20 de outubro de 2014

RESENHA: Mar da Tranquilidade

Editora: Arqueiro
Autor(a): Katja Millay
Número de Páginas: 368

Sinopse: Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele.
A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida.
À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer.
Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances.

Olá gente lindaaaa!!!
Hoje venho falar de um livro que, apesar de ter me chamado a atenção já na sinopse, não preparou de forma alguma para o que eu li. O livro me arrebatou logo nas primeiras páginas e a história, que com sua intensidade e elementos angustiantes e perturbadores em altas doses, vai ficar em meus pensamentos por um bom tempo. Um livro digno de ser relido sempre que possível.
A história é narrada em primeira pessoa, alternando entre os pontos de vista dos dois protagonistas, Nastya e Josh, dois adolescentes que poderiam nunca se encontrar, mas que acabam sentindo uma atração mútua não pela aparência física um do outro, mas pela tristeza e solidão que emanam deles.
Nastya tem 17 anos e acaba de chegar na cidade. Seu objetivo é recomeçar sua vida, na verdade esse é o objetivo de seus pais, o seu objetivo é fugir. Fugir do passado, já que não consegue escapar das lembranças.
"Olho para a janela para não ter que olhar para cara dele e mentir com meu silêncio. Não preciso que minha memória volte. É a minha memória que me inferniza. Eu me lembro de tudo.
De cada detalhe.
Todas as noites.
Nos últimos 473 dias." (página 127)
Agora, morando com a tia Margort (com quem passa pouquíssimo tempo por conta do horário em que a tia trabalha), Nastya é (ou tenta ser) uma pessoa diferente... isso não é muito difícil, já que a pessoa que ela era morreu há dois anos. A garota se veste como "uma vadia russa" e se mascara com muita maquiagem. Sua intenção nunca foi fazer novas amizades, então está tudo bem afastar as pessoas com sua aparência.
Desde o início sabemos de duas coisas: 1) Nastya não fala. Ela não é muda, ela simplesmente decidiu parar de falar. 2) Algo terrível lhe aconteceu há dois anos atrás, algo que tem a ver com o fato de ela não querer falar, com o fato de ter de recomeçar, com o fato de ter pesadelos noite após noite...
"Talvez eu não me sinta culpada pelo que aconteceu, mas, quando nos dizem que algo foi completamente aleatório, também estão nos dizendo outra coisa: que nada do que fazemos importa. (...) O mal é muito engenhoso." (página 125)
Josh, por sua vez, também aos 17 anos, é uma pessoa solitária. Desde os oito anos de idade ele tem que lidar com a perda. Um membro de sua família após o outro e ele acabou ficando sozinho. Teve que suportar perder a todos. Assim, ele afasta as pessoas como um dispositivo de defesa. Evita que venha a perder mais alguém. É como se houvesse um campo de força ao seu redor que faz com que as pessoa não tentem se aproximar. Nastya é uma exceção. Ela não conhece seu passado e suas perdas, sua solidão parece atraí-la do mesmo modo que o silêncio dela o atrai. Sua única "família" é a família de seu melhor amigo, Drew (um dos meus personagens favoritos).
"Pessoas que nunca passaram por merda nenhuma sempre acham que sabem como você deve reagir ao fato de sua vida ter sido destruída. E aquelas que passaram por situações complicadas acreditam que você deveria lidar com as dificuldades do mesmo jeito que elas. Como se existisse um roteiro preestabelecido para sobreviver ao interno." (página 29)"
Perdas. O livro trata de perdas. Perda de entes queridos, perda de identidade, perda de sonhos, perda de tudo. Mas também fala de recomeços... de segundas chances.
Apesar de o livro ser do gênero new adult, não há nada carnal ou sexual em relevo na história, o envolvimento entre os protagonistas acontece de forma gradual e é muito mais emocional do que físico. A cada página é possível notar a dependência que uma vai criando do outro, o modo como suas solidões, tristeza e incertezas vão se completando, vão dando o máximo de si para se curar. A relação entre eles não chega a ganhar um nome, assim, quando (e se) terminar, não passaram por mais nenhuma perda. 
Como eu disse, Nastya não fala e tem um passado misterioso e sombrio, mas cada peça de seu "quebra-cabeça" vai surgindo aos pouquinhos, de modo que vamos desvendando sua real história e sua real personalidade gradativamente. Isso, além de nos deixar super curiosos, vai nos deixando mais tensos e apreensivos na medida em que nos aproximamos da grande revelação. A dor que senti ao conhecer a história de Nastya foi quase física. 
"Acho que sempre vou estar despedaçada. Posso trocar os fragmentos de lugar, rearrumá-los, dependendo do dia, dependendo do que eu preciso ser." (página 129)

