6 de fevereiro de 2017

RESENHA: As Cordas Mágicas

Editora: Arqueiro
Autor(a): Mitch Albom
Número de páginas: 352

PLAYLIST
Sinopse: Francisco Presto nasceu numa pequena cidade da Espanha em plena guerra civil. Com a infância marcada por tragédias, Frankie se torna pupilo de um professor de música cego, que se dedica a lhe ensinar tudo o que sabe.
Ao completar 9 anos, ele foge para os Estados Unidos carregando consigo apenas seus bens mais preciosos: um violão e seis cordas mágicas.
Com um talento fora do comum para tocar e cantar, Frankie rapidamente alcança o estrelato e influencia o cenário musical do século XX, apresentando-se ao lado de nomes consagrados como Elvis Presley e Little Richards.
No entanto, seu dom se transforma em um terrível fardo quando ele percebe que pode afetar o futuro das pessoas: uma corda de seu violão fica azul cada vez que uma vida é alterada.
No auge do sucesso, assombrado por seus erros e por seu estranho poder, Frankie sai de cena por anos, apenas para ressurgir para um espetacular e misterioso adeus.
Olá gente lindaaa!!
Hoje vim falar sobre as cordas mágicas de Frankie Presto e sobre a história mágica de sua vida, narrada por ninguém menos que a própria Música. Eu confesso que nem sei por onde começar e, quando penso na melhor forma de contar a vocês o que eu achei desse livro, a primeira palavra que me vem a mente é: sensacional. E quando eu tento pensar em outra palavra, é "sensacional" que me vem a mente, novamente.

Gente, se eu disser que solicitei esse livro só por causa do título, vocês acreditam? Pois é, sou movida a música e ao ler o título, logo imaginei um hipster cabeludo tocando indie lindamente. Eu nem ao menos li a sinopse. Não há hipster nenhum, é claro. Mas há Frankie Presto, que é muito melhor que qualquer hipster que se poderia criar.
O livro começa em um funeral. Mais especificamente, no funeral de ninguém menos que Francisco de Asís Pascual Presto, conhecido mundialmente como Frankie Presto, nosso protagonista. Frankie é um personagem fictício, mas a escrita do autor, mesclada com situações reais, pessoas e acontecimentos reais, me fizeram acreditar em sua existência.
E a Música, que esteve com Frankie desde o nascimento, está presente eu sua despedida, a fim de buscar uma parte de si que emprestou a seu discípulo.
"Eu assusto você? Não deveria. Não sou a morte. Um ser encapuzado, fedendo a putrefação? Como diriam os jovens: me poupe.
[...]
Sou a Música. E estou aqui pela alma de Frankie Presto. Não toda ela. Só a porção muito grande de mim que ele pegou quando veio a este mundo. Por mais bem utilizada que eu seja, sou um empréstimo, não uma posse. Você me devolve ao partir." (página 9)
Francisco nasceu em Villarreal, uma cidadezinha na Espanha, em plena guerra civil. E, podemos dizer que tanto a tragédia quanto a benção de sua vida começaram aí, já em seu nascimento. Com poucos meses de vida, após ser encontrado por um cachorro pelado, Francisco foi adotado por um bondoso fabricante de sardinhas, que o criou como filho. Alguns anos depois, ainda garoto, Francisco acaba se tornando pupilo de um violonista cego, conhecido como el Maestro. Porém, sua relação com a música começou muito antes, logo ao nascer, quando sua mãe o acalmou cantarolando "Lágrima", de Francisco Tárrega, para silenciá-lo e salvá-lo. Desde então, a música não o deixou mais, por muitos e muitos anos.
"- Não é um violão bom demais para um menino tão novinho?
- Não. Deve permanecer com ele o resto da vida.
- Por quê?
- Porque eu não posso." (página 99)
Com apenas 9 anos, sem saber ao menos o motivo, Francisco é enviado de navio para a América, no entanto é deixado em um porto na Inglaterra. Sozinho e perdido, o garoto carrega apena um violão, último presente de el Maestro, seu querido professor. As cordas, que um dia pertenceram a um cigano, são mágicas (embora Francisco não saiba disso ainda) e, ao longo de sua vida, vão mudando a vida de várias pessoas que passam pelo caminho de Frankie. E são várias. Apesar de toda a trágica infância, de ser praticamente um nômade, dormir na rua, viver em um orfanato, entre muitas outras circunstâncias, Frankie encontrou em sua estrada muitas pessoas boas, pessoas que o ajudaram (e foram ajudadas por ele e sua música).
E boa parte dessas pessoas ganha voz no livro, por meio de uma entrevista, e contam ao leitor suas algumas história envolvendo Frankie, o modo como se conheceram e diversas situações que tornam nosso personagem cada vez mais real. O mais interessante e enriquecedor da leitura desse livro, é o fato dessas pessoas existirem de verdade, e serem grandes nomes da música. Pra vocês terem uma noção do quanto esses grandes nomes entraram na viagem, eles gravaram até vídeos de divulgação para o livro, simulando as entrevistas. Confiram alguns dessas "entrevistas": Paul Stanley, Ingrid MichaelsonWynton MarsalisDarlene Love, etc.
"Quando criança, sofreu enormemente e, por causa desse sofrimento, foi-lhe dada uma dádiva. Um conjunto de cordas que lhe deu o poder de mudar vidas.
Seis cordas.
Seis vidas."
(página 13)
Ao longo das páginas, enquanto os convidados do funeral vão chegando e se acomodando na igreja, a Música vai nos narrando a ascensão de Francisco, que alcança o estrelato e vida um verdadeiro astro do rock, tornando-se Frankie, comparado até mesmo co Elvis Presley (o amor da minha vida!) e, também, sua posterior decadência e envolvimento com drogas. Enfim, esse parece ser o percurso básico de um astro do rock, né?! São muitos os exemplos.
O livro não conta apenas a história de um garotinho doce com uma alma velha (segundo a Música, todo músico possui uma alma velha), mas é a história do poder da música. Uma história mágica e ao mesmo tempo tão real, tão cheia de encontros e desencontros, cheia de mistérios e coincidências. Cheia de acordes distintos.
Gostei de acompanhar a trajetória de Frankie, alguém que se descobriu, se perdeu, se reencontrou e, por fim, se escondeu do mundo (embora muitos ainda se perguntassem sobre o paradeiro de Frankie e suas cordas mágicas - musicalmente mágicas, nesse caso).
Gostei do fato de Frankie, em meio a tantos erros e acertos, ainda ter mantido até o fim, uma alma doce (ferida, mas doce) e uma personalidade tão fofa.
Antes de terminar devo comentar que, apesar de serem histórias completamente diferentes, a narração do livro, o tom dado pelo autor, me fez lembrar de "As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender". Deve ser por conta da "magia" que permeia cada palavra. No caso de "As cordas mágicas", a magia é a própria Música.
Abaixo deixo mais algumas quotes, porque esse livro é completamente citável e uma única recomendação: LEIAM ESSE LIVRO.
"Todos os humanos são musicais.
Por que outro motivo o Senhor daria a vocês um coração pulsante?"
(página 10)
"Riqueza nunca definiu a música. O que é tocado de coração pode ser tocado em qualquer lugar." (página 59)
"A verdade é luz. Mentiras são sombras. A música é ambas." (página 65)
"[...] O silêncio intensifica a música. O que você não toca pode purificar o que você toca.
Mas com as palavras não é assim. O que você não diz pode assombrá-lo." (página 106)

Classificação: 

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)