14 de março de 2019

Na Telinha ou na Telona... #144

Olá gente lindaaaaa!
Quem acompanha as minhas indicações de doramas sabe que eu adoro uma bom dramalhão (bem ao estilo novela mexicana), com mocinha sofredora e muitas reviravoltas. Pois bem, a indicação de dorama desta semana é um prato cheio para quem ama esse tipo de trama. Conheçam "The Last Empress" (A Última Imperatriz), também conhecido como "Empress's Dignity", um dorama sul-coreano pela emissora SBS, de 21 de novembro de 2018 a 21 de fevereiro de 2019. E, sim, eu acompanhei o dorama semanalmente (e quase morri no processo).

Sinopse: A história se passa em um universo alternativo, em que a Coréia é uma monarquia constitucional em pleno 2018. Oh Sunny é uma atriz musical brilhante e vivaz que se casa com o imperador Lee Hyuk. Ela se envolve na luta pelo poder do palácio e em um misterioso assassinato que desencadeia eventos que ameaçam a própria monarquia. Mas ela acaba se apaixonando por Na Wang Shik, que trabalha como guarda-costas para a família imperial. Ele começou a trabalhar no palácio para se vingar da pessoa responsável pela morte de sua mãe.
ELENCO PRINCIPAL:

- Jang Na Ra como Oh Sunny (aspirante a atriz de musicais com uma personalidade brilhante e alegre. Ela se torna a Cinderela da noite para o dia após se casar com o imperador, de quem era fã há mais de uma década);
- Choi Jin Hyuk como Na Wang Sik / Chun Woo Bin (busca a vingança contra a família imperial depois do assassinato de sua mãe. Para se infiltrar na casa imperial, Wang Sik muda sua identidade para Chun Woo Bin, tornando-se o guarda-costas imperial mais confiável do Imperador, com habilidades de luta incomparáveis);
- Shin Sung Rok como Imperador Lee Hyuk (Imperador do Império Coreano. Um poderoso governante que é bem respeitado pelo povo, mas que dentro do palácio não passa de uma marionete de sua mãe);
- Lee Elijah como Min Yu Ra (Secretária Chefe Imperial. Ela é perspicaz, decisiva e gananciosa. Ela conquista a confiança do imperador e se torna sua amante);
- Shin Eun Kyung como Imperatriz Viúva Kang (A mãe de Lee Hyuk. Uma mulher destemida e poderosa que detém autoridade absoluta no palácio e protege a família imperial a todo custo).

Minha opinião: Amei!
Olha, confesso que não foi fácil tomar a decisão de começar mais um dorama (mesmo tendo 657.585 doramas para terminar), ainda mais se tratando de um dorama com 48 episódios (que posteriormente foram prorrogados para 52), mas quando eu soube que Jang Na Ra e Choi Jin Hyuk estariam juntos novamente (e dessa vez meu ship tinha que dar certo!), não pensei duas vezes (quem ainda não superou o ship errado de "Fated to Love You" vai me entender).
A história se passa em 2018, então não se deixem enganar pelo figurino exibido nos posteres de divulgação.  No entanto,  em "The Last Empress" a Coréia do Sul é uma monarquia constitucional, ou seja, possui uma família imperial. Imaginem toda aquela "babação de ovo" (com o perdão da expressão) que tem sobre a família real britânica. Pois bem, é exatamente assim com essa fictícia família imperial. E nossa protagonista, Oh Sunny, é simplesmente apaixonada pelo Imperador Lee Hyuk, a ponto de ter as paredes de seus quarto cobertas de fotos dele (#quemnunca foi fangirl?)
E quem poderia imaginar que Oh Sunny viveria uma história de Cinderella? Ela é uma atriz de musicas (desconhecida e falida, diga-se de passagem), que só encontro o imperador uma única vez, ao cair em seu colo durante a apresentação de um musical de Natal. No entanto, acaba sendo cortejada DE REPENTE pelo Imperador e... ops, acabou se tornando a Imperatriz do Império Coreano.
O que Oh Sunny não sabe é que ela não passa de um álibi. Seu casamento nada mais foi do que a tentativa de encobrir um crime... cometido por ninguém menos que o Imperador, que está longe de ser o homem que ela acredita que ele é.

