31 de agosto de 2015

RESENHA: A Escolhida (A Escolhida #1)

Autor(a): Amanda Ághata Costa
Número de Páginas: 360

Sinopse:  Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota dispersa na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais desde a infância. Devido à sua aparente doçura e beleza, ninguém seria capaz de supor que, além de um anjo, ela também é um demônio com sede de poder. Os espertos deveriam manter-se distantes, mas há olhares que não deixam de admirá-la. Egran não desperdiçaria a chance de apoderar-se de habilidades tão interessantes: ela é a escolha perfeita. Entretanto, nem todos se sentem realizados. O círculo seria um refúgio ideal para os demais feiticeiros, se o próprio líder não os tratasse como marionetes descartáveis. Movidos pelo medo e controlados pelo mestre, os componentes do grupo obedecem, sem pestanejar, às ordens recebidas. Ao se ver arrastada para lá, Ari se encontra diante de situações improváveis, arriscando-se a expor mais do que gostaria. Para ela, sentir é algo que sempre esteve fora de seus limites. Não poderia vivenciar qualquer forma de emoção, esta era a promessa. Até que Luke surge em seu caminho e abala as estruturas congeladas, derretendo-as e modelando novos conceitos. O amor realmente fará brotar a alegria? Ou irá arrastá-la diretamente para a morte? O passado obscuro de Ari será o suficiente para fazê-la estilhaçar de uma vez por todas, não restando oportunidades para uma nova tentativa de se isolar do mundo.
Olá gente lindaaa!!
Finalmente terminei de ler "A Escolhida", o primeiro volume da trilogia homônima, da autora nacional Amanda Ághata Costa, e após o final do livro, só posso torcer para que o segundo volume seja lançado em breve. #ansiosa

Ari é uma protagonista bastante atípica. Esqueça tudo o que você conhece sobre as mocinhas de livros de fantasia, pois Ari não se encaixa em nenhum dos requisitos básicos. Fruto da relação proibida entre um anjo e um demônio, Ari é uma criatura que jamais deveria existir, por isso foi abandonada pelos pais e aprendeu a se virar sozinha desde muito cedo. Sua mágoa em relação aos pais ou a quem quer que a tenha posto no mundo é muito grande, por isso (e também pelo fato de viver sozinha há tanto tempo) faz com que Ari não confie em ninguém. Ela é um bom exemplo de que as aparências enganam, de que um rostinho bonito e uma voz angelical podem ser fatal. Em uma palavra, Ariali é uma assassina. Sua rotina gira apenas em tordo de suas caças, de sua sede por sangue, de sua vontade de matar para preencher um vazio que não a abandona nunca. Porém, ao cruzar o caminho de dois feiticeiros, a garota vê seu mundo virar de cabeça para baixo.
Ao ser levada para o Círculo, Ari se vê entre a cruz e a espada e, sob ameaças, é obrigada a permanecer no meio de vários feiticeiros que não a querem por perto. Egran, o líder do círculo, deixa claro que é alguém a ser temido e, após garantir que Ar não terá como fugir, passa a usá-la como uma arma letal. Egran, assim como os irmãos Edlum e Evan são um mistério durante toda a leitura (e igualmente desagradáveis). O fato de Egran ser o líder, não por respeito, mas por temor, não é explicado. Isso me deixou um tanto quanto incomodada. Gente, é matemática simples: o círculo é composto por centenas de pessoas, Egran é apenas um. Não seria fácil se todos se unisse (e unissem seus poderes) e virasse contra o maldito líder?
"Luke coloca suas mãos no rosto, ficando daquele jeito por alguns segundos. Quero forçá-lo a despejar tudo o que sabe, porque já fomos até um nível alto, e de qualquer forma, isso está destruído. Segredos são piores do que bombas; quando detonam, podem ser avistadas de longe." (página 71)
No círculo, além de conhecer um pouco mais sobre os feiticeiros e sua rotina, Ariali descobre que seu lado bom pode prevalecer. Tenho de dizer, entretanto, que achei a mudança de personalidade de Ariali muito drástica. Em menos de dois meses no convívio com os membros do grupo, em especial as amigas Tyla, Vincy, Lana e Melany e do feiticeiro super gato, Luke, Ari passa de assassina a BFF das meninas. Nada contra a mudança e evolução das personagens, mas achei tudo rápido demais e pouco convincente, principalmente levando-se em conta a dificuldade de Ari em confiar nas pessoas. 
Ari é uma contradição ambulante, na verdade: ela se apega super rápido as meninas, não consegue resistir aos encantos de Luke, embora também seja uma relação proibida, mas a cada mal entendido, a cada discussão, ela fazia uma tempestade em copo d'água (como se a omissão de algo insignificante do passado fosse o maior de seus problemas).
"Revê-lo me traz lembranças fortes sobre a noite em que me mudei. Posso escutar a voz dele dizendo-me tudo aquilo, de novo: "por maior que seja a escuridão presente no mundo, ou em cada criatura, sempre haverá uma fagulha de esperança". Eu gostaria que aquelas palavras fossem sinceras, porém, não consigo julgar o que foi de verdade e o que foi apenas uma farsa." (página 283)
De certa forma, posso dizer que houve uma desconstrução da protagonista. Desde o início do livro eu achei super interessante a ideia de a garota ser diferente das mocinhas com as quais estamos acostumadas, mas aos poucos, como eu disse, ela passou a fazer parte do clube da Luluzinha, e infelizmente, entre perguntas sem respostas sobre seu passado, sua relação conflituosa com a mãe, seu relacionamento complexo e instável com Luke, Ariali se tornou um pouco mimizenta. Por vezes sua personalidade não ficou muito clara pra mim e achei que ela deixou que coisas pequenas ganhasse dimensões desproporcionais. Mas, acredito (e espero) que isso mude ao longo dos próximos volumes. Espero que Luke consiga dar um jeito na instabilidade emocional de Ariali.
"A solidão nos transforma no pior que poderíamos ser. Através disso, esperamos que todos os demais sejam consequentemente tão ruins quanto nós éramos. Mas a maior surpresa é que nem todos são." (página 341)
Outro ponto que me deixou um pouco incomodada foi a grande quantidade de "frases de efeito". Há vários quotes super bacanas, mas em determinados momentos essas frases me pareceram um pouco forçadas, principalmente quando ocorriam em diálogos. Sei lá, me pareceram o tipo de coisa que ninguém diria em uma simples conversa.
Entretanto, o final me deixou com muito mais perguntas do que a própria Ariali, mas com a esperança de que o segundo volume seja ainda melhor que o primeiro. Pelo menos, as últimas frases da protagonista demonstram uma determinação que não vi ao longo de todo o livro. Ela conseguiu obter algumas respostas, e talvez isso a tenha feito se dar conta de que os obstáculos em seu caminho estão apenas começando, mas talvez agora ela espera realmente preparada para ultrapassá-los. 
"Não sou mais a rocha.
Eu sou o que precisar ser.
Que venham todos os desafios.
Eu estou preparada." (página 376)
***
Para quem não sabe, recentemente a autora Amanda A. Costa assinou contrato com a Editora Arwen, de modo que o livro será relançado em uma nova edição em breve. Parabéns, Amanda!
Apesar dessas ressalvas feitas, a premissa do livro é super interessante e as peculiaridades da história, bem como dos personagens é inegável. estou louca para saber o rumo que a história irá tomar a partir do segundo volume.

