20 de agosto de 2012

RESENHA: Vaclav & Lena

Editora: Intrínseca
Autor(a): Haley Tanner
Número de Páginas: 272

Sinopse: Vaclav e Lena parecem destinados um ao outro. Eles se encontram pela primeira vez aos 6 anos, numa aula de inglês para imigrantes em Brighton Beach, no Brooklyn. Vaclav é precoce e falante. Lena, com dificuldade no idioma, refugia-se na segurança de sua adoração por ela. Ele imagina a história dos dois se desenrolando como em um conto de fadas. No entanto, uma das muitas verdades a serem descobertas nessa extraordinária obra de estreia de Haley Tanner é que "felizes para sempre" nunca é um desfecho garantido.
Um dia, Lena não vai à escola. Desaparece da vida de Vaclav e da família dele como num cruel truque de mágica. Durante os sete anos seguintes, Vaclav deseja boa-noite a Lena todos os dias, perguntando-se se ela faz o mesmo onde quer que esteja. No dia do aniversário de 17 anos de Lena, ele finalmente descobre o que aconteceu.
Haley Tanner tem a originalidade e a verve de uma contadora de histórias nata, e também a ousadia de imaginar um mundo em que o amor pode superar as circunstâncias mais difíceis. Em Vaclav & Lena, a autora dá vida a dois inesquecíveis jovens protagonistas que evocam a alegria, a perplexidade e a paixão de se ter uma profunda e duradoura ligação com outra pessoa.
Olá gente lindaaaaaa! Finalmente uma resenha nesse blog, minha gente. Aeee o/
Desta vez, trata-se da obra de estréia de Haley Tanner, que nos traz de volta a inocência da infância, os antigos sonhos de criança. Nos faz lembrar daquela amizade verdadeira que nos era tão essencial quando crianças. Que perduram até hoje, ou mesmo aquelas que estão apenas na lembrança e deixaram saudades.

Vaclav é um garoto inteligente, acima da média. Um garoto entusuiástico, apaixonado por mágica. Chegou aos EUA já sabendo falar inglês, que aprendeu desde cedo com a própria mãe. Lena, por sua vez, é totalmente o oposto. Calada, com um vocabulário de língua inglesa bem limitado e, por conta disso tem dificuldades em se comunicar. Não sabe nada sobre os pais e, após a morte de sua babushka (que não era sua avó de verdade) foi entregue a Tia que, bem.... não leva jeito algum para lidar com crianças. Lena passa a maior parte sozinha, em meio a desordem que é a casa da Tia. Em meio ao lixo, à sujeita e às roupas jogadas por toda a parte. Seu único refúgio é Vaclav. Seu único amigo, com quem não tem medo nem vergonha de dizer algo errado. Mas Lena quer ter outros amigoa. Lena quer ter outras amigas, mas... com seu péssimo inglês fica difícil interagir com as outras crianças.
"Lena só quer encontrar um espaço para estar, entre Vaclav e as garotas legais, entre o que ela quer e aquilo de que precisa. Lena não quer magoar ninguém, e acha que talvez tenha encontrado um jeito de fazer isso." (página 49)
Vaclav e Lena são imigrantes russos que, estão nos EUA desde que se entendem por gente. Aos 10 anos, Vaclav sonha em ser um famoso mágico, juntamente com a Linda Lena como sua assistente. Dia após dia, ao chegar da escola, Lena vai até a casa de Vaclav e lá eles preparam, ensaiam truques de mágica. Um dia serão conhecidos em todo o mundo. Vaclav deixará de ser o garoto que senta no canto e só tem Lena. Vaclav será "Vaclav, o Magnífico" e Lena... ela será sua assistente. É assim que as coisas são.
Mas essa perspectiva muda drasticamente quando Lena falta da aula e, a tarde também não aparece na casa de Vaclav. À noite Rasia, a mãe de Vaclav fica preocupada com o sumiço de Lena, a quem ama como uma filha e, vai procurá-la na casa da tia. Horas depois, ao voltar para casa, Rasia só é capaz de dizer ao filho que Lena foi levada pooque não estava sendo bem cuidada com a Tia. Levada para onde? Ninguém sabe.
"Vaclav é como uma pessoa vazia porque não tem nada. Vaclav não tem nada a não ser raiva." (página 115)
Sete anos se passam. Vaclav agora é um jovem de 17 anos, mas ainda mantém seu sonho de criança: ser um famoso mágico. Noite após noite durantes esses longos sete anos sem ter notícias de Lena, Vaclav não dorme sem antes lhe desejar boa noite. Lena por sua vez, embora tenha uma vida diferente agora, ainda pensa em Vaclav. Sempre. Embora tenha uma mãe agora, ainda tem necessidade de conhecer sua história. Ela precisa preencher as lacunas de sua vida. Por isso, decide que é hora de voltar. Hora de voltar para Vaclav. Hora de voltar ao lugar onde viveu e também morreu.
"Claro que estavam um com o outro o tempo todo. Mesamo quando não estavam olhando, nunca precisaram verificar. Ela estava sempre lá; ele estava sempre lá. Fora do quarto dela, em algum lugar no escuro, como a lua." (página 205)
Tudo poderá vir à tona, agora. Esse reencontro vai mexer não apenas com o futuro de ambos, mas poderá mexer também com o passado. Com os segredos do passado...
***
Primeiro devo dizer que, senti vontade de ser criança novamente. rs. Segundo, o livro foi uma surpresa, pois é totalmente diferente do que achei que seria. Pela sinopse, esperava encontrar algo mais, como posso dizer, (romântico?), emotivo... sei lá. O fato é que, a maior parte do livro esmiuça a personalidade, pensamentos de Vaclav e de Lena. É narrado em terceira pessoas e, algumas vezes tem a perspectiva da mãe de Vaclav. Mas, para ser sincera, embora eu tenha sentido compaixão pelos personagens lendo alguns trechos, não chegou a ser algo que me emocionasse. E o único momento em que fiquei realmente curiosa e ansiosa pelo capítulo seguinte foi nos 3 ou 4 últimos capítulos. Li o livro com calma, sem pressa... sem aquela curiosidade louca que me faz devorar 200 páginas num piscar de olhos. Uma coisa "fofa" a ser mensionada mesmo é que existe MESMO uma ligação entre Vaclav e Lena, mas me parece que essa ligação é muito mais forte por parte do garoto, que não esconde sua adoração pela amiga. Lena por sua vez (talvez por conta de sua história conturbada) me pareceu um tanto quanto neutra. Mas, ainda assim, é um livro que vale a pena ler....

Classificação:

****
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

2 comentários

  1. Ahh, estava louca para ler esse livro. Pensei mesmo em pedir de parceria mas acabei decidindo por outro. Gostei da sua resenha, mas fiquei triste em saber que a ligação parece mais unilateral do que bilateral, imaginei que os dois eram bem chegados um ao outro. Já imaginava algo do tipo e menos romance, acho que por ter lido muito sobre o livro na internet (não resenhas, mas sinopses e reportagens mesmo), e por mais que ache que não vai ser essa coisa toda ainda estou bem curiosa para lê-lo! Adoro livros que nos remetem a nossa infância e esse parece ser um deles!
    Beijão!
    Ps. Queria ter te encontrado na Bienal! =/ Uma pena que a gente não tenha se visto.

    ResponderExcluir
  2. Poxa, uma pena que o livro não seja tudo isso. Eu, particularmente, estava esperando bastante dele. A capa e a sinopse realmente me sugerira algo mais romântico, doce e delicado... Mesmo assim, ainda tenho uma curiosidade com o livro :)
    Beijos

    http://trouxesteachave.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)