20 de fevereiro de 2012

RESENHA: Um Mundo Brilhante

Editora: Novo Conceito
Autor(a): T. Greenwood
Número de Páginas: 336

Sinopse: Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato. Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática. Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu. Esta, enfim, é uma história fascinante sobre o que devemos às pessoas, o que devemos a nós mesmos e o preço das decisões que tomamos.
Olá gente linda!!! Como estão?? Animados para agitar muito nesse carnaval? Não?? o.O 
Pois bem, hoje, para iluminar e purpurinar a folia, nada melhor que a resenha de Um Mundo Brilhante. (trocadilho??).

Tudo começa quando Ben - um professor de história, simplesmente apaixonado pelo inverno, pelo frio e pela neve - acorda na primeira manhã de inverno, ao olhar pela janela vê que durante a noite houve uma nevasca e, satisfeito pelo inverno enfim ter chegado, resolve sair da casa para buscar o jornal, que chega logo pela manhã. Mas Ben encontra muito mais que seu jornal matinal, estirado a neve, em sua calçada, ele encontra um jovem navajo (indígena). O pânico se espalha no interior de Ben ao imaginar que o rapaz pode estar morto. Mas não está. Não ainda.
"Ele não conseguia simplesmente fingir que aquilo não havia acontecido. Ele não conseguia deixar tudo desaparecer por baixo da neve fresca." (página 21)
Antes de ir ao trabalho, naquele dia, Ben resolve ir ao hospital ver como o jovem está. Pode-se dizer que, é aí que sua história muda. Ou melhor, é aí que Ben começa a questionar sua vida até então. No hospital ele conhece Shadi, irmã de Ricky (o jovem que encontrou), Ela lhe diz que o irmão não passa daquela noite e que, no jornal local, o incidente será mais um caso de um índio bêbado. Mas Ricky não é mais um índio bêbado!
Para complementar seu baixo salário de professor, Ben também trabalha no Jack's, um bar da pequena cidade. E ao virar o corpo do rapaz, que estava de bruços na neve, Ben o reconhece do bar. Ele costuma (va) frequentar o bar a fim de jogar bilhar, mas nunca o viu bebendo. 
Sem contar nada a sua noiva Sara, com quem vive há alguns anos, Ben começa a "investigar" o que pode ter acontecido com Ricky, e antes que possa pensar no que está fazendo, Ben se vê muito mais envolvido com Shadi, e com o caso, do que deveria. Eles têm algo em comum. Ben também perdeu alguém. Sua irmã. mas nem mesmo Sara sabe disso. Por isso Ben se sente ligado com Shadi, são ligados pela tristeza. Por isso Ben fará o possível para ajudá-la a desvendar o assassinato de Ricky, sem saber que isso pode colocá-lo em sério risco.
Em certo ponto da estória, Ben começa a questionar decisões que tomou ao longo de sua vida, começa a questionar se suas escolhas foram acertadas. Será que ele fez certo ao pedir Sara em casamento dois anos antes? É certo continuar levando isso adiante sem ter certeza de ainda amá-la?
Eu li algumas resenhas do livro e, várias pessoas disseram que se sentiram tocadas e tudo mais. Eu não sei se eu me senti tocada, mas posso dizer que senti várias coisas, inclusive raiva, Raiva de Ben. Raiva dos homens. Raiva de Sara... acho que sobrou até para o meu namorado! (#aloka) ahhahaha Você deve estar se perguntando o porquê de tanta raiva. Vou explicar.
Em alguns momentos Ben compara a "Antiga Sara" (que estava sempre feliz e satisfeita, que era meiga....) com a "Nova Sara" (sempre exigente, irritada e insatisfeita). Para Ben é simples culpar a mudança de Sara pelo relacionamento "infeliz". Mas será que Sara foi a única a mudar? Tudo bem que ele também se culpa (às vezes) masssss fica "implícito" que, até se culpando, ele culpa Sara. (ok, pode falar que é implicancia e mania de perseguição, mas...)
"Em seis breves anos, ele sistematicamente transformara a vida sublime em vida miserável. De simples e contente em ordinária e mundana. Nada mais a deixava feliz. Então, ela merecia algo melhor." (página 71)
Em todo e qualquer relacionamento, é muito mais simples "sentar em cima do próprio rabo" e apontar para o erro do outro; é mais fácil ressaltar a mudança do outro a admitir que ambos mudaram. Fiquei com raiva de Ben por isso, por culpar Sara por não ser mais a mesma. Mas AS PESSOAS MUDAM! A vida as transforma e não há como escapar. Mas, será que o "Antigo Ben" esconderia as coisas de Sara? Será que o "Antigo Ben" mentiria sobre tudo com tanta frequência? Eu acho que não.
"Há muito tempo, tudo estava inteiro. Ben se lembrava daquela época como se ela pertencesse a algum outro Ben. Um Ben feliz, sorridente e distante." (página 29)
Por isso senti raiva de Sara por não "dar um pé na bunda de Ben!" (#PRONTOFALEI). Mas.... Ben ainda sente algo por Sara (quando ele acha que vê nela a "Antiga Sara"). Então, pode ser que ainda haja salvação para a relação deles, massssss para isso Ben precisa reconhecer os próprios erros e fazer suas escolhas.
*****
Eu gostei do livro, sim. Mas, como eu já disse, fui envolvida por um intensa briga (Eu e Ben, Ben e Eu).
Adorei o suspensa por trás da investigação do crime, aquela friozinho na barriga a cada nova descoberta... e gostei do final. Ainda que não tenha sido 100% feliz, acredito que, além de ser "uma segunda chance" de fazer as coisas, também achei meio que, uma... penitência? Se foi, acho muito bem feito! hahahah
Acho que tem uma explicação para eu não ter ido muito com a cara do Ben: nós mulheres (pelo menos, eu) estamos acostumadas a ler livros sob perspectivas femininas.... grandes heroínas que nos comovem e com quem nós concordamos na maioria das vezes, porque sabemos o que se passa no universo feminino. Mas, as coisas ficam diferentes... meio estranhas, quando vemos tudo pela perspectiva masculina. Não é a mesma coisa. Isso gera conflito. (Comigo sempre gera! hahahah)

