26 de maio de 2014

RESENHA: Persuasão

Editora: Martin Claret
Autor(a): Jane Austen
Número de Páginas: 315

Sinopse: O enredo deste empolgante livro gira em torno dos amores de Anne Elliot que se apaixonara pelo pobre, mas ambicioso jovem oficial da marinha, capitão Frederick Wentworth. A família de Anne não concorda com essa relação e a convence romper seu relacionamento amoroso. Anos após Anne reencontra Frederick, agora cortejando sua amiga e vizinha, Louisa Musgrove. "Persuasão" é amplamente apreciado como uma simpática história de amor, de trama simples e bem elaborada, e exemplifica o estilo de narrativa irônica de Jane Austen, sendo original por diversos motivos, entre eles, pelo fato de ser uma das poucas histórias da escritora que não apresenta a heroína em plena juventude. O romance também é um apanágio ao homem de iniciativa, através do personagem do capitão Frederick Wentworth que parte de uma origem humilde e que alcança influência e status pela força de seus méritos e não através de herança.
Olá gente lindaaaaa!Terminei de reler mais um livro da DIVA Jane Austen, Persuasão, um dos meus favoritos da autora.

Logo no início do livro somos apresentados à família Elliot, formada por sir. Walter Elliot - um baronete vaidoso o extremo que julga e classifica as pessoas de acordo com sua aparência e título de nobreza -  e suas três filhas.
As srtas. Elliot foram criadas pelo pai desde a morte da mãe, 15 anos antes, com a ajuda de lady Russell, uma viúva que foi grande amiga de lady Elliot. Elizabeth, a filha mais velha das irmãs, é considerada a mais bonita aos olhos de seu pai e por esse motivo é sua favorita, ou melhor, a única a quem dá o mínimo de atenção, por outro lado, além da aparência não possui muitos outros atrativos, uma vez que carrega uma frieza e desinteresse pelas pessoas e a mesma vaidade do pai. Mary, a caçula, é a personagem feminina mais insuportável dentre todas as criadas por Jane Austen! Nunca foi de muito interesse para o pai, mas após casar-se aos 19 anos com um homem de boa aparência e algumas posses, embora não de uma família nobre e sem qualquer título, ela 'subiu no conceito' de sir. Elliot.
Por fim, Anne, a filha do meio, agora aos 27 anos é a mais doce das irmãs, mas a mais negligenciada por todos da família, a não ser por lady Russel, a quem tem como a uma mãe, que sempre a tratou melhor do que a qualquer outra pessoa. Anne, oito anos antes, foi ainda mais bela, mas ao abrir mão de um grande amor, por ser convencida de que era a melhor decisão a tomar, perdeu todo o viço da juventude. 
"Foi persuadida de que aquela relação era má, indiscreta, imprópria, fadada ao insucesso e indigna. Mas não agira apenas por precaução egoísta ao pôr um fim nela. Se não imaginasse que agia pelo bem dele, mais do que por seu próprio, dificilmente abriria mão dele." (página 39)
Frederick Wentworth, na época, era um joão ninguém. Por isso, lady Russel, que sempre avaliava as pessoas de acordo com sua condição social, logo interviu e convenceu Anne de que a relação seria muito ruim para toda a família e principalmente para ela própria, que se veria passando por dificuldades em pouco tempo se seguisse adiante com tal relação. Anne, com sua pouca idade e pensando no bem de 'todos', abriu mão de seu único e verdadeiro amor. 
"Durante muito tempo o amor e as saudades empanaram-lhe todas as alegrias da juventude, e uma perda precoce do viço e do entusiasmo foram seu persistente efeito." (página 40)
Agora, ainda guardando as cicatrizes de um amor interrompido, Anne tem que lidar com a volta de Frederick, agora o capitão Wentworth. Tendo ganhado muito dinheiro e status, ele não é mais um joão ninguém e voltou determinado a se casar, com qualquer garota que o agrade, desde que essa garota não seja Anne, que o abandonou anos atrás.
Muitos demoram a se afeiçoar pelo personagem Frederick Wentworth devido a sua amargura, mas eu nutro um carinho enorme por ele desde a primeira aparição. Ele é incompreendido, mas eu entendo (ou acho que entendo) os seus sentimentos. Ninguém gosta de ser abandonado por um grande amor e, caso isso ocorra, é impossível reencontrar esse amor com um sorriso satisfeito. Ainda que o coração dispare, o ressentimento pelo sofrimento causado ainda existe... e é uma questão de orgulho não dar o braço a torcer.
"Desgraçadamente, com todos esses raciocínios, ela descobriu que para os sentimentos tenazes oito anos pouco mais são do que nada." (página 77)
Ahhhh como eu gosto do reencontro desses dois! *-*
Não é nada meloso, já que isso não é típico da escrita de Austen, mas a descrição que a autora faz da mistura de sentimentos que há em Anne, a troca de olhares que parece fazer tudo ao redor de ambos parar e que tem tanto significado.
Eu ainda não tive a oportunidade de assistir a adaptação televisiva e cinematográfica do livro, mas não acredito que seja fácil captar com a câmera os sentimentos que as palavras de Austen nos transmitem nesse livro. Duas pessoas extremamente apaixonadas, com um passado juntos e sofrimentos compartilhados.... ah, o amor!
Anne nunca esqueceu Frederick, embora tenha trancado seus sentimentos no fundo do coração e nunca mais tenha tocado no nome dele e tem certeza de que se tivesse outra chance. ninguém seria capaz de persuadi-la a deixá-lo novamente.
"Não, não foi nenhuma lamúria que fez o coração de Anne bater mais forte contra a sua vontade e a fez corar ante a ideia de que o capitão Wentworth estava livre e desimpedido. Sentira algo que tinha vergonha de investigar. Era algo muito parecido com alegria, uma alegria absurda!" (página 204)
***
Preciso explicar o motivo de "Persuasão" ser um dos meus livros favoritos da autora (ou O favorito)? Sem contar que o livro é recheado, mas recheado MESMO de ferrenhas críticas à sociedade da época. Críticas essas, realizadas através da construção de diversos personagens estereotipados, ridículos e insuportáveis: sir. Walter, Elizabeth e Mary, por exemplo. 
Suuuuuuper recomendo a leitura! ^^

