8 de julho de 2014

RESENHA: Querida Sue

Editora: Arqueiro
Autor(a): Jessica Brokemole
Número de Páginas: 256

Sinopse:  Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.

Olá gente lindaaaa!!!
Quando a Editora Arqueiro começou a divulgar o lançamentos de "Querida Sue" eu logo me interessei. Em um primeiro momento, eu sabia que haveria cartas no livro (a capa já entrega, né?), mas não fazia ideia de que se tratava de um romance epistolar, ou seja, escrito inteiramente através de cartas. Preciso dizer que adorei a experiência? Foi a primeira vez que li algo do tipo e só posso dizer que quero repetir a dose o mais rápido possível!

A história se inicia em março de 1912, quando o americano David Graham, um universitário espirituoso resolve escrever uma carta à escritora de poesia, a escocesa Elspeth Dunn. Uma carta sem qualquer segunda intenção, apenas a expressão de sua admiração pelos poemas de uma jovem desconhecida. Entretanto, a partir desata primeira carta, a correspondência entre eles continuou. Passaram a discutir sobre livros e autores favoritos, sobre suas vidas, sonhos, medos...
A relação entre fã e poetisa passa a ser entre amigos, David passa a ser simplesmente Davey e Elspeth, apenas Sue.
Posteriormente, de forma inesperada (ou inevitável?) eles começam a nutrir sentimentos mais fortes um pelo outro. Pode ser pela constante troca de cartas, pela intimidade em falar sobre coisas sobre as quais não falavam com mais ninguém ou, ainda, pode ser por causa da guerra iminente, mas o amor nasce e cresce a cada dia. Não de repente, mas após anos de correspondência. Talvez o sentimento tenha surgido desde o início, mas muitas cartas foram necessárias para que eles se dessem conta.
"Não se pode acreditar em nada do que é dito em tempos de guerra. As emoções são tão fugazes quanto as noites serenas." (página 33)
Com a guerra, Elspeth tem de lidar com a partida do marido, Iain, que de algum modo se alistou misteriosamente e, também, com o fato de "seu americano" ter se alistado como voluntário. A partir de então as coisas ficam ainda mais intensas. As cartas são repletas de dúvidas, esperanças, preocupações e culpa. Afinal, ao passo que Elspeth não tem notícias do marido, não para de se corresponder com um desconhecido. Ou, seria melhor dizer que o homem com quem está casada é mais desconhecido do que aquele com quem divide cada segredo através de cartas?
"Aqui estou. Não importe onde eu esteja no mundo, "aqui estou". (página 166)
Anos depois, agora em 1940, em plena 2ª Guerra Mundial, há uma nova troca de cartas. Desta vez, Margaret, filha de Elspeth se corresponde com a mãe e com Paul, um piloto da Força Aérea Real, por que está apaixonada, para o desespero da mãe. Elspeth sempre foi contida e cheia de segredos, porém, muita coisa muda quando, em um bombardeio, com o desabamento de uma parede, muitas cartas antigas se espalham diante dos olhos de Margaret. A mãe, que nunca pareceu mais triste e desolada, logo recolhe as cartas, abalada. Uma carta, porém, é lida por Margaret, ao que parece uma carta de amor de um tal David para Sue. Quem seriam esses desconhecido e porque sua mãe guarda uma carta tão antiga?
No dia seguinte, Elspeth desaparece e, com ela, todas as misteriosas cartas. Tentando descobrir o paradeiro da mãe e a relação entre ela e essas cartas que pareceram deixá-la tão abalada, Margaret inicia uma busca por respostas. Uma linda história de amor precisa vir à tona e muitos segredos já passaram da hora de ser revelados.
"Eu devia ter lhe contado. Devia tê-la ensinado a proteger seu coração. Ensinado que uma carta nem sempre é apenas uma carta. As palavras na folha são capazes de inundar a alma. Ah, se você soubesse..." (página 18)
***
Gente, nunca escondi que sou uma romântica incurável e A-D-O-R-O uma boa história de amor. Assim, não é de se espantar que eu tenha me encantado com "Querida Sue" e esse clima ainda mais romântico propiciado pelas cartas (que em si já têm uma essência para lá de romântica, né?!).
Confesso que quando iniciei a leitura, mesmo gostando da história e do desenrolar dos acontecimentos, não esperava muita coisa. O livro não foi daqueles que desde o início me tirou o sono, mas quando o sentimentos entre David e Sue foram se transformando e a troca de cartas ganhou um novo significado, foi quase impossível não me envolver completamente. Quando a história já estava na reta final e eu comecei a perceber o que havia de fato acontecido, foi impossível não sentir minha garganta fechar. Mas, no final, chorei e sorri ao mesmo tempo e, quando li a última frase do livro só pensei em abraçar meu exemplar e suspirar. Em seu livro de estreia, Jessica Brokemole não decepciona!
Super recomendo!

