10 de julho de 2018

28 coisas que aprendi em 28 anos!

Olá gente lindaaaa!
O post de hoje é um pouco diferente do que costumo fazer, mas resolvi "comemorar" o meu aniversário listando algumas coisinhas que aprendi ao longo dos meus 28 anos.



Quem me conhece sabe que quando o meu aniversário está chegando, eu fico bem introspectiva (e desanimada, confesso). Eu não sou a pessoa que mais adora fazer aniversário, muito pelo contrário... mas já que não dá pra ficarmos mais jovens, que pelo menos tentemos tirar proveito de cada ano vivido, né?!

Então, vamos à lista:

1. O que não me faz bem, não me faz falta.
E isso serve pra tudo, pra coisas, situações, experiências e, principalmente, pessoas. Para quê manter por perto algo/alguém que não me faz bem, não me faz feliz e, na maioria das vezes, me faz mal, me deixa para baixo? 

2. Minha mãe tinha razão: eu não sou todo mundo.
Quem nunca tentou convencer a mãe de que devia ir ou fazer algo, porque "todo mundo" iria / faria? Pois bem, minha mãe sempre me respondeu dizendo que não importava o que todo mundo faria, porque eu não era todo mundo. E ela estava certa, eu não sou todo mundo, por isso não faz sentido comparar minha vida, minhas escolhas, minhas conquistas e derrotas com as de outras pessoas.

3. Eu não sou uma árvore.
Isso significa que eu posso "sair do lugar" se não estiver feliz ou satisfeita. Não há motivos para me obrigada a estar em um lugar ou situação que me deixam infeliz. Prefiro pensar em mim como uma folha que pode ser carregada pelo vento para lugares melhores, mais felizes...

4. Alguns dias são melhores que outros.
E está tudo bem. 

5. Eu não preciso estar feliz, animada, otimista o tempo todo.
E tudo bem com isso, também. 

6. Eu não sou obrigada.
A nada. Nadinha.

7. Eu nunca vou agradar todo mundo.
E tudo bem com isso. Não preciso agradar todo mundo, do mesmo modo que não preciso gostar de todo mundo. O que eu preciso fazer é respeitar todo mundo independentemente das diferenças.

8. Tudo bem eu não estar sempre certa.
Na maioria das vezes é melhor estar em paz do que estar certa.

9. A vida não tem um único roteiro.
A não ser pelo fato de que ela termina. Tudo bem eu mudar de rota algumas vezes.

10. Mudar de ideia não é um problema.
As circunstâncias mudam, as pessoas mudam, nossos sonhos mudam... então nossas escolhas podem mudar, também.

11. "Tanto faz" ou "mais ou menos" nunca opções boas o suficiente.
Nunca.

12. Algumas pessoas vêm para ficar, outras estão só de passagem.
E as coisas serão muito melhores quando aprendermos a lidar com isso, a lidar com despedidas, com o fato de que as pessoas são livres para decidir ficar em nossas vidas ou não... e nem sempre é uma simples questão de escolha. E o fato de que algumas pessoas não permaneçam em nossas vidas não significa que elas tenham menor impacto, que não façam a diferença ou que não sejam importantes. 

13. Minhas escolhas sempre são e serão afetadas por diversas coisas externas (minhas opções, coisas a serem consideradas, etc.).
Mas é importante que elas sejam sempre MINHAS.

14. Eu estou aqui de passagem.
Logo, nada é para sempre. Viver é um eterno exercício de adaptação, aprendizagem...

15. Desconstruir padrões, esteriótipos, etc. é um exercício diário.
Não é uma coisa simples, embora seja necessário.

16. Cada pessoa tem um modo diferente de lidar com as coisas.
Quem chorar mais alto não significa que sente mais dor.

17. Sempre podemos aprender algo novo.
E devemos!

18. Às vezes a vida é complicada, porque nós decidimos complicas as coisas.
E geralmente focamos e damos importância para coisas que não merecem tanta atenção.

19. Desistir também é um ato de coragem.
Quão difícil é tomar a decisão de desistir de algo? Conseguir perceber quando é hora de parar, de deixar algo para trás e seguir em frente é um ato de coragem. 

20. Talvez devêssemos parar de buscar a felicidade.
E simplesmente aproveitarmos cada momento. A felicidade deve estar no hoje, não do amanhã que podem nem chegar.

21. Já somos cobrados e julgados o suficiente pela sociedade.
Nosso autojulgamento e nossa autocobrança não são necessários.

22. Praticar a empatia.
Só isso.

23. Viva às listas!
Sem elas minha vida seria um completo caos.

24. Sem expectativas, sem frustrações.
Nossas expectativas nas coisas, pessoas, situações são responsáveis pela maioria das nossas frustrações. É melhor apenas tentar "seguir o fluxo", "deixar rolar". Não é fácil, mas vale a pena tentar. Eu estou constantemente tentando. Um dia chego lá...

25. Nossa família é valiosa.
E o melhor jeito de ser grato por isso é dar atenção, amor, valor e respeito à ela HOJE.

26. Só serei feliz quando for grata.
Nosso problema é ser grato apenas por coisas "grandiosas", quando devemos agradecer pelas pequenas e simples coisas que é o que nos fazem ser o que somos. Como esse milagre maravilhoso:



27. Posso encontrar felicidade no fundo de uma xícara de café.
Não preciso focar apenas em grandes realizações esperando que a felicidade estará lá. A felicidade está aqui.

28. Cada dor é uma dor.
Não diminua sua dor. Não diminua a dor do outro. Cada pessoa tem um modo de lidar com as própria dor e a mesma dor pode ter pesos diferentes para pessoas diferentes.

***
Eu não gosto de "fazer aniversário", sempre tenho o sentimento de que mais um ano se passou e nada aconteceu, nada mudou... ma suma coisa é certa, no último ano aprendi muito mais do que no ano anterior; no próximo espero aprender mais... E que eu possa levar tudo isso na bagagem. Sempre.

***
Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)