9 de janeiro de 2017

RESENHA: Caçadora de Estrelas

Autor(a): Raiza Varella
Número de Páginas: 544


Sinopse: Após flagrar o seu atual namorado com outro cara - não, você não leu errado - e constatar que o safado tinha um gosto para homens até melhor do que o seu, Eva se arrepende por ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até e o país para segui-lo e decide que é hora de voltar para a casa, com o rabo entre as pernas, um mau humor feroz e sem um tostão no bolso. Mas ao contrário do que imaginou não é recebida com faixas e balões, muito menos com boas-vindas e sim com mais e mais azar - como se não bastasse todas as vezes em que foi traída, abandonada pelo circo ou roubada por alguma estrela errada -, seu irmão acabou com seu carro novo, seu pai se casou, ela ganhou duas quase irmãs indesejadas, seu melhor amigo roubou seu gato e ainda de quebra arrumou uma namorada.
Embora a vida em casa não esteja como deixou, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. O que em seu dicionário quer dizer se embebedar, distribuir socos e grosserias a quem quer que esteja ao seu alcance e recuperar seu gato - a qualquer custo -, nem que para isso precise roubá-lo de volta.
O que desconhece é que o destino iria lhe preparar uma surpresa, lhe oferecendo algo que não poderia ter, um amor proibido. Será ela corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?
Olá gente lindaaaa!
Você devem se lembrar da SEMANA CAÇADORA que rolou no blog há algum tempo, né?! Pois bem, hoje vim contar pra vocês o que eu achei do livro "Caçadora de Estrelas", da autora nacional Raiza Varella. E, preparem-se, pois a resenha é longa. Podem pegar um cafezinho ou um pote de pipoca, pois lá vem a história...

"Caçadora de Estrelas" foi minha última leitura de 2016 e eu não consigo pensar em uma maneira melhor de encerrar o ano (ainda mais um tão difícil como foi esse, né?!): uma montanha russa de emoções!
E como já disse o rei Roberto Carlos, "se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi". E, olha, foram muitas emoções. Muitas risadas, mas muitas e muitas lágrimas.

Eva é uma jovem um tanto mimada e egoísta. Sempre foi o centro das atenções e o centro da vida de todas à sua volta, por isso não aceita ser menos do que isso. Desde muito nova, após fazer uma promessa à sua mãe, Eva sonha em encontrar sua Estrela, o amor de sua vida, alguém que a complete. E ela procura por esse alguém incansavelmente. Mas, pensem em uma pessoa com o dedo podre. Agora, multipliquem por dez. Essa é a Eva. Sua coleção de fracassos amorosos é de dar pena. E a cada nova decepção, é Gabriel quem a ajuda a se reerguer.

Porém, desta vez Eva sabe que as coisas não serão mais as mesmas. Antes de sua última burrada (que envolveu fugir de casa com mala e cuia e viajar para Londres atrás de um namorado, deixando para trás apenas um bilhete), ela e Gabriel discutiram e ela meio que teve de escolher entre ele e o namorado da vez. Pois bem, ela virou as costa sem ao menos olhar para trás. Por isso é tão difícil, após poucos meses, voltar para casa com o rabinho entre as pernas.
"Somente eu sei a importância daquela história, daquela promessa e sempre acreditei que os riscos valessem a pena se no final eu fosse feliz. Mesmo que para isso eu precisasse machucar as pessoas que eu amava no processo. Eu as machuquei vezes demais e quanto a felicidade, bom, nunca aconteceu. Então eu acho que finalmente chegou a hora de parar de procurar." (página 12)
Quem poderia prever que seu príncipe encantado, na verdade é uma princesa e resolveu trocá-la (ou melhor, traí-la) por um boy magia gatíssimo? Quem poderia sequer imaginar que em poucos meses ela estaria novamente em um avião, desta vez voltando para casa sem um tostão e com mais uma desilusão amorosa para sua extensa coleção? Na verdade, praticamente todo mundo sabia que o desfecho seria esse (menos a parte do namorado pegando o maior gato), menos ela.
Ao retornar, Eva encontra tudo, menos sua antiga vida. Nos pouco meses em que Eva quebrava a cara em um país estrangeiro e não voltava apenas para não ter de encarar todo mundo após mais um fracasso, todos parecem ter seguido em frente sem ela. É como se seu lugar não estivesse mais disponível. Até seu gato a abandonou! E o que dizer sobre o comportamento frio e distante de Gabriel?
Mas, com o passar do tempo vamos percebendo que essas mudanças, principalmente o fato de Gabriel não tratá-la mais como prioridade (ou, pelo menos, fingir certa indiferença) serviu para que os sentimentos de Eva mudassem, ou melhor, viessem à tona.
"Me pego pensando em como eu nunca havia reparado no quanto Gabriel é bonito antes. Bonito o bastante para tirar o fôlego de qualquer pessoa com apenas um levantar de sobrancelhas. Bonito o bastante para arrebentar um coração, uma calcinha ou fazer com que um frio inesperado passe por meu estômago. Bonito o bastante para me assustar e fazer minhas mãos suarem. Continuo não gostando dessa sensação perturbadora." (página 67)
Em capítulos intercalados, narrados principalmente por Eva e Gabriel (e, às vezes, por Benjamin), acompanhamos as contantes mudanças na vida de Eva e seu crescimento / amadurecimento, acompanhamos um Gabriel que sempre foi apaixonado pela melhor amiga sem ao menos sonhar em ser correspondido.
"Ela não se vê como eu a vejo, o que é realmente uma pena." (Gabriel - página 45)
Em meio a tudo isso, além de sentimentos descobertos e confusos, mudanças e tantas lembranças compartilhadas, Eva e Gabriel enfrentarão momentos muito difíceis, que exigirão cada célula de força de ambos. Ah, como eu chorei!
E, quase no final, mesmo já sabendo do desenrolar da história, eu segui torcendo por uma reviravolta nas últimas páginas. E, digo mais, foi extremamente difícil concluir a leitura, pois eu não conseguia parar de chorar nos últimos capítulos. Chorei de tristeza, de amor, de raiva (da Raiza, essa malvada!), chorei até por antecipação.
Acho que minha única ressalva é a respeito do quão parecidas eram as escolhas de palavras (escolhas lexicais) de Eva e Gabriel, de modo que, ou a autora pecou pelo excesso, ou esses personagens estavam tão conectados e sintonizados que sempre pensavam da mesma forma e falavam da mesma forma.
Cada capítulo apresenta um trecho de música como epígrafe e esses trechos selecionados pela autora fazem total sentido, fazendo com que fiquemos curiosos / apreensivos com o conteúdo de cada capítulo. Porque em se tratando de Eva Marinho cada capítulo é uma caixinha de surpresas.
Eu só posso recomendar "Caçadora de estrelas" e aconselhar que vocês evitem ler os capítulos finais em público, pois será difícil controlar as lágrimas.
E sobre a frase "Precisa de mim aí?" (super significativa na história), só posso responder SIM, principalmente se disser respeito a edição física do livro. Preciso desse livro na minha estante para ontem! Por favor, por favorzinho, Raiza! <3

Classificação: 

***

SORTEIO DE MARCADORES!!!

Irei sortear dois marcadores autografados pela autora (um de "Caçadora de Estrelas" e outro de "O Garoto que eu Abandonei), mais alguns marcadores diversos entre os leitores que comentarem na resenha. Basta deixar um comentário referente à resenha, juntamente com um e-mail para contato.
O prazo para participação é até dia 15 de janeiro. Boa sorte a todos!


***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

2 comentários

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)