Classificação:

***
Espero que gostem!!!

Beijos e amassos!!

14 comentários

  1. Parabéns pela resenha Amanda! Estou ansiosa para ler Um Mundo Brilhante! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Otima essa resenha!! Eu estou realmente curiosa pra ler esse livro, tudo nele é muito chamativo pra mim:sinopse, capa , titulo. Eu confesso que oque mais me chamou atenção foi o subtitulo,me sinto assim a maioria das vezes, acho que vou me indentificar bastante com esse livro e passar a amar muito esse autor!

    ResponderExcluir
  3. Uau, parabéns pela resenha!

    Não contou a história, mas conseguiu me deixar curiosa para lê-lo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nenhum livro com uma narrativa que traz uma "perspectiva masculina", sempre leio chick lits ou outros livros narrados pela mocinha.. e isso me deixou muito curiosa para conhecer o livro e entrar em conflito também com o Ben! rs
    Essa capa brilhante é ótima!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Todas as resenhas que ja li desse livro me fascinam! Ler varias resenhar, faz-nos ver a historia de muitos angulos diferentes! Otimo *-*

    ResponderExcluir
  6. Muito boa resenha. O livro parece mostrar vários questionamentos feitos com relação ao relacionamento e as atitudes tomadas por Ben durante a sua vida.Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda, Ben e sara formam um casal dinâmico, ela manipuladora, e ele indeciso, toma as decisões e depois volta atrás para não dar encrenca. Mesmo assim gostei do livro e recomendo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  8. Premissa interessante. Não sei o que esperar. Outro livro da Novo Conceito que divide opiniões - ou se gosta, ou se odeia. Tenho de ler, creio.

    Beijos,

    Fátima Menezes - @fatimamd
    http://recantodecaliope.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. quero muito ler esse livro,dizem que é muito bom!!

    ResponderExcluir
  10. Huahuah Vc realmente ficou indignada com o ben neh
    Creio que eu tb ficaria com esses questionamentos.

    Bjuuss

    ResponderExcluir
  11. Ameeei, a capa, o subtítulo (que atiçou a minha curiosidade), ameei a resenha! Nunca li esse livro, mas agora fiquei curiosa!

    Beijinhoos *--*

    ResponderExcluir
  12. Eu tenho um pouco de duvida se este livro é bom ou não; mas estão dizendo que é muito bom..

    ResponderExcluir
  13. Gostei da sua resenha, o modo que expõe sua opinião só fortalece a resenha...gostei da história e fiquei mais curiosa do que já estava..hehe

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)