Classificação:

***
SORTEIO:

Comente na resenha e concorra a um marcador autografado de "A Escolhida" + um kit com marcadores variados.


***
Beijos e amassos!!

Espero que gostem!!

19 comentários

  1. Oi

    Olha, eu não conhecia esse livro, mas fiquei com muita vontade de ler. Gostei muito da premissa e da sua resenha, mesmo com as suas observações. Vamos torcer para que a autora amadureça a escrita para o próximo.

    Alguém falou em marcador??? Eu queroooo

    http://www.lelendolido.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ola Amanda leio muitos elogios a esse livro, o fato da protagonista ser diferente do que estamos acostumados já me chamou atenção, temas com anjos e demônios que adoro, espero que a protagonista não continue com esses mimimi pois fazem a leitura ficar pesada. Dica mais que anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  3. Oieee, olha, não conhecia o livro mas confesso que a sua resenha me deixou bastante curiosa, porque as vezes o segundo livro realmente muda tudo que a gente acha que já sabia no primeiro! Com relação a frases impactantes em diálogos sinto a mesmíssima coisa. Sempre paro e penso: quem diabos falaria uma coisa dessas? kkkkkkk


    http://porredelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oiii,

    Então já conhecia o livro, mais nunca tive vontade de ler, fantasia, anjos, demônios, não são coisas que me chamem tanto a atenção, mais gostei da sua resenha, bem legal mesmo, parabéns.

    Beijos
    http://booksandcarpediem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Amanda! Como vai?
    Gostei bastante da sua resenha, porém não me vi atraída por esse livro. Parece ser bastante clichê, sem falar que a protagonista sofre uma mudança rápida e sem sentido durante a narrativa. Parece ser um bom livro, mas não faz a minha cabeça.

    Luz e literatura!
    Beijos

    cantaremverso.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Amanda, tenho lido tantas resenhas positivas sobre esse livro que foi um choque ler sua opinião, ele obviamente está na minha lista de leituras mas não irei ler tão já, ainda mais depois dos pontos que vc salientou. Frases de efeito me irritam muito em livros, além do fato dessa desconstrução da personagem, não ter uma personalidade definida não é bom para nenhum personagem seja o principal ou não. De qualquer forma quero tirar minhas próprias conclusões e ainda pretendo ler, obrigada pela sinceridade na resenha!

