29 de maio de 2017

RESENHA: 5 Centímetros por segundo (mangá)

Editora: New Pop
Autor(es): Makoto Shinkai (roteiro) e de Yukiko Seike (arte)
Número de páginas: Vol. 1 - 240 | Vol. 2 - 240

uma sequência de histórias curtas sobre a distâncias deles

 
Sinopse: A história se passa no começo dos anos 90, onde a internet ainda não era uma alternativa viável para comunicação a distância. Takaki Tono e Akari Shinohara se conhecem desde o primário, e um sentimento amoroso surge involuntariamente entre eles. A relação, porém, se complica quando Akari tem que se mudar para o interior do país e os dois passam a se comunicar somente por cartas. 
Com o passar do tempo, a situação só piora, pois, chega a vez de Takaki se mudar, para ainda mais longe de Akari. Na vida do garoto, também entrará uma nova personagem: a sonhadora Kanae Sumida. Será que ele conseguirá esquecer Akari? Irão eles se reencontrar no futuro?

Olá gente lindaaa!
Hoje vou falar de um mangá que me ganhou assim que vi as capas: "5 centímetros por segundo". Eu comprei os dois volumes da história recentemente (e vocês podem conferir a unboxing aqui!) e descobri que, na verdade, o mangá era uma adaptação de um filme animado japonês homônimo (que vocês podem assistir no Youtube). 
O resultado é que acabei assistindo a animação primeiro e agora, como fiquei encantada com a história, que mostra a realidade das relações, dos encontros... e também dos desencontros, resolvi ler os mangás. Como eu disse (e vocês podem ver pelas capas), a história de "5 centímetros por segundo" é dividida em dois volumes, mas eu optei por fazer uma única resenha. Talvez a resenha fique um pouco longa, pois eu amei várias quotes e não consegui me decidir entre elas.
"Dizem que é cinco centímetros por segundo [...] a velocidade que as pétalas de flor de cerejeira caem. Cinco centímetros por segundo." (Vol. 1 - página 38)
Akari Shinohara e Takaki Toono são amigos desde a infância, quando Takaki foi transferido para a mesma escola de Akari. Eles se tornam inseparáveis, crescem, se apaixonam e... são separados. Os pais de Akari se mudam para uma cidade distante e os amigos fazem planos para se encontrarem, para manterem contato. Mas, as coisas se tornam ainda mais difíceis quando a família de Toono se muda para uma cidade ainda mais longe, de modo que seria impossível uma visita de vez em quando.
"Desta vez é você quem vai se mudar, Takaki? Fiquei surpresa quando soube. Sei que nós dois já estamos acostumados com essas transferências. Mas Kagoshima fica meio distante. Não vai dar mais para nos encontrarmos qualquer dia pegando um trem. Admito que isso... me deixa um pouco triste." (Vol. 1 - página 63)
Ao saber da mudança iminente, Toono resolve visitar Akari, após um longo tempo sem ver a amiga. Por conta de uma nevasca, em vez de chegar ao seu destino às 19h, ele acaba chegando após às 23h. Para sua surpresa e felicidade, Akari ainda o está aguardando.
"Levei duas semanas para escrever uma carta para entregar à Akaki. Foi a primeira vez na minha vida que escrevia algo assim. Provavelmente, era uma carta de amor." (Vol. 1 - página 66)
É claro que nesse encontro ambos fazem planos de manter contato, de enviarem cartas e ficarem juntos pra sempre. Bem, sabemos que não é o que acontece, né?! É assim que as coisas são.
Acredito que, além da história de amizade, companheirismo, amor e saudade de Toono e Akari, "5 centímetros por segundo" fala do quanto somos aprisionados por nossas promessas, o quando somos pressionados pelo falo de falharmos ou fracassarmos em cumpri-las.
"O que significa exatamente se tornar adulto? Ainda não sei bem. Mas se algum dia... eu te reencontrar por acaso... gostaria de ser alguém de quem possa se orgulhar." (Vol. 1 - página 159)
Na verdade, cada um de nós é pressionado por diversas coisas o tempo todo. Ainda crianças precisamos pensar em nosso futuro, no que "ser quando crescer". Uai, mas... nós já não somos? É difícil o bastante ser nós mesmos em meio a tantos estímulos, coerções e influências, porque precisamos pensar em ser algo ou alguém no futuro?
"Este lugar não é para mim. Sinto fortemente que não pode continuar assim. Mas não sei para onde quero ir. Minhas pernas não me levam a lugar algum." (Vol. 1 - página 211)
Acompanhamos então, Toono em sua vida após a mudança de cidade, e vemos o modo como ele, afeta as pessoas ao seu redor. Anos se passam e ele não obtém sucesso em seus relacionamentos, ainda preso em uma promessa feita na infância. Alguns personagens secundários também mostram suas inquietações, muitas vezes relacionadas a Toono, mas creio que o foco da história, mais do que a relação de Toono com Akari e outros personagens, é o fato de ele atingir ou não seus objetivos, conseguir ou não seguir em frente.
"Essa deve ser mesmo uma viagem inimaginavelmente solitária. Vivendo seriamente em uma completa escuridão. [...] Apenas querendo, do fundo do coração, me aproximar dos segredos do mundo que acredito estar no fundo do abismo. Até onde seremos capazes de chegar desta forma?" (Vol. 1 - páginas 228-229)
Além disso, "5 centímetros por segundo" fala de algo super atual e super natural que é o fato de as pessoas mudarem. As pessoas seguirem determinados caminhos, direções opostas e, vez ou outra, perderem o contato. Perderem aquilo que tinham em comum.... o fato de certas relações se perderem ou perderem o significado. Nós costumamos romantizar ou idealizar certas relações e esquecemos que as coisas mudam, as pessoas mudam. E a vida segue. Uma boa lembrança, às vezes, é melhor do que a cobrança de manter uma relação ou a pressão de ser algo ou alguém.
"Não lembro direito quem parou de mandar cartas primeiro. De qualquer forma, isso não importa. Pois as cartas perderam o significado. As cartas passaram a ser apenas um conjunto de palavras vazias e inconsequentes. Ambos não conseguimos nos agarrar ao presente. Evitando cortar nossos laços... desviando do fato de que tínhamos sido separados para sempre. Achava que ficaríamos juntos para sempre. Mesmo que não voltássemos as nos ver, achava que este sentimento não mudaria." (Vol. 1 - páginas 232-233)
"Um foguete... que se esforça ao máximo seguindo longe em direção a um vazio escuro. É um foguete lento... que faz o possível para alcançá-lo. Na verdade... eu já sabia há muito tempo. Só fingia não perceber nada [...].Ele é muito gentil. Acompanha os meus passos para podermos andar lado a lado. Mas ele não está olhando para mim [...]. O Toono está sempre olhando além de mim. Para algo bem distante. E ele vai continuar... sem olhar para mim." (Vol. 2 - páginas 30-34)
"Há quanto tempo que eu não olhava para algo... e achava bonito? [...] Afina, quantas... coisas belas... e sentimentos cintilantes... que transbordam nessa realidade... eu deixei de sentir até agora?" (Vol. 2 - páginas 140-142)
Encerro essa resenha com um vídeo com cenas da animação e essa trilha sonora lindíssima:


Classificação: 

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)