14 de agosto de 2013

RESENHA: Métrica (Slammed #1)

Editora: Galera Record
Autor(a): Colleen Hoover
Número de Páginas: 304

Sinopse: O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina. Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor.

Olá gente lindaaaaa!
Tenho certeza de que você já viram muitas resenhas de "Métrica" pipocando pela Blogosfera. Muitas de desmanchando em elogios e algumas dizendo que o livro não é tudo o que dizem, que é puro clichê e blablabá..... e vou dizer uma coisa, o livro é recheado sim, com 1001 clichês, a começar pela situação inicial da protagonista. Mas, quem se importa? Eu adoro clichês! hahah Mas, além de aspectos velhos conhecidos da literatura Youg Adult, ou New Adult (que é o gênero deste livro) há um elemento novo e, no mínimo, criativo: poesia, como o próprio título sugere.
Uma sugestão. leia a resenha ao som da banda favorita de Lake e Will, Avett Brothers. ^^


Layken (uma mistura dos nomes Layla e Kennedy) tem 18 anos recém completados e está passando por um momento difícil: o pai faleceu há seis meses e a mãe decidiu que não tem condições financeiras de manter a família no Texas com seu cargo de enfermeira substituta. Por isso, além de ter que superar o luto, todo têm que enfrentar uma mudança drástica não só de cidade, também de Estado, partindo do Texas para o Michigan, cidade natal da mãe. (mesmo que a mãe não tenha mais ninguém com quem contar lá, já que os pais morreram). 
Lake não aceitou muito bem a mudança, mas o que ela pode fazer? Ela mal pode esperar até terminar o colégio e voltar para o Texas. Porém, ao chegar em sua nova casa, ainda que nunca venha a se tornar um lar, ela conhece Will, seu novo vizinho e... uma razão para fazê-la gostar do Michigan. Will tem 21 anos e é o cara que qualquer garota sonha em conhecer
"Apesar das minhas objeções, percebo, de modo ridículo, que tinha acabado de vivenciar o beijo mais apaixonado que já recebi de um garoto - e foi na porcaria da testa!" (página 34)
É Will que introduz a poesia propriamente dita à história. Ele acredita que a poesia seja uma ótima forma de colocar os sentimentos para fora, seja amor, raiva, saudade... E ele apresenta à Lake o slam, que é um tipo de competição onde as pessoas declamam poesias de autoria própria, mas elas não declamam mecanicamente, elas sentem a poesia e fazem com que as pessoas também a sintam. Um romance que vai te fazer suspirar, chorar e pensar.... Um romance que mistura música com poesia. Em cada início de capítulo há um trecho de alguma música da banda The Avett Brothers, que é a banda favorita de Lake e Will, trechos que têm tudo a ver com cada capítulo, trechos poéticos que podem sim ser chamados de poesia ao invés de música. Eu não conhecia a banda, mas assim que procurei as músicas citadas no livro, adoreiiiii! Lembra um pouco as músicas do meu amado James Taylor. *-*
Will esbanja maturidade, colocando suas prioridades e responsabilidades à frente de sua própria felicidade... *-*
"- E o que é slam? - pergunto.
- É poesia. - Ele sorri para mim. - É disso que eu gosto.
Será que ele está falando sério? Um cara que é gato, me faz rir e adora poesia? Acho que estou precisando de um beliscão. Ou não... Vai ver é melhor não acordar." (página 47)
Se você também não faz ideia do que é um slam (ou slam poem) assista esse vídeo e tenha uma noção (se preferir, há muitos outros vídeos de slam no YouTube, mas todos em inglês ¬¬)Uma relação que tem tudo para dar certo. Rolou química. Mais que química, rolou uma ligação que Lake nunca imaginou sentir com alguém, principalmente com alguém conhece há poucos dias. Mas, do mesmo modo, tem tudo para dar errado. Will esqueceu de mencionar uma coisinha sobre sua vida e seu trabalho e, essa coisinha impede que fiquem juntos. Ponto final. Um balde de água fria na animação de Lake e Will.
Gente, abrindo um pequeno parentese aqui, preciso dizer que essa coisinha que os separou foi um motivo meio ridículo, digo isso porque atualmente esse tipo de relação é bem normal (eu que o diga...), mas por outro lado eu entendo a preocupação de Will, sua vida é complicada de mais, cheia de responsabilidades demais para que ele possa se dar ao luxo de se arriscar. :/
Tendo que reduzia sua relação com Will a uma pequena convivência forçada ou uma amizade fingida, Lake conhece um pouco mais sobre o rapaz que em tão pouco tempo conseguiu mexer tanto com ela e ao mesmo tempo descobre mutas coisas sobre si mesma. E essas descobertas virão a calhar nos acontecimentos que estão por vir... dizem que desgraça pouca é bobagem, né!?
Além do casal 20 apresentado aí em cima, outros personagens roubam a cena algumas vezes, além de Kel e Coulder (irmão mais novo de Will), a nova (e talvez primeira) melhor amiga de Lake, Eddie é uma fofa. Com uma história de vida difícil que, sem dúvida, deixaria qualquer pessoa sem chão, ela consegue levar a vida com auto astral e felicidade pela sorte que lhe foi dada. Lake aprende muito com ela e com cada um dos personagens, principalmente com Will que mesmo não podendo dar vazão a seus sentimentos por Lake, não a abandona nos momentos difíceis, pelo contrário, é sua única fonte de apoio...