*** 
A medida em que vamos lendo o livro, a capa que parecia não fazer muito sentido, acaba se mostrando perfeita. O chão de terra que faz parte das lembranças estarrecedoras de Nastya e o sorvete que tanto a conforta. 
Fiquei extremamente satisfeita com o final. Não posso dizer que foi um final feliz e eu já sabia disso durante a leitura... sabia que a história triste Nastya não lhe permitiria o luxo de um final feliz nas últimas páginas deste livro, mas, sem dúvida ela pode se permitir uma segunda chance. O final não é feliz, mas é belo e sensível. Quando li a última frase não consegui evitar um suspiro e um sorriso. 
A autora conseguiu me envolver do começo ao fim e não precisou de cenas hot para isso, não preciso de descrições dramáticas e excessivas do sofrimento dos personagens. Ela nos deu tudo na medida certa.
Cada personagem e muito bem construído e nos conquista em poucas páginas. Não me esquecerei de Nastya e Josh e de sua comunicação silenciosa tão cedo. Acho que todo mundo deveria ler este livro em algum momento da vida. Apesar dos personagens jovens, a cada página eles transparecem muito mais idade, como se houvesse carregado o mundo nas costas durante muito tempo. E de fato o fizeram. Super recomendo.

Mais quotes:
"Não é o som em si que me perturba; só o fato de ser alto. Ruídos altos nos impedem de ouvir os baixos, e são o baixos que devemos temer." (página 8)
"Eu não digo uma palavra sequer a outro ser humano há 452 dias. Escrevo minhas três páginas e meia, guardo meu caderno de redação e me deito na cama, sabendo quanto cheguei perto de não completar 453." (página 78)
"Não fiz um voto de silêncio. Não fiquei muda subitamente. Apenas não encontrava as palavras. E ainda não encontro. Nunca encontrei." (página 198)
"Ser beijada por Josh Bennett é um pouco como ser salva. É uma promessa, uma memória do futuro e um livro de histórias melhores." (página 352).

***
Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

23 comentários

  1. Oi Amanda.
    Eu reluto muito em ler histórias sobre perdas mas esse é um dos poucos que tenho vontade de conhecer.
    Acho essa capa muito show, e desde a primeira vez que vi imaginei que ela devia ter alguma ligação com o enredo, e pretendo ler pra descobrir isso.
    A música que você selecionou é linda, raramente consigo ler com uma música de fundo, mas com essa foi diferente.
    Gosto de personagens bem desenvolvidos, e principalmente quando um autor preza a inteligência de seu leitor através de uma narrativa como a que você descreveu: informações na medida certa, sem excessos, num enredo envolvente e bem construido.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  2. Olá, Amanda!

    Ando com muita vontade de ler esse livro, sabia? Já li diversos comentários positivos acerca da obra e fico cada vez mais curioso. Sobre o final, acho melhor assim... finais "perfeitos" me enojam, haha! Prefiro um final "belo" :)

    Até logo,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi!

