6 de março de 2017

RESENHA: Depois daquela Montanha

Editora: Arqueiro
Autor: Charles Martin
Número de páginas: 304

Sinopse: O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo. Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida. Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada. Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.

Olá gente lindaaa!
Confiram o que a Ana achou do livro "Depois daquela Montanha". Esperamos que vocês gostem!
***
A história de “Depois Daquela Montanha” começa em um terminal de aeroporto onde os dois personagens centrais estão esperando um voo, cada um para seu destino.  Há o Dr. Ben Payne, que é ortopedista e regressa para casa após um congresso de medicina; e Ashley, colunista que está às vésperas de seu casamento. Os dois se conhecem enquanto aguardam que seus voos sejam chamados, porém o que não esperavam é que devido a problemas técnicos do aeroporto em que se encontram, aliados a uma forte tempestade a caminho, todos os voos daquele dia seriam cancelados.

Frustrados com a notícia ambos se despedem e seguem seus caminhos. Ben sai então andando pelo aeroporto e acaba conhecendo Grover, um senhor muito carismático que joga tiro ao alvo enquanto espera um casal que havia lhe contratado para um voo particular. Como o casal não apareceu, e dada a ansiedade em regressar para casa, Ben pergunta ao seu novo colega se ele não poderia levá-lo até o aeroporto mais próximo, em Denver, onde tentaria fretar um outro voo ainda aquela noite. Grover aceita a proposta, mas cobra bem caro por isso! Sem pensar duas vezes, Ben vai atrás de Ashley e a convida para voarem juntos, pois lembra que ela está só há dois dias de seu casamento e um atraso maior poderia estragar tudo. Decididos, embarcam então no jatinho particular Ben, Ashley, Grover e seu cachorro – o qual os personagens não recordam o nome.
A viagem aparentava ser tranquila; os três conversavam muito e se distraiam para que a hora passasse mais rápido. Ben e Ashley estavam animados que iriam conseguir chegar a seu destino! Porém, algo inusitado e terrível acontece: Grover sofre um ataque cardíaco enquanto pilota o avião e isso o faz perder o controle da aeronave. Eles caem no meio do nada, onde não há nenhum sinal de civilização, nenhuma luz, nenhuma esperança de resgate!
“A montanha cresceu de encontro a nós. A sensação era de estarmos caindo de um tampo da mesa. Instantes antes de batermos, Grover corrigiu a posição, puxou o manche, e o avião começou a perder a velocidade. [...] A cauda foi a primeira a tocar o chão, depois a asa esquerda, que bateu em alguma coisa e partiu com um estalo. [...] A última coisa que me lembro é que houve um rodopio, uma cambalhota, e a cauda se quebrou.” (página 39)
Grover não resiste ao ataque e à queda do avião, enquanto Ben quebra algumas costelas e Ashley a perna. Porém, estão vivos! Como Ben está relativamente menos machucado que Ashley, e sendo médico, cabe a ele a missão de mantê-los vivos, pois Ashley não possui mobilidade devido à gravidade de sua lesão. Os remédios são escassos, o frio é congelante, neva a maior parte do tempo e não há comida nem água!
A história segue gerando muito curiosidade ao leitor, pois queremos saber como os dois irão sair dessa enrascada (e se é que ambos irão sobreviver). Nessa trajetória de luta pela vida, Ben narra a história ao leitor e, intercalando a narrativa, conta o que lhe acontece para sua esposa, Rachel. Eu estava muito ansiosa para conhecê-la, porém quanto mais a história se aproximava do seu final ais eu temia que minhas dúvidas sobre o destino de Ben e Rachel estavam corretas. Foi dilacerante, confesso! Mas não menos bonito e emocionante.
O ensinamento desse livro é que tanto Ben quanto Ashley mantiveram o bom humor mesmo estando naquela situação trágica e inimaginável. É sobre usarmos o que temos para deixar nossa vida melhor. Quando queremos mudar algo em nossa vida algo que não nos agrada nós caçamos uma puma, fazemos uma raquete para andar na neve com asas de avião, construímos uma fogueira; ou seja, utilizamos todas as nossas forças para sairmos daquela situação e vivermos da maneira mais plena possível!
“Temos de olhar para situações muito ruins e encontrar um jeito de melhorá-las. Todo dia é uma partida de xadrez. Nós contra o mal. Na maioria dos dias, vencemos. Em alguns, não. – Girei a mão num gesto largo. – E fazemos tudo por causa de uma palavra. [...] Esperança.” (página 143)
“Em algum ponto dessa conversa, ocorreu-me que Ashley Knox era um dos seres humanos mais fortes que eu já havia conhecido. Ali estava ela, à beira da morte, provavelmente sentindo mais dor do que quase todo mundo já experimentou e perdendo o próprio casamento – para não mencionar o fato de que não tínhamos a menor probabilidade de resgate. Se saíssemos dali, seria por nossa conta. A maioria das pessoas entraria em pânico, se abateria e se tornaria irracional àquela altura, mas, de algum modo, Ashley conseguia rir. E mais, me fazia rir.” (páginas 65-66)
A leitura desse livro foi muito boa! Eu o quis desde que soube que seria lançado. E, felizmente, ele não me decepcionou! Antes de um livro de amor é um livro sobre sobrevivência! Confesso que enquanto lia ficava preocupada que Ben e Ashley se apaixonassem um pelo outro. Ben relatava que seu casamento estava em crise e diversas vezes apresentava certas dúvidas quanto ao seu amor por Rachel. Apesar disso, em suas conversas com Ashley sempre exprimia seu amor pela esposa. Adorei o livro, do começo ao fim. Diversas vezes é um tapa na cara! Então, amigos, sejamos mais como Ben e Ashley! Sejamos valentes! Amar dói, mas vale a pena!

Classificação: 
***
Esperamos que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)