10 de junho de 2013

RESENHA: Museu de Ladrões (Os Defensores #1)

Editora: Farol
Autor(a): Lian Tanner
Número de Páginas: 352

Sinopse: Bem-vindo à tirânica cidade de Jewel, onde a impaciência é um pecado e a ousadia é um crime. Goldie Roth viveu em Jewel por toda a sua vida. Como toda criança da cidade, ela deve andar presa em correntes até o Dia da Separação, e é forçada a obedecer aos temidos Guardiões Abençoados. Quando o Dia de sua Separação é cancelado, por causa de uma misteriosa ameaça à cidade, Goldie não suporta a ideia de ser novamente acorrentada e foge para o Museu de Dunt, onde conhece Toadspit. No entanto, seus dias não serão mais calmos que antigamente. Os corredores do Museu são cheios de armadilhas e segredos adormecidos que se despertos podem acabar com a vida na cidade. Mas se você pensa que esse livro traz histórias de crianças, está inteiramente enganado. Morte, suspense e muita crueldade envolvem o primeiro volume desta trilogia, em que os protagonistas terão que provar suas habilidades e frieza para garantir sua sobrevivência. 
Olá gente lindaaaa!
Já faz um tempinho que recebi esse livro da Farol, mas só pude ler na última semana. Confesso que o que me motivou a solicitar o livro foi a capa DIVAAAAA com efeito envelhecido. É linda!! Mas.... assim que comecei a ler, notei que a capa não é (nem de longe) o melhor detalhe do livro. A história tem tudo o que um bom infanto juvenil precisa ter e... um pouco mais.

Na cidade de Jewel, as crianças e jovens são presas por correntes de prata aos pais ou a um Guardião Abençoado (que de abençoados não tem nada), as chamadas correntes de guarda, para evitar que se percam, se machuquem... e são acorrentadas às camas durante a noite para evitar que sejam levadas pelos mercadores de escravos durante o sono. O dia da Separação, onde as correntes são removidas acontecia apenas quando o jovem completasse 18 anos, porém, a Protetora (prefeita?) antecipou a idade de Separação para os 12 anos.
Goldie Roth, acaba de completar 12 anos e mal pode conter a ansiedade por ser libertada das correntes de prata e também das correntes de castigo que é obrigada a usar por não seguir as ordens ao pé da letra, ou simplesmente por respirar mais alto, ou piscar ou qualquer coisa irrelevante que desagrade a Guardiã Esperança. Porém, quando sua Separação é cancelada no último minuto por conta de uma misteriosa bomba, Goldie não consegue mais se imaginar presa, por isso ela faz o que qualquer pessoa desesperada faria: foge.
"Ela tinha se sentido tão ansiosa para se libertar da corrente de guarda, mas agora considerava quase insuportavelmente estranho não ter ninguém para lhe dizer o que fazer e dar ordens para que fosse para lá ou para cá: alguém que iria afastá-la do perigo e segurá-la se caísse. Era como voltar a ser bebê e precisar aprender a caminhar mais uma vez" (página 47)
Após passar o dia se escondendo e fugindo de seus captores, Goldie acaba sendo conduzida (ainda que sem perceber) até o antigo e misterioso Museu de Dunt, onde há criaturas há muito exterminadas da cidade e muitos segredos. O museu está sob os cuidados de quatro guardiões, são eles: Sinew, Olga Ciavolga, Herro Dan e Toadspit (outro fugitivo) e, eles estão dispostos a ajudar Goldie, mas.... em pouco tempo ela perceberá que quem deverá ajudar será ela própria... ajudar a proteger a cidade de tudo aquilo que o Museu guarda dentro de si, de tudo o que a cidade mais teme....
Além de criaturas como um brizzlehound e um slaughterbird, Lian Tanner nos presenteia com um museu um tanto quanto peculiar que, por abrigar um pouco de tudo há mais de duzentos anos (bem e mal), acaba por ter que se adaptar a cada uma das criaturas e coisas que abriga e.... faz isso mudando suas salas de lugar quando acha conveniente, quando seus 'inquilinos' estão inquietos...
"De repente, todo o prédio pareceu... se transformar. Era como se um enorme animal adormecido tivesse acordado, virando para o lado e voltado a dormir." (página 70)
Em pouco tempo, de fugitiva Goldie passa a ladra experiente, espiã quase invisível e praticamente uma quinta guardiã do museu e... algo ruim está por vir, ela pode sentir. O museu pode sentir.
"- É por isso que fazemos o máximo possível para manter as salas calmas - Olga Ciavolga falou.- Sinew toca sua harpa. Dan, Toadspit e eu cantamos. Nós protegemos o museu e protegemos a cidade também. Mas, apesar de todos os nossos esforços, as coisas estão piorando. O museu sabe que algo de ruim está por vir." (página 131)
**** 
Uma verdadeira distopia infanto-juvenil! Crianças que a cada páginas são apenas crianças tentando sobreviver da melhor forma e tentando se adaptar a estranha liberdade adquirida apenas através da fuga... aprendendo a conviver com a culpa por ter prejudicado seus pais, conviver com medo do que está por vir e superar acada obstáculo juntos. Um universo mágico e único que tem continuação e que me deixou com um gostinho de quero mais.
Museu de ladrões faz parte de uma trilogia (Os Defensores) e já teve os dois primeiros livros lançados no Brasil. lerei o segundo livro em breve e aguardarei ansiosamente o lançamento do terceiro e último volume. Super recomendo para quem gosta de uma leitura leve, rápida e recheada de aventuras.

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)