    Estou de olho nesse livro há algum tempo. A história me chamou muito a atenção, apesar de não fazer muito o meu estilo. Acho muito legal saber que a autora não ficou usando cenas hot para chamar a atenção do public e etc, hoje em dia muitas pessoas levam isso como critério para leitura e a verdadeira mensagem do livro acaba ficando para trás.

    bjs

    Blog:
    Cantar Em Verso . Fbook Cantar em Verso
    Pessoal:
    Fbook . silvianecasemiro@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Ola Amanda assim que vi esse livro a sinopse já me chamou atenção, tenho lido boas resenhas sobre ele , todo livro que fala sobre perdas reflete muitos sentimentos e mudanças, afinal toda perda mexe conosco. Já está na minha lista de leitura .

    Joyce
    www;livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Mesmo com tantos elogios, esse livro não faz estilo e portanto o dispenso. Ele também fala de perdas e eu geralmente evito livros tristes, aliás também não curto narrativa em primeira pessoa, então mesmo os personagens serem bem construídos e você ter curtido e queria reler sempre, não me interesso.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  6. Oi,
    Eu tenho lido vários elogios para este livro e tenho muita vontade de ler! Adoro conhecer personagens solitários e que possuem suas feridas latentes. Acho muito curioso o fato de a personagem se abster da fala, algo tão primaz de nossa vida!
    Adoro narrativas que intercalam entre os protagonistas e eu amei sua resenha. Me deixou ainda mais curioso e espero conseguir ler ;)

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda. Acabo de me arrepender por não ter solicitado esse livro. Eu vi eles no lançamentos mas não criei muitas expectativas. Pelo que li de sua resenha esse é muito emocionante e se arrebatada nas primeiras páginas é algo grande. Agora quero ler e descobrir o passado desses personagens.

    Beijos
    Leitora sempre

    ResponderExcluir
  8. Essa musica de fundo que você sugeriu foi para nós fazer chorar? Se foi, comigo quase deu certo hahaha
    A cada resenha me vejo mais e mais apaixonada por esse livro. Ele parece ser uma leitura singular. Cheia de momentos de reflexão e emocionantes. Mas você me deixou pensando sobre o final, o que vai acontecer com esses personagem? Sou dramática e pensei logo na pior perda hahah
    Espero - do fundo do coração - que não seja isso!

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  9. Amanda,
    sua resenha está linda <3
    É a segunda resenha que leio do livro, e ambas me despertou interesse pela leitura.
    A Capa, que por sinal é linda, tinha me chamado atenção, e depois de ler mais sobre, estou completamente necessitada dessa leitura.
    Amo livros quem são carregados de emoção, dramas, que nos prende e nos surpreende. Mar da Tranquilidade já está na lista de desejados.

    Amei a resenha e amei a música que você escolheu <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Amanda,
    Adorei saber que neste livros temos temas comedidos, sem excessos e muito bem trabalhados, como a perda (no sentido geral) e o recomeço, a nova chance, a esperança, etc.
    Estou louca por ele e você me deixou angustiada por eu não ter solicitado ele para a editora!
    Vou correr procurá-lo pois ele trabalha temas que adoro refletir.
    Beijos
    Chrys Audi
    Blog Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
  11. Esse livro tem arrebatado todo mundo que o lê, estou louca para fazer isso também! essa intensidade, esses elementos perturbadores, estão me atraindo de uma forma absurda. Amo esse tipo de história que fica com a gente por bastante tempo. Os personagens bem construídos também são um ponto super a favor. Espero ter a oportunidade de conhecer logo essa narrativa.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Essa é a segunda resenha que leio sobre esse livro e minha vontade de le-lo só aumentou! Gosto quando as histórias nos prende de maneiras simples e naturais... Nada muito em excesso, mas que emociona quem le. Quero conhecer melhor os personagens, seus medos, suas histórias, e como eles tentam recomeçar e se reconfortar em algo.. Parece o tipo de livro que lerei em um dia e que vou levar comigo para sempre!

