5 de setembro de 2012

RESENHA: Charlotte Street

Editora: Novo Conceito
Autor(a): Danny Wallace
Número de Páginas: 400

Sinopse: Tudo começa com uma garota... (porque sim, sempre há uma garota...) Jason Priestley acabou de vê-la. Eles partilharam de um momento incrível e rápido de profunda possibilidade, em algum lugar da Charlotte Street. E então, em um piscar de olhos, ela partiu deixando-o, acidentalmente, segurando sua câmera descartável, com o filme de fotos completo... E agora Jason — ex-professor, ex-namorado, escritor e herói relutante — se depara com um dilema. Deveria tentar seguir A Garota? E se ela for A garota? Mas aquilo significaria utilizar suas únicas pistas, que estão ainda intocáveis em seu poder... É engraçado como as coisas algumas situações se desenrolam...
Antes de mais nada tenho que dizer que o livro me surpreendeu, não por ser melhor do que eu esperado, mas por vários outros motivos. Primeiro: ao contrário do que eu imaginei ao ler a sinopse ou mesmo o título do livro, a narração é feita em primeira pessoa sob o ponto de vista de um homem, Jason Priestley, e não uma garota. Segundo: a leitura não fluiu tão facilmente quanto eu imaginei que fluiria. Terceiro: cadê a história de amor?

Jason tem 30 anos, é um ex-professor que atualmente trabalha escrevendo críticas para um pequeno jornal local e, no presente momento está sofrendo de dor de cotovelo, pois sua ex "está vivendo o melhor momento de sua vida" com o namorado atual. Ele mora no andar de cima de uma loja de vídeo games com seu amigo Dev (louco por games e dono da loja em questão), ao lado de um lugar que todos pensam ser um bordel, mas não é. E é basicamente isso. 
Em um dia como outro qualquer, após ter passado a noite enchendo a cara por descobrir que sua ex está noiva, Jason avista uma garota atrapalhada tentando entrar em um taxi com suas várias sacolas, na Charlotte Street (famosa e movimentada rua de Londres). Ele a ajuda e, antes que seja capaz de perceber, o taxi seguiu seu caminho e ele ficou com uma caixa na mão. Uma caixa que pertence a ela. E contem uma câmera fotogáfica descartável.
A partir daí, com o amigo Dev botando a maior pilha, Jason revela as fotos e passar a tentar refazer os passos da Garota. Visitando os lugares onde ela esteve, tentando descobrir onde ela pode estar. Confesso que a idéia de seguir pistas ocultas em fotografias é até interessante, tem todo aquele suspense e a expectativa de saber se Jason vai encontrar a garota ou não, mas.... se pensar mais seriamente, é uma atitude um tanto quanto lunática hahahha. 
Pra dizer a verdade, eu não simpatizei muito com o Jason, achei ele bem imaturo, inseguro e totalmente mal resolvido para um cara nos seus 30 anos. O amigo Dev é mais imaturo ainda, mas foi a personagem que deu um charme e um toque de humor, assim como Abbey, uma nova amiga de Jason. Eles têm diálogos e situações estremamente engraçados, o que se opoem um pouco ao jeito antiquado de Jason
"- Você sabe, se tem uma coisa que eu não consigo arrancar do meu peito - Dev pausou -, são os meus mamilos!" (página 121)
Na capa do livro diz que se trata de uma "história de amor", mas se eu fosse classificar esse livro, eu diria que é uma história de amizade. Amizade entre Jason e Dev, entre Jason e Abbey, entre Jason e Zoe... até mesmo entre Jason e a ex-namorada, Sarah. Acho que Jason só conseguiu evoluir ao longo da história graças a influência constante desses amigos, pois, se dependesse dele....
"Ele tem feito muito por mim ultimamente. Esse era o lado positivo do dev. Era impulsivo, sempre tinha um plano. mesmo quando era terrível, era um plano cheio de otimismo."(página 242)
Um detalhe que me incomodou bastante no livro é que o Jason pensa demais. Entende? A maior parte do livro é feita dos pensamentos dele. Ele pensa, pensa, pensa, faz suposições, idealiza situações, pensa, pensa, pensa.... e por fim, quase nunca faz alguma coisa de fato. Isso é muito cansativo! Esse foi o motivo de a leitura não ter fluído. Em alguns trechos, eu lia e pensava "Nossa, parece que eu já li isso antes. Ele já disse isso... tipo, algumas páginas atrás!", ou seja, além de pensar demais, ele anda em círculos e é repetitivo.
"Às vezes a vida é mágica, você entende. Às vezes a vida é comum." (página 324)
Isso também se apica aos livros: às vezes são mágicos, mas em outras... são apenas comuns.Entende?
Sabe porque eu li até o fim? Porque eu realmente queria ver onde essa história de perseguir obsecadamente uma pessoa desconecida ia chegar. Na verdade, no fundo eu esperava que em algum momento ia ter algum momento cut cut de puro romance clichê.... Tem isso? Ah... vai ter que ler pra saber!

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

2 comentários

  1. Parabéns pela resenha Amanda! Estou ansiosa para ler Charlotte Street e espero não me decepcionar. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi :)

    Gostei bastante da resenha! Parabéns!
    E esse é um dos muitos que estão na minha lista. Só espero conseguir ler em breve, e assim como a Vanessa, não me decepcionar.


    Beeijos,
    Ler e se Aventurar

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)