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!






10 comentários

  1. Adorei a história, também sou dessas românticas que ficam suspirando a cada passagem do livro. Adorei como o livro é formado por cartas, acho tão bonito, tão legal!!! Fiquei super interessada também pela época em que a história acontece. Já vou colocar na minha lista de livros que eu pretendo ler!
    Beijos
    Porão da Liesel

    ResponderExcluir
  2. Eu vou começar hoje a leitura deste livro e só de olhar para ele já sei que vou adorar, também amo histórias românticas e gosto quando envolvem cartas.

    Beijo, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi,

    Acho essa capa a coisa mais linda, e ainda não tinha visto nenhum livro contado por cartas, já li alguns por e-mail, e carta como você disse deixa a historia ainda mais romantica, e os livros que a Arqueiro lança, só me fazem suspirar, ele já vai pra minha listinha.

    Mayla

    ResponderExcluir
  4. Se uma romântica incurável está dizendo que é bom assim, acho que tenho que começar a leitura ontem. Porque já sei que vou amar.
    Também nunca li um livro nesse formato e estou bem curiosa com a experiencia =)

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  5. Não me diz que tem final triste! :'( Não gosto disso, cara. Parece que minha fé no amor desmorona. *snif*
    Estou bem curiosa quanto a este livro, já li várias opiniões positivas. Eu nunca li um romance só com cartas, o máximo que peguei foram livros com e-mails e bilhetes. Acho que essa nostalgia do papel torna tudo ainda mais fofo. Já quero!!!!!
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  6. Oie Amanda
    Ainn.. eu quero muito ler esse livro. Eu li tantas resenhas de Querida Sue e quero tanto ler, ainda bem que você gostou. Vou ler ainda esse mês e espero me emocionar também. A capa é linda, né? Ain.. quero ler agora. Eu lembro que já li um outro livro só com cartas é amei, então espero amar Querida Sue também.

    Beijos,
    Jéssica - Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  7. Resenha simplesmente incrível
    Se eu já queria ler o livro, a vontade só aumentou.

    Gosto bastante da temática das Grandes Guerras e desde o lançamento esse livro chamou minha atenção. Já sei que vou me debulhar em lágrimas e ficar apaixonada!

    A Rainha, Ana P. Maia ♛ - Venha conhecer o Castelo!
    http://booksandcrowns.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Adorei o fato de o livro ser todo escrito através de cartas! Acho que só li um livro assim até hoje, e achei muito interessante a forma de narrar a história. Também adoro uma boa história de amor, e tenho certeza que vou me apaixonar por esse livro! Chorar e sorrir ao mesmo tempo e querer abraçar o livro é tudo de bom!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Todos falam muito bem desse livro. Eu adoro livros que são escritos através de cartas. Ja tive essa experiência no livro Belleville e amei.
    Com certeza esse é um livro que você ler.
    Beijinhos!
    www.eraumavezolivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Amanda sua linda!
    Eu amooooooo um bom romance! Adorei seu entusiamo com o livro!!
    Me deixando curiosa para ler!!!!
    ótima resenha
    Beijos

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)