9 de março de 2019

#LeituraColetiva - Jane Eyre | #quotes (capítulos de 1 a 8)

Olá gente lindaaaa!
Nossa #LeituraColetiva de "Jane Eyre", de Charlotte Brontë, já começou. E, sim, já estamos na QUARTA edição do projeto e super satisfeitas com cada nova leitura conjunta, pois é sempre muito enriquecedor conversar sobre livros e conhecer opiniões diversas.
Pois bem, como de costume, cá estou com minhas quotes favoritas dos capítulos lidos nessa primeira semana de leitura, de 1 a 8.

"John não tinha muito afeto por sua mãe e suas irmãs, e a mim ele detestava. Atormentava-me e me castigava, e isso não acontecia uma ou duas vezes por semana, nem uma ou duas vezes por dia, mas continuamente: cada nervo meu o temia, e cada pedaço de carne sobre meus ossos se encolhia quando ele se aproximava. Havia momentos em que eu me sentia atordoada pelo terror que ele inspirava, porque não tinha quem me defendesse de suas ameaças ou de seus castigos." (páginas 22-23)
"O fato é que eu estava um tanto fora de controle; ou fora de mim, como diriam os franceses: tinha consciência de que a momentânea insubordinação já me expusera a punições fora do comum, e, como qualquer outro escravo rebelde, estava decidida, em meu desespero, a ir até as últimas consequências." (página 25)
"Toda a violenta tirania de John Reed, toda a indiferença orgulhosa de suas irmãs, toda a aversão de sua mãe, toda a parcialidade das criadas, tudo isso se revolveu em minha mente confusa como um depósito escuro num poço barrento. Por que motivo eu estava sempre sofrendo, por que era sempre intimidada, sempre acusada e sempre condenada?" (página 28)
"Eu destoava de Gateshead Hall; não era ninguém ali, e não tinha nada em comum com a sra. Reed ou seus filhos, ou com a criadagem. Se não me amavam, eu, na verdade, tampouco os amava." (página 29)
"Como eu desejava dar uma resposta completa a essa pergunta! Como era difícil responder ao que quer que fosse. As crianças têm sentimentos, mas não conseguem analisá-los; e se logram fazer, com o pensamento, uma análise parcial, não sabem como expressar o resultado do processo em palavras." (página 38)
"A esse catre sempre levava minha boneca; os seres humanos têmd e amar algo, e, na falta de objetos de afeto mais dignos, eu me esforçava em encontrar prazer em amar e acariciar uma desbotada réplica, rota como um pequeno corvo. Intriga-me agora recordar com que absurda sinceridade eu gostava dessa bonequinha, quase imaginando-a viva e dotada de sentimentos." (página 44)
"Provavelmente, se eu tivesse deixado um lar feliz e pais bondosos, esse seria o momento em que lamentaria de modo mais agudo a separação: o vento teria entristecido meu coração, e esse caos obscuro teria perturbado minha paz. Sendo minha situação tal como era, eu encontrava em ambos uma estranha excitação, imprudente e febril, e desejava que o vento soprasse ainda mais, que a penumbra se adentrasse em escuridão, e que a confusão se transformasse em clamor." (página 74)
"É muito melhor suportar pacientemente uma dor que ninguém mais sente além de você do que cometer uma ação precipitada cujas consequências vão se estender para todos aqueles que estão ligados a você [...]." (página 75)
"[...] A vida me parece curta demais para ser gasta em alimentar animosidades, ou em registrar agravos." (página 79)
"Se o mundo inteiro a detestasse, e achasse má, enquanto a sua própria consciência a aprovasse e a absolvesse, você não estaria sem amigos." (página 91)
"Sábias as palavras de Salomão: 'Melhor é a comida de hortaliça onde há amor do que o boi cevado, e com ele o ódio." (página 97)

***
E aí, o que acharam das quotes que eu selecionei?

Aguardem, pois no próximo sábado tem mais.

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou sugestão e faça uma blogueira feliz! :)