17 de janeiro de 2016

Ah, a crise dos vinte e poucos...

Olá gente lindaaaa!!
O tipo de postagem de hoje não muito comum aqui no blog, mas ultimamente meus pensamentos (vez ou outra) acabam tomando esse rumo e eu decidi dividi-los com vocês.


Quem nunca ouviu falar na crise dos vinte (e poucos anos)? Ah, maldita e inevitável crise, você me pegou de jeito, né?!
Sabem aquela sensação de que a vida é curta demais, o tempo é curto demais e que, por mais que você nade, nunca sai do lugar? Aquela desagradável sensação de que o mundo está girando, os dias (anos!) estão passando e sua vida está na mesma, estagnada e sem perspectiva alguma de mudança?
Bem, nos últimos meses eu ando me sentido desse jeito. Eu não sei vocês, mas quando estava no auge dos meus 15 anos, imaginava que dali a dez anos minha vida seria totalmente diferente. Afinal, 25 anos é uma idade adulta, né?! As pessoas de 25 anos já estão estabilizadas, já são alguém. Certo? Bem, nem sempre.
O que são dez anos, gente? É um maldito piscar de olhos. E, quanto mais você se sobrecarrega, tentando de algum modo cumprir todas as metas autoimpostas, mais parece que o tempo voa. Quando me dei conta, estava completando 25 anos e pouca coisa havia mudado desde meus 15 aninhos. Ainda moro com meus pais, não tenho um gato pra puxar pelo rabo, nada para chamar de meu. Tudo o que tenho diante de mim é um caminho incerto ou, caso eu cruze os braços e espere algo cair do céu, um caminho certo, de modo que daqui a dez anos tudo ainda estará igual.
Não consigo explicar a loucura que foi a sensação que tive no dia do meu aniversário de 25 anos. Gente, que tristeza imensa! Parecia que o mundo ia acabar! Eu sei que não faz sentido, mas eu me senti tão velha, tão "nada", tão sem propósitos na vida. Isso aconteceu com vocês?
Eu levei um tempo para perceber que a tal crise dos vinte já tinha me alcançado. Conheço várias pessoas que passaram por isso e, tempos atrás eu dizia "Para com isso, você é tão jovem! Tem uma vida inteira pela frente." Pois é, desde que entrei nessa tal crise, a vida não parece estar toda à minha disposição.

Eu tentei, de todas as formas, dar conta de muitas coisas: dois empregos, cursos, blog, namoro, família, e nada era o suficiente. Eu queria fazer mais cursos, trabalhar mais, estudar mais, ler mais e ter mais tempo para o blog. MEU DEUS, COMO O TEMPO É CURTO!
Acabei por me dar conta que eu tentava fazer tudo porque não sabia realmente o que devia fazer. Estou me forçando a dar um passo de cada vez. Confesso pra vocês que ainda sinto uma necessidade de conhecer tudo, de saber tudo, de viver tudo, mas me dei conta de que quanto mais eu me sobrecarrego, menos eu vivencio, de fato.
Quando você tem 18 horas do dia programadas, que tempo te sobra para viver as coisas, para viver mesmo? Quase nada. É exaustivo. E totalmente sem sentido.
Outra coisa que andei me perguntando nos últimos tempos (que é uma estupidez sem fim) é "Será que posso continuar gostando de coisas que eu gostava aos 18 anos?" ou "Será que sou velha demais pra usar All Star e gostar de ursos de pelúcia?". Vejam se tem cabimento uma pessoa poder gostar ou não de certas coisas, usar ou não certas coisas por conta da idade?! Querem saber? Decidi que eu não irei mais me importar com isso. A vida é curta demais para perder tempo com esse tipo de questionamento sem sentido. Decidi viver. Dando um passo de cada vez, sempre do tamanho que eu posso dar. 
Não sei se será fácil, mas vou tentar. Afinal, dizem que os 20 (e poucos) anos é a melhor fase, né?! Então eu vou curtir ao máximo!


***
Beijos e amassos!!

Um comentário

  1. Saudações Lady Amanda,
    Quando era criança, imaginava que aos 24 estaria casada, com filhos, casa própria e formada.
    Huahauhauahuahauah ilusão que durou bem pouco depois dos 15... Não estou casada, não quero filhos, estou longe da casa própria e me formo no final de 2016.
    Às vezes me olho, com cabelo roxo/azul, minhas tatuagens e imagino o que eu estava pensando quando achava que minha vida estaria pronta antes dos 25. Estou tão longe disso que é quase uma piada!
    E sim, às vezes me pergunto se eu não parei no tempo e deixei algumas coisas e oportunidades passarem. Penso que não evolui o suficiente. Enfim, em dias como esses, eu abro um livro e vou ler, para parar de pensar tanta besteira.



    Venha visitar o Castelo
    Att
    Ana P. Maia ♛
    The Queens Castle


    Cela 108
    Cara de um, focinho do outro
    Cara de um, focinho do outro - EXTRA

    ResponderExcluir

Adoro saber a sua opinião. ^^ Deixe um recadinho com sua sugestão e faça uma blogueira feliz! :)