Lee Hyuk, na verdade, além de ser a marionete favorita da Imperatriz Viúva, sua mãe, também é marionete de sua assistente E amanda, Min Yu Ra. Juntos eles acabam matando uma senhora e, para evitar que as suspeitas do crime recaiam sobre o Imperador, eles acabam criando um álibi: o de que Lee Hyuk estava o tempo todo prestigiando a apresentação do musical de Oh Sunny, de quem ele supostamente é fã. É aí que nossa novela mexicana começa.
O Sunny, em toda sua inocência e deslumbramento pelo Imperador, aceita se casa com ele e passa a viver no grandioso palácio, sem saber que aquilo é, na verdade, um covil de cobras. E, sem sequer imaginar que seu casamento jamais será "real", uma vez que quem aquece a cama de seu marido é sua assistente, Mi Yu Ra.
Um outro personagem importantíssimo na história é Na Wang Sik. Ele é filho da mulher que foi assassinada pelo Imperador e, além disso, era "namorado" da cobra Min Yu Ra. Após descobrir o que houve com sua mãe, ele deseja se vingar do Imperador e "salvar" a amada (pois ele ainda desconhece a participação dela no crime e o fato de que ela é cobra criada). A fim de executar tal vingança (não apenas pela morte da mãe, mas por ter sido cassado e quase morto com um tiro na cabeça), ele conta com a ajuda de um homem misterioso para adquirir uma nova aparência, condicionamento físico e muita arte marcial.
E, gente.... alguém me fala onde fica o salão em que Na Wang Sik cortou o cabelo, porque a transformação real aconteceu com esse corte hahaha. Tá vendo o bonitão aí do lado? É Na Wang Sik após todo esse processo de preparação/treinamento. Agora ele finalmente está pronto para fazer parte da Guarda Imperial e ficar muito, muito próximo do Imperador.

A princípio, ainda acreditando que sua amada é , também, uma vítima do Imperador, Na Wang Sik se dedica em conseguir a confiança de Lee Hyuk, tornando-se seu braço direito. E, assim, acaba descobrindo a relação dele com Min Yu Ra e o fato de que ela não é a santa que ele acreditava ser (além de ter umas sete vidas, né?!).
Em determinado momento, após presenciar muito sofrimento da Imperatriz ele acaba se tornando seu protetor, ajudando-a e protegendo-a. Shippei? Muito, claro! mas o que me deixou satisfeita de verdade foi o crescimento da personagem. Antes tão ingênua e passiva, Oh Sunny fica cada vez mais forte e vai aprendendo a lidar com cada membro da Família Imperial. O palácio é um lugar em que NINGUÉM é confiável, por isso ela só pode contar consigo mesma para se vingar por ter sido usada, e para vingar a misteriosa morte da Grande Imperatriz, que era sua única amiga e família em meio a tantas cobras.

Um verdadeiro novelão mexicano com muito drama, muita reviravolta e, também, muita comicidade (há vários alívios cômicos ao longo da trama, como a Princesa, o lado infantil do Imperador, a família dos "Oh Loucos", etc.).
Confesso que fiquei um pouco decepcionada com alguns aspectos do final (não com o final em si), porque o dorama foi prorrogado e nem todo o elenco esteve presente nos episódios finais, de modo que o roteiro precisou dar um jeito nosso. Aff! Pelo amor de Deus, Coréia! Por que isso?

Reclamações à parte, eu suuuuper indico esse doramão. Você ficará preso na história do começo ao fim e terminar de assistir odiando todo mundo ahahah. Gosto assim.


Quanto a ost, amei essas: Not Over (Gaho), Can You Hear Me (KEI) e What Would It Be (Jang Deok Cheol).

São 52 episódios de 30 minutos, que estão disponíveis no nosso fansub do coração, Kingdom Fansubs (necessário cadastro).

****
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou sugestão e faça uma blogueira feliz! :)