    Beijos,
    Cássia
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  13. Olá

    Não conhecia o livro, mas sua resenha foi arrebatadora. Parece ser um livro denso com uma estória, como você escreveu, de perdas e sofrimentos. Essa narrativa intercalada é bem interessante, da mais dinamismo a leitura. Adorei a resenha e pretendo ler o livro.
    Abraços

    estantejovem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Amanda, sua linda, tudo bem?
    Primeiro preciso dizer duas coisas: que música mais linda!!!!!!!! Não conhecia e como ela me tocou!!!! Já coloquei ela na mista lista. E que capa é essa??? Nunca vi nada tão criativo, ela é perfeita, é um jogo de ilusão, são duas imagens.
    Agora, que história é essa??? Todas as resenhas estão elogiando tanto esse livro que ele já está no topo de desejos.
    Mas pelo o que contou em sua resenha, acho que vou chorar muito, é muito triste saber que ela não fala porque não encontra as palavras, o que lhe aconteceu deve ser devastador. E que vontade de cuidar dele!!!!!
    Adorei sua resenha, me deixou de coração apertado.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Amanda, eu não aguento mais tanta gente falando desse livro, tô quase indo à livraria pra comprar. rs Confesso que eu pulei a sinopse e toda a parte em que vc conta a história porque quero mergulhar no escuro, sem saber sobre o que se trata. Mas pelo seu comentário parece ser tipo Hopeless. Brigada por ser mais uma a me atiçar a curiosidade! rsrsrs
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  16. Eu tenho aquele péssimo e feio hábito de julgar um livro pela capa e se fosse só pela capa, eu jamais leria esse livro, a capa não chamou a minha atenção de modo algum, mas dai a sinopse me fez mudar de ideia e a sua resenha me conquistou completamente, eu não sei bem o que dizer sobre ela, porque está tão bonita, tão cheia de sentimentos, a sua resenha ficou incrível *-* Eu com toda a certeza do mundo vou tentar ler esse livro, acredito que ele vai mexer bastante comigo e me fazer chorar um pouco, mas vai valer a pena oo/

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi Amanda,

    Nossa, ler esse livro mexeu tanto comigo que nem sei como responder a esse post. Esse livro foi um dos melhores que li no ano.Assim como vc, terminei a leitura com o coração na mão, sem saber o que pensar, o que fazer... livro lindo demais. A história da Nastya é... sem comentários. Fiquei com o queixo caído.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  18. A cada dia me surpreendo com as resenhas que vejo sobre alguns livros. Não vou negar, compro livro pela capa, e te juro, pensei que este livro se tratasse de um romance clichê com aqueles velhos altos e baixos. Enfim... me encantei pela história, com certeza vou atrás de adquirir o livro.
    Parabéns pela resenha.

    beijooos!
    Vivendo em Livros

    ResponderExcluir
  19. Esse livro te envolveu completamente,não é Amanda?!
    Já li algumas resenhas sobre o livro e todas elas foram super positivas.
    Acho que também me sentirei envolvida com a trama.
    Adoro livros carregados de emoção.E também fiquei curiosa com o segredo de Nastya.

    Vou ler com certeza!

    ResponderExcluir
  20. Oi, realmente, sempre depois que pensamos que tudo acabou encotramos uma luz no fim do túnel, acho que é realmente isso o que o autor tentar passar, ao menos foi isso que conseguir interpretar com sua resenha! Parabéns! Ja seguindo seu blog, www.moradadolivro.blogspot.com
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Nossa já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse e capa que achei linda e bem criativa, cada resenha que leio sobre ele me deixa ainda mais ansiosa pra conferi essa história que parece ser maravilhosa, vejo todo mundo falando super bem desse livro!

    ResponderExcluir
  22. Esse livro deve ser profundo ao extremo, mas do jeito bom, bem reflexivo, fala sobre perdas e recomeços, perder se perde a toda hora, menos ou mais se perde, mas recomeçar é difícil. Curiosíssima por esse livro!

    ResponderExcluir
  23. fiquei curiosa p/ conhecer o segredo de nastya... nossa, e impressao minha ou o livro "mar de tranquilidade" parece ser comovente ?!

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)