"- O que as outras pessoas pensam de suas palavras não deve importar. Quando você está no palco, você compartilha um pedaço de sua alma. Não dá  para pontuar isso." (página 207)
****
Como você podem notar, o livro não parece apresentar nada de extraordinário, e de fato não apresenta, mas.... o modo como as coisas acontecem, o modo como a poesia está presente, mesmo em alguns monólogo criados por Hoover, ganharam meu coração de pedacinho em pedacinho. O que pode parecer um apanhado de versos poéticos e um monte de gente aprendendo essa baboseira de poesia na verdade é um modo tocante de conhecermos os personagens e suas histórias dramáticas. Cada personagem tem uma história de morte, vida e superação para contar.
O livro é o primeiro de uma trilogia e o segundo volume, cujo título original é "Point of Retreat" tem lançamento no Brasil previsto para o final de 2013. (#roendoasunhas).
Eu super recomendo a leitura, que apesar de recheada de clichês e drama tem tudo para te conquistar e te fazer pensar sobre o que você anda enfatizando em sua vida, o lado positivo ou o lado negativo...
"E ele me ensinou que a coisa mais importante de todas... É enfatizar A vida." (página 288)
Músicas de "The Averr Brothers" nas aberturas de capítulos

Capítulo 1 - Salina
Capítulo 2 - Gimeakiss
Capítulo 3 - I would be sad
Capítulo 4 - Ill with want
Capítulo 6 - Living of Love
Capítulo 7 - Tin Man
Capítulo 8 - The Perfect Space
Capítulo 10 - Die Die Die
Capítulo 11 - Swept away
Capítulo 12 - Paranoia in B-Flat Major
Capítulo 13 - All my mistakes
Capítulo 14 - Ten thousand words
Capítulo 17 - Murder in the city
Capítulo 18 - Loundry Room
Capítulo 19 - Ten thousand words
Capítulo 20 - Talk on indolence
Capítulo 21 - If it's the beaches
Epílogo - When I drink

***
Classificação:

****
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

7 comentários

  1. Boa resenha! *-*
    Queor muito ler esse livro em breve!
    gostei da música não conhecia (:

    beijos
    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ah, adorei a resenha. Comprei o livro e estou roendo as unhas pra que ele chegue logo! Apesar de como você disse o livro ser cheio de clichês, isso não me desanimou pra ler nem um pouco!

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Mesmo com clichês.. foi um dos meus livros favoritos de 2013, principalmente a história da Eddie e o aniversário dela <3

    ResponderExcluir
  4. também adoooooro clichês! hahaha
    a família não fica com nenhum tipo de herança não? Oo
    não sei o que é slam poem, mas vou ver o video depois, pois estou sem caixinha de som agora :S
    não sabia que o livro era uma trilogia... isso significa que preciso ler ele logo :P

    ResponderExcluir
  5. Ai Amanda nem me fale.Eu também amo clichês(hahahahahaha).Porem este livro trás a nos um drama inovador no gênero. Principalmente eu que estou viciada neste gênero.Bom não vou falar mas acho que você já deve imaginar(hahahaha).E este drama que deixa o livro inovador.
    E sobre o detalhe deles terem que se distanciar,nossa chegar achar algo forçado,mas tudo bem,passa.
    E o lado poético...nossa...ainda nos suspiros aqui.
    Bom este livro é um amor,cheio de sentimentos e com certeza foi algo inovador ter lido ele.

    Parabéns pela resenha.Ela esta simplesmente Magnifica!

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
  6. Estou muito curiosa por este livro de ♥.
    A resenha só aumentou minha curiosidade e a capa é simples e delicada. E um romance é tudo de bom...

    ResponderExcluir
  7. Amanda,

    Desde que li a primeira resenha, não teve como eu não ficar louca pelo livro! O que me chamou a atenção primeiro foi a capa, e depois saber que era sobre poesia. Finalmente uma trilogia sobre um casal normal né? hahaha Me apaixonei por ele quando li o primeiro capítulo e ouvi The Avett Brothers, não tô nem aí se o livro tem clichê ou não, porque amei de verdade. Pense numa ansiedade para tê-lo na estante!! adorei a resenha, você colocou exatamente alguns dos quotes que eu mais amei!! :) Beijos! ^^

    Letícia Valle
    litteraturamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)