31 de outubro de 2016

RESENHA: Fallen (#1)

Editora: Galera Record
Autor(a): Lauren Kate
Número de páginas: 406

Sinopse: Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigori. Solitário e enigmático, ele chama a atenção de Luce logo no seu primeiro dia de aula no internato. A mudança de escola foi difícil para a jovem, mas encontrar Daniel parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado: um incêndio misterioso levou Luce até ali. Irremediavelmente atraída por Daniel, ela quer descobrir qual é o segredo que ele precisa tanto esconder... mesmo que isso a aproxime da morte.

Olá gente lindaaa!
Hoje vim avisar que eu FINALMENTE LI FALLEN! Aleluia!
Sério, o livro estava abandonado na estante desde 2011, dá pra acreditar?
Após assistir ao trailer da adaptação cinematográfica do livro (que postei aqui), minha curiosidade em relação à história ressurgiu das cinzas e decidi ler o livro logo. O que eu achei do livro vocês conferem abaixo.

"Ah, como ele queria ser ela e não saber o que aconteceria a seguir! Ou pelo menos gostaria de ser mais forte do que era e conseguir impedi-la. Se não a impedisse, ela nunca aprenderia, e o passado apenas continuaria se repetindo, torturando-os num ciclo sem fim." (página 15)

Após se envolver em um acidente em seu antigo colégio (que acarretou a morte de seu paquera), Luce é transferida para Sword & Cross, um colégio para adolescentes problemáticos, leia-se: reformatório. A Sword & Cross é um lugar cheio de regras, onde um simples celular é estritamente proibido e cada passo dos alunos são monitorados por câmeras.
Logo em seus primeiros dias Luce conhece diversas pessoas, todas igualmente misteriosas e enigmáticas: Cam, Ariane, Molly, Gabbe... É impossível saber em quem confiar - se é que é possível confiar em alguém dentro daquela prisão. A única pessoa que parece ser normal, inofensiva e verdadeiramente amigável é Penn, filha do falecido caseiro do colégio. A única pessoa que não está ali por ter se envolvido em problemas com a polícia. E há Daniel, um misterioso e nada amistoso rapaz que, apesar de deixar claro que não a quer por perto ao fazer um gesto grosseiro em seu primeiro encontro, continua sendo a direção dos olhos de Luce.

Não bastassem os próprios fantasmas, as sombras que a perseguem desde sempre e que a fazem parecer louca diante dos olhos de todos, ela ainda tem de lidar com essa estranha atração que sente por Daniel, mesmo que o rapaz não seja lá muito receptivo. É estranho insistir em se aproximar dele mesmo com tanta hostilidade da parte dele, mas Luce não consegue se manter longe. Ela não consegue ignorar o fato de que acredita conhecê-lo de algum outro lugar. E o fato de sonhar com ele quase que diariamente não tornas as coisas mais fáceis. Os sonhos são tão reais.
"Toda vez que alguém falava com Luce como se ela fosse uma total psicopata, a garota acreditava mais um pouco que isso era verdade." (página 27)
Após vários acontecimentos super estranhos, Daniel e Luce acabam se beijando e, o que era para ser um momento mágico e revelador, deixa as coisas ainda mais confusas. Ele está decidido a tentar protegê-la, a tentar evitar que, mais uma vez, o beijo dos dois seja fatal para Luce
Assim como nós, Luce fica cada vez mais perdida com o passar das páginas e apesar de algumas coisas serem reveladas, nada parece se encaixar muito bem e ninguém pode se dar ao luxo de lhe contar os detalhes da história. Da história entre ela e Daniel, da história que se repete há milhares de anos.
"- Eu me apaixono - explicou ele, pegando suas mãos e apertando-as com força. - De novo e de novo. E todas as vezes tudo acaba de maneira catastrófica." (página 315)
Eu fiquei fascinada pela mitologia criada pela autora. Tanto a história sobre anjos caídos quanto ao destino... Daniel e Luce se reencontrando a cada dezessete anos e sempre terminando tragicamente. Porém, há algumas ressalvas que me fizeram desgostar um pouco da história.
Bem, para falar a verdade eu concluí a leitura há alguns dias e ainda não decidi o que eu achei do livro. Isso não deve ser um bom sinal, né?! Eu não desgostei do livro, mas também não acho que amei. Afinal, quando a gente ama um livro, sabe disso logo de cara, né?!

Quatro coisas me incomodaram em Fallen:
1) o fato de Luce, mesmo acusada (ou suspeita) de causar o misterioso incêndio que matou seu paquera no antigo colégio, se preocupar com "garotos" já no primeiro dia em Sword & Cross: "Cam ou Daniel, eis a questão?". Sério, não faz sentido!
2) o amor instantâneo: Luce bate o olho em Daniel e pronto, está apaixonada. Não, né, gente!? Está certo que há uma conexão entre eles que talvez explique isso, mas... não engoli isso, não.
3) o triângulo amoroso. Gente, eu quase nunca me incomodo com triângulos amorosos, mas... em Fallen isso me irritou bastante. Isso porque não houve exatamente um triângulo amoroso. Explico: como eu disse anteriormente, Daniel não é muito receptivo às investidas de Luce, ao contrário de Cam, que está sempre tentando conquistá-la. O fato é que ela só olha para Cam quando tem alguma desilusão com Daniel, mas em seguida já esquece a existência de Cam e volta a correr atrás de Daniel. É assim o tempo todo. Socorro!
4) a falta de respostas. A maioria das pessoas já sabe que Fallen é uma fantasia que envolve anjos caídos e em determinado ponto da história isso é revelado, mas... nada de explicação sobre o motivo de haver tantos anjos caídos em um reformatório do fim do mundo; porque há uma batalha por vir, etc. Terminei a leitura cheia de perguntas não respondidas. E pareço ser a única a sentir falta de detalhes, de maiores explicações. Para Luce bastou que a atração entre ela e Daniel fosse justificada. Simples assim.
***
Apesar das ressalvas, não posso dizer que não gostei do livro. Eu não amei, é fato, mas a escrita da autora e a mitologia criada em torno dos anjos caídos me encantaram e eu com certeza lerei os outros livros da série (principalmente porque eu PRECISO de respostas!).
"Isso fez Luce querer estar ao lado dele e lutar. Lutar para sobreviver por tempo o bastante para viver ao lado dele. Lutar pela única coisa que ela sabia que era boa o suficiente, nobre o suficiente, poderosa o suficiente para valer a pena arriscar tudo.
O amor."
(página 398)

Classificação: 

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)