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!


6 comentários

  1. Infelizmente eu nunca li nada da Jane, mas confesso que vontade não falta!
    Essas edições da Martin estão lindas e a história sempre me deixa super curiosa.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Acho linda essas edições que a Martin Claret lançou, as capas lindas e combinando. A vontade que tenho é de comprar todos dessa coleção que é lindo de ter na estante. Tenho aquela versão com os três livros juntos. Estou lendo Orgulho e Preconceito ainda, mas espero ler Persuasão logo! :)

    Beijos,
    Bell

    http://contosdoguerreiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Hey Amanda!!
    Gostei da resenha! Nunca li um livro da Jane Austen, mas tenho curiosidade. Este vai para a minha "pequena" lista do skoob dos que eu quero ler. Assim como Orgulho e Preconceito que todos tanto falam!
    Misael
    Abraçoos!
    http://devoradoresde-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu tentei ler Orgulho e Preconceito esse mês e não desceu, achei meio chato. =/ Vou ver o filme e tentar de novo, por enquanto nada de Austen na minha vida. rs
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  5. Oi Amanda, tudo bem???
    Você fez essa resenha para mim!!!!!!! Acho que não sabe, mas como você, também considero a autora como Diva!!!!! Ninguém escreve como ela, adoro seus livros. Embora eu goste muito dessa história, Orgulho e Preconceito ainda é o meu favorito.
    E concordo com você, é muito difícil conseguir transformar em imagens os sentimentos dos personagens de Jane. Eu não tive problemas em me afeiçoar a Frederick Wentworth, pois uma das características dos livros da autora é tornar transparente a natureza humana!!!!!!!
    adorei!!!!!
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Flor!
    Como é bom achar outra fã de Jane! Eu ainda não li esse! Espero logo ler e amo essa edição do livro, ela é lindaaaaaaa demais!
    amei sua descrição dessa parte: ''Não é nada meloso, já que isso não é típico da escrita de Austen, mas a descrição que a autora faz da mistura de sentimentos que há em Anne, a troca de olhares que parece fazer tudo ao redor de ambos parar e que tem tanto significado.''
    Eu gostaria muito de ler logo! Parabéns pela resenha! Beijos

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)