7 de agosto de 2013

RESENHA: Azar o Seu!

Editora: Jangada
Autor(a): Carol Sabar
Número de Páginas: 368

Sinopse: Bia está parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, pensando em sua vida azarada. Sem emprego, atolada em dívidas, ela não imagina que está prestes a viver a grande coincidência da sua vida. O motorista do carro ao lado está buzinando, tentando se comunicar com ela, como se fosse um velho conhecido... E ele é! Mas Bia não o reconhece. E como poderia? Ele é um homem, não mais o garoto de dez anos atrás. Está mais encorpado, cortou o cabelo, livrou-se do aparelho nos dentes e das espinhas do rosto, está tão diferente, tão lindo... O motorista sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles têm que se jogar lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido deitado ao seu lado possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor! Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia... Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade. Bia, fascinada por ele e feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga... Azar o seu! vai além de uma comédia romântica. É uma reflexão sobre a importância da amizade verdadeira, do perdão e do autoconhecimento, que nos resgata o poder de decidir sem medo e de reverter escolhas que nos impedem de ser feliz.
Olá gente lindaaaaa!
Antes de mais nada preciso dizer que, neste momento, estou me segurando para não abrir o livro e lê-lo de novo e de novo e de novo.... Azar o Seu! da mineira Carol Sabar é de arrebatar o coração. Um chick-lit que te arranca risadas, suspiros e te faz sonhar com um certo rapaz chamado Guga afinando o violão ao som de Trac-Trac... 

Bia, aos 25 anos, recém-desempregada, apesar de seu currículo impecável e invejável, voltou a morar com o pai e a ajudá-lo em sua floricultura após ser demitida por justa causa (acusada de um assédio sexual que não cometeu). Bia se define como uma garota azarada, desempregada, endividada, carente, mal-amada e desesperada. Quer mais? Além de tudo isso ela é suuuuper atrapalhada e ainda apaixonada por seu primeiro amor, Guga, seu amigo de infância, irmão de sua ex-melhor amiga... o mesmo que foi morar em Londres após salvar seu primeiro beijo há quase dez anos.
Voltando do enterro de uma tia no Rio de Janeiro, após ter dado uns amassos no primo de segundo grau (Jair) no cemitério.... e amargamente arrependida dessa pouca vergonha, Bia fica presa em um engarrafamento na Linha Vermelha do Rio, morrendo de sede, pois o Sr. Desperdício do carro ao lado comprou a última garrafa de água do vendedor e ainda por cima deixa que excesso de água escorra por seu queixo... em meio a mais um dia de azar e em meio ao constrangimento ainda recente de ter visto o primo nú da cintura aos joelhos e, bem... vocês podem imaginar. De repente o (in)esperado acontece: um tiroteio.
No desespero da morte iminente, Bia se joga no chão para fora da Kombi da floricultura e começa a gritar, o Sr. Desperdício tenta acalmá-la, mas ela nem se dá conta e pode jurar que 'A Voz' que ouve é de um Amparador Espiritual que veio ajudá-la a fazer a passagem para o lado de lá, por isso descamba a tagarelar sobre seu grande amor, sem notar que o tal Aparador é o próprio Guga, que ao contrário dela, a reconheceu....
"- Você é onisciente, não é? - perguntei ao Amparador, minhas mãos agarradas à blusa dele.
- Como é que é?
- Sabe das coisas, de tudo que acontece, não sabe?
Não houve resposta.
- Sabe que eu sou apaixonada pelo Gustavo Vitorazzi, sempre dui.
- Você o quê?
Só o que me faltava era o meu Amparador ser surdo. Do jeito que eu era "pé-quente", isso era perfeitamente possível."
(página 27)
A partir daí, após acordar de um rápido desmaio e perceber que não morreu nem nada, que tudo não passou de mais um mico (dos grandes), Bia e o Cara vão juntos para Juiz de Fora em na Kombi da Floricultura e, mesmo com o mistério que o Cara faz em relação a dizer o próprio nome, ele e Bia passam a se ver regularmente e Bia está super animada por finalmente estar se interessando por alguém após dez anos. Guga, por sua vez, magoado por não ter sido reconhecido, não sabe como contar a verdade sobre sua identidade e acaba levando a situação a um ponto complicado: como contar a verdade? Como correr o risco de perder Bia de novo?
"- Bia. - Ele pronunciou meu nome com cuidado enquanto seus olhos, mais quentes que o fogo das velas à nossa volta, afundavam-se nos meus. Você mente mal à beça! Mas eu te adoro.
- Hã?
- E é difícil não beijar você.
É difícil não beijar você.
É difícil não beijar... você?
Como assim? Por que ele não me beijava?
- Por que não me beija? - Ops! Pensei em voz alta. - Agora?
- Porque se eu beijar não vou conseguiu parar..."
(página 105)
****
Pense em alguém orgulhoso e teimoso. Agora multiplique por dez e terá a Bia, nossa protagonista. Tudo bem que suas motivações são aceitáveis, mas por diversas vezes senti vontade de atirá-la diretamente para uma matilha de Lobos Guará! haha Guga, por outro lado, esbanja persistência, charme e um pouco de auto confiança demais (convenhamos, o cara sabe que é lindo, gostoso e tals...). Eu não li o livro anterior da autora (Como (quase) namorei Robert Pattinson), mas sou louca para ler e, quando soube do lançamento e tive a feliz surpresa de receber um exemplar de "Azar o Seu!" fiquei mais do que feliz, só sinto não ter podido ler antes....
O livro não fica atrás de tantos best sellers do gênero, principalmente livros internacionais, pelo contrário, nossa mineirinha mostra que não está para brincadeira e nos envolve com sua narrativa leve, despretensiosa e viciante. Asim como acabamos por nos divertir com "A Vida Real da Bia", nos encantamos com "O jeito Carol de escrever"!

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

3 comentários

  1. Quero muito ler esse livro, parece ser super divertido e essa capa é bem fofa *-*

    Além disso acho importante valorizar o que a literatura nacional tem de melhor.

    Parabéns pelo blog, o layout é lindo lindo lindo!
    Estou seguindo ^^

    (desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  2. só de olhar para esta capa já dá para imaginar o quão divertido o livro vai ser! *-*
    a história parece ser muito divertida mesmo, e os personagens parecem ser encantadores, só em ler você falando sobre eles *-*
    classificação 5 acho que é super justo!!!

    ResponderExcluir
  3. Muita vontade de ler esse livro, com essa resenha a vontade só aumentou. É bom saber que as autoras brasileiras estão fazendo sucesso.

    www.controlleuniversal.blogspot.com

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)