é o amigo que esteve com ela nos momentos mais difíceis, ele é delicado e dedicado. Ela o ama também. Mesmo sem ter nenhuma lembrança de Kelsey, é inegável que Ren está novamente apaixonado. Ele quer se lembrar dela. E Kishan (com todo o charme que Deus deu) se mantém a margem (teoricamente) para não atrapalhar a possível reaproximação de Kelsey e Ren, mas... ainda assim sua presença é notável e inegável.
Genteeeeee, a Kelsey estar dividida é TOTALMENTE compreensível (eu mesma estou super dividida entre os dois! ahahha). Os dois são lindo, legais, fofos e tudo de bom. Mas é claro até pra mim que o que ela sente por Kishan não é amor. Pelo menso não o mesmo tipo de amor que ela sente por Ren. Com os acontecimentos desse livro, com as atitudes idiotas tanto de Kelsey como do próprio Ren, seria impossível que não houvesse uma aproximação ainda maior entre Kelsey e seu tigre negro. Mas o engraçado é que Kelsey não acha que Kishan é muita areia pro seu caminhãozinho, como acha de Ren. Ela endeusa Ren de uma maneira que chega a irritar e, mesmo que ele diga que a ama, ela sempre acha que ele, mais cedo ou mais tarde, vai deixá-la porque ela não é boa o bastante para ele. Kishan é igualmente lindo (MESMO!), gentil, charmoso e etc. etc. etc. e, mesmo assim ela não se acha 'pouca coisa para ele'. Vai entender, né?!
"Ele me protegeu da montanha russa que era meu relacionamento com Ren. Eu amava Kishan e acreditava que poderia ser feliz com ele, mas também tinha que reconhecer que não era exatamente a mesma coisa. O amor de Ren era um fogo ardente, abrasador, e o de Kishan era mais... um aquecedor de ambientes. Confortável, firme, confiável. Ambos me mantinham aquecida, mas um era capaz de me consumir. De me transformar em cinzas. Se Kishan me largasse, eu iria chorar, sofrer, mas seguiria em frente mais triste, porém mais sábia." (página 388)
O livro me agradou e desagradou ao mesmo tempo (e o tempo todo), se é que dá pra entender. As histórias mitológicas, as várias culturas (chinesa, indiana...) são o ponto alto do livro. ADOROOO! Mas a maldita insegurança da Kelsey e sua ladainha de 'não sou boa o bastante' daqui, 'ficar com o tigre tal é mais seguro''serei eternamente apaixonado pelo tigre tal, mas não vou escolhê-lo' me irritou demais!
A impressão que dá, em determinados momentos é que as personalidades de Ren e Kishan se inverteram. Isso mesmo. O poço de carinho agora é Kishan e a avalanche de desejo e tudo mais é Ren (que está mais ousado nesse livro).
"Fiquei piscando estupefata, sem acreditar, quando uma cadeira de piscina passou voando por mim com um assobio e caiu no mar, fazendo barulho, levando a louça, as taças, o bolo e as velas da mesa consigo. Kishan olhou para mim, confuso, e então ficou paralisado quando ouviu uma voz irada no escuro, vinda de algum lugar acima de nós, que ameaçava.
- Solte-a. Agora."
(página 294)
*****
Claro que eu gostei do livro, apesar da montanha russa de irritação. Mas, quem pode culpar Kelsey pela maldita indecisão? Eu não sei se conseguiria largar Kishan após tê-lo ao meu lado durante momentos tão difíceis. (bem, sendo Team Kishan, é claro que não o largaria!!), mas.... quando penso que é melhor que Kelsey escolha Kishan, lá vem Ren com seus poemas e "pimba!", cá estou dividida novamente. Se eu já fico assim, imaginem a pobre  e irritante Kelsey. Assim como ela eu não iria querer magoar Kishan, mesmo que isso significasse ficar longe de Ren, mas..... o Ren é o Ren, né?! Como resistir? 
As pessoas reclamam do triângulo amoroso, mas eu confesso que adoro! hahaha Se não houvesse um tiângulo, tudo seria fácil demais (mesmo com o malvadão Lokesh e todos os perigos que eles têm de enfrentar para quebrar a maldição).
Bem... quanto a história, a cultura (que já citei) e o suspense no decorrer da trama dão um tempero e te deixam querendo mais. Mal posso esperar pelo próximo livro, "Destino do Tigre" que será lançado ainda esse semestre pela editora Arqueiro (assim espero!).

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

2 comentários

  1. Eu sou team Kishan também e nesse livro enfrentamos um problema sendo team Kishan neh? Afinal não é certo Kelsey fica com ele pensando no Ren, mas queremos ver ele feliz.
    Logo nós também estamos divididas! kkk...

    ResponderExcluir
  2. Finalmente uma resenha que me mostrou que não sou a única que enlouquece com essa série, Mandinha, minha flor, me diga como você fez pra escolher apenas um, eu estou neste dilema impossível desde o dia em que terminei o primeiro livro, que me deixou com um gostinho doce na boca, e eu queria matar a Kelsey por ter feito o Ren sofrer, tenha santa paciência, essa ladainha dela é o único ponto negativo dos livros... Voltando aos livros, não sei o que seria de mim se O Resgate do Tigre não estivesse aqui comigo quando terminei o primeiro, eu teria adoecido, ficado com febre, entrado em depressão, não sei, e eu chorei tanto, mas tanto no final daquele livro que meus olhos ficaram vermelhos, meu coração ficou tão pequenininho, não consegui ler mais nada por três meses, ansiosa que sou, custei esperar A Viagem do Tigre ser lançado aqui, e pra minha tristeza, eu ainda não comprei o livro, eu estou ficando louca já. As resenhas dessa série sempre causam certa polêmica, eu fechei os olhos e só enxerguei uma história incrível, não consegui escolher pra quem eu torço, considero uma traição da minha parte escolher apenas um, e Mandinha, quem resiste aos poemas do Ren? Mas convenhamos, o Kishan é um ser que nós, meras mortais, não saberíamos descrever rs'

    Beijos e obrigado por me mostrar que eu não estou sozinha nesse amor todo pelos tigres!

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)