6 de maio de 2015

RESENHA: Escolhas

Editora: Qualis
Autor(a): Cristina Valori
Número de Páginas: 254

Sinopse: Quem determina o que é certo ou errado? Como saber qual caminho seguir? O que nos garante a certeza de ter feito a escolha correta? Será que a razão deve prevalecer ou seguir o coração é sempre o melhor? Você conseguiria viver sabendo que as suas decisões podem mudar tudo? Por que o destino as vezes nos testa?
Para Fabiana nada poderia mudar a sua história. Ela sempre teve esta certeza, até que a vida provou que nem sempre é fácil decidir qual rumo tomar. Que o seu coração é quem comanda e a guiará para a decisão correta.
Em um sábado como outro qualquer, Fabiana se vê diante de uma situação que mudará a sua estrutura, deixando-a com dúvidas sobre a sua, perfeita, vida. Ela será obrigada a fazer a sua escolha, quando o destino exige uma decisão.
Como não se entregar ao verdadeiro amor? Como viver sem se sentir culpada? E por quê? Porque ela estava sendo testada daquela forma? Essas e outras perguntas começaram a fazer parte do seu dia a dia, desde o momento que resolveu seguir os seus sentimentos. E você? Faria o que? Seguiria o seu coração?

Olá gente lindaaa!
Hoje venho falar de um livro que recebi em parceria com a autora nacional, Cristina Valori: Escolhas.

Logo no início conhecemos Fabiana, uma mulher de 30 anos, casada a quase uma década e mãe de três filhos. A história, que é narrada em primeira pessoa (em sua maior parte por Fabiana), já começa deixando claro que algo deu muito errado. É daquele tipo de livro que "começa de trás" para a frente. Sabemos apenas que Fabiana fez boas e más escolhas e precisou arcar com as consequências e que o final não foi muito feliz. A partir desta perspectiva, Fabiana nos conta como tudo começou.
Além da rotina bastante atripulada em casa, para cuidar de toda a família, Fabiana trabalha como secretária em uma grande empresa de São Paulo. Fabi, como é chamada pelos íntimos, é feliz no casamento e adora ser mãe. Por isso, quando resolve fazer mais uma tatuagem em uma manhã de sábado, acredita que nada em sua vida mudrá. Apenas um sábado qualquer, apenas mais uma tatuagem.
Porém, quando seu tatuador de costume diz que não poderá fazer o trabalho naquele dia, ao invés de remarcar a sessão ela resolve aceitar a sugestão do profissional e tentar outro tatuador, Gustavo. Essa seria sua perdição. Na primeira troca de olhares com o desconhecido, Fabi mal consegue se lembrar do próprio nome. Ela nunca se sentiu tão sem chão e tão em casa ao mesmo tempo.
“Eu queria uma tattoo na perna, perto da panturrilha. Uma pequena frase: “força é aprender a viver apesar da dor”, mas não só escrita, queria algo mais feminino. Sabe o que é engraçado? Quando decidi por aquelas palavras, nunca imaginei que ela seria perfeita para a minha vida. Que se encaixaria com a situação.” (página 16)
A partir desse primeiro encontro, Fabiana terá de fazer várias escolhas. Cada uma delas vai deixá-la dividida entre a razão e coração. No início Fabiana enta lutar contra a forte atração que sente por Gustavo, mas é mais forte que ela.
Eu confesso que nunca passei por uma situação parecida (graças a Deus), por isso não entendi muito bem, de início, essa atração /paixão/ loucura toda. de uma coisa eu sei, eu jamais quero estar numa situação semelhante. Não foi nada fácil para Fabi decidir entre seguir seu coração e viver um grande amor e, com isso, passar por cima dos sentimentos de seu marido, dos filhos e suportar o julgamento de todos.
“Alguma coisa mudou em mim naquela sala. Eu não tinha como fugir. Não sabia quais seriam as consequências. E se soubesse, não fugiria. Era mais forte do que eu, mais forte que tudo. Então fiz a única coisa qye meu coração pediu.” (página 18)
Após muito lutar contra seus sentimentos e tomar sua decisão, a de ser franca com seu marido e pedir o divórcio, uma reviravolta acontece. Ela é obrigada então a tomar outra decisão e sacrificar o seu amor. Gente, desgraça pouca é bobagem, né?! A partir daí muita coisa acontece e quando você espera que algo vai dar certo, dá errado de novo.
“E naquele restaurante, em meio a olhares direcionados a nós, chorei junto com ele, e mudei a minha escolha.” (página 115)
***
Vou ser sincera e dizer que "não comprei" o romance logo no início. Não por se tratar de uma relação extraconjugal, mas por que achei tudo muito rápido, do tipo "olhei, gostei, me apaixonei". Mas com o passar das páginas, é impossível não torcer por um final feliz.
Me apaixonei mesmo é pelo marido de Fabiana. Sim, ela sofreu bastante ao longo da trama, mas a teve a sorte que poucos têm: conseguiu encontrar e ter em suas vida dois exemplares de homem que não deixam nada a desejar. 
Quanto a escrita da autora, no início não achei muito fluida, era como se a própria autora estivesse se segurando, estivesse hesitante, como se os parágrafos não se encaixassem perfeitamente. Sabe quando você lê um texto, sabe que é compreensível, coeso, mas falta algo. Como se um grande trecho houvesse sido tirado do meio de um parágrafo importante? Bem, assim. Demorei um pouco a me acostumar com o tom meio "diário / confissão / papo de amiga" do livro, mas, aos pouco a autora parece ter se soltado, sem medo de deixar as palavras fluírem (ou foi uma impressão minha, claro) e a história ficou bem mais fluída. Sem dúvida a autora se encontrou - ou os personagens a encontraram e exigiram ser colocados em palavras - sem medo, sem amarras, sem receios. Como saber?
Uma linda história de amor, não apenas o amor romântico, mas o amor pela família, pelo passado, pela vida compartilhada... Recomendo.

Classificação:

Entre os que comentarem na resenha, vou sortear DOIS kits de marcadores, dentre eles marcadores de "Escolhas". Basta comentar e concorrer! ;)

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)