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Amo livros que falam de magia e bruxaria e achei a capa dessa obra sensacional, contudo, não sei se leria. Assim como você, acho que também não gostaria da mudança drástica de personalidade da protagonista. Acho que isso tinha que acontecer aos poucos e de forma gradativa, se ela mudou de lado tão rápido, significa que ela pode voltar para o outro lado mais rápido ainda, saca? HAHAHA Frases de efeito é tãão boring ¬¬, não sei como os autores acham que isso vai ajudar em algo. Talvez eu mude de ideia, mas inicialmente não irei ler, vou deixar essa passar.

    Abraços,
    Matheus Braga
    Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Amanda, tudo bem?

    Entendo o que você ressaltou. Muitas frases feitas realmente pode soar meio mecânico e chato. Entendo também a opção por deixar mutias perguntas pelo caminho, mas muitas pode ficar meio chato mesmo =(

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Oi Amanda, tudo bem?
    Eu já tinha visto esse livro em outro blog, mas é a primeira resenha que leio. A capa de a Escolhida é linda, né?
    Gostei da premissa do livro e da parte mágica, principalmente quando tem seres sobrenaturais no meio. Apesar das ressalvas com a protagonista, a premissa realmente me chamou a atenção e espero que o segundo livro seja ainda melhor, desejo uma boa leitura.
    Dica mais que anotada. Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  11. Que pena que as atitudes dela desandou durante o livro.. Mesmo assim me pareceu um livro super interessante, tenho ele em e-book kindle, acho que vou passar na frente hahahaha
    Quando comprei, não fazia ideia que se tratava dessa história, nem imaginava que ela fosse uma assassina kkkk

    Beijinhos :*
    http://www.guardiadebibliotecas.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá Amanda, eu li A Escolhida já algum tempo e simplesmente amei, uma pena que você tenha se incomodado com alguns pontos, mas parece que teremos uma continuação ainda melhor *---*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  13. Oi Amanda, tudo bem??
    Eu tenho visto esse livro rolando nas redes sociais, mas confesso que mesmo diante de sua resenha bem escrita não me senti cativada pela leitura... nem é por causa das ressalvas, porque se tratando do enredo apresentado, o primeiro livro fica mais como introdutório... mas é que a história em si, não me chamou atenção... eu fico feliz pela autora... porque é mais uma que está sendo reconhecida por uma editora e eu desejo muito sucesso a ela.. xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Amanda, sua linda, tudo bem
    Você ativou minha curiosidade, já estou aqui imaginando que os pais na verdade não a abandonaram, ficaram sem ela para a própria segurança dela, pois não faz sentido duas raças tão proibidas se unirem pela força do amor para depois rejeitar o fruto desse amor. E também acho que esses feiticeiros tão misteriosos têm alguma relação com os pais dela, ou com a história dela. Que pena que a autora se perdeu logo com a protagonista. Mas tomara que ela venha com tudo na continuação!!!!!! Dica anotada, apesar das ressalvas, parece ser um bom livro, com potencial.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi Amanda, tudo bem?

    Tenho bastante vontade de ler esse livro, tenho até no meu app do Kindle no tablet e espero ler em breve. Nossa, tinha amado a personalidade da Ari no início da sua resenha, protagonistas como ela são difíceis de encontrar nos livros em geral, e eu entendo que ela teria que mudar sua personalidade, mas parece que isso aconteceu muito subitamente e ela ficou bem descaracterizada. E entendo o que você quer dizer sobre a quantidade das frases de efeito, em diálogos parece que fica mesmo irreal por assim dizer, principalmente quando acontece frequentemente.

    Eu adoro essa capa e nossa, quero muito um marcador desses!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  16. Oi Amanda,
    Adoro quando mocinhas fogem do padrão luluzinha, pena que foi só no início e depois ela vira protagonista clichê. Agora, dei muita risada quando você colocou que através da simples matemática, o povo deveria se juntar contra o "maldito líder". Ah! nossos livros que não seguem a nossa lógica, eu mesma vivo brigando com personagens e autores. kkkk.
    Eu até estava interessada na obra, mas, como você informou que é trilogia, desisti, estou fugindo delas por enquanto, pois tenho muito livro para ler, inclusive trilogias para dar sequencia.
    Beijos
    Tânia Bueno
    www.facesdaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá! Tudo bem? Esse não é um livro que eu compraria para ler... não é o meu estilo de leitura. Sua resenha ficou ótima, da para ver nitidamente o quanto você gostou e já pedindo o segundo volume rs
    Não me chamou atenção... ainda mais por ser uma série. To fugindo de séries rsrs
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

    Academia Literária DF

    ResponderExcluir
  18. Oi Amanda, tudo bem?
    Concordo com você quanto as frases de efeito em um livro, elas devem ser dosada, caso contrário fica forçado e artificial mesmo.
    Uma pena que a protagonista tenha começado com um diferencial e isso foi perdido no decorrer da narrativa, não gosto de personagens mimizentas.
    Estou com esse livro no kindle, e mesmo com as ressalva pretendo conhecer essa história assim que possível.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  19. Se fosse a resenha só com elogios, eu já não ia querer ler por conta do gênero. Tendo várias críticas, como a mudança na personagem, muitas frase de efeito e tal, tô fora. Meu tio anda escasso e eu preciso investir melhor nas